Vinho blend - Conheça suas castas, casas e harmonias

Publicado em:

1

Recentemente, a Nielsen divulgou dados que mostram que a venda de vinhos blends tintos cresceram 35% nos Estados Unidos de Março a Maio de 2020, em comparação ao mesmo período do ano passado (2019).

Muitos fatores podem ter influenciado o comportamento dos clientes para aderir mais a este tipo de bebida durante a quarentena, especula-se que, parte deles, estejam relacionados ao fato de que os blends tintos agradam a mais paladares, sendo uma boa opção para dividir uma garrafa, atuando como “conciliador”.

Essa crescente demanda pelos blends também gera curiosidade nos recentes amantes da bebida dos deuses sobre o que faz um vinho ser classificado com esse termo, e qual é a diferença dele dos demais.

Na realidade, blend (em inglês), assemblage (em francês) e corte (em português) são denominações diferentes para a mesma técnica, que consiste em utilizar diversas uvas (seja de outras safras ou variedade) para fazer o vinho.

Com isso, as nuances de sabor geram composições únicas, que podem trazer uma experiência mais positiva ao degustar a bebida.

Quer saber mais sobre esse tipo de vinho? Hoje vamos explicar tudo que todo apreciador deve saber sobre os blends!

Tudo o que você precisa saber sobre Vinho Blend

O que é corte, varietal e blend?

Vinho blend

Comumente, achamos que vinho de corte e vinho blend são duas modalidades diferentes dessa bebida, porém, esses dois nomes remetem ao mesmo processo: misturar variedades de uvas ou diversas safras durante o processo produtivo.

Como dito, a denominação blend vem do inglês; já corte, do português e vinhos assemblage, do Francês. Já o vinho varietal é o oposto dos anteriores, ou seja, é usar apenas um tipo de uva para fabricar a bebida.

Em resumo, ao contrário dos nomes que são mais conhecidos – que fazem referência às espécies das uvas, esses são termos que dizem respeito à composição e forma como foram fabricados.

Então, podemos definir da seguinte maneira:

  • Vinhos de Corte, Vinhos Blend ou Vinhos Assemblage: Utilizam diferentes tipos ou safras de uva em sua fabricação.
  • Vinho Varietal: Tem sua produção derivada de apenas uma espécie de uva.

Porém, essas são definições simples destes conceitos, já que, muitas vezes, realizamos a falsa associação de que os blends são formados através de misturas aleatórias e os varietais são compostos totalmente de uma única casta de uva.

Contudo, na prática esses termos são apenas para classificar metodologias de fabricação e a composição principal da bebida, mas há chances de, por exemplo, dentro de um Vinho Varietal, há a presença de outra uva para modificar traços não tão favoráveis na hora do consumo, como o excesso de acidez.

Logo, vale a pena explorar um pouco mais sobre o que caracteriza esses tipos de vinho e o que diferencia um dos outros.

Vinho Varietal: É realmente composto de uma só casta?

Em geral, os vinhos varietais não precisam ser compostos de uma só casta.

Na realidade, a principal característica desse tipo de vinho é ser majoritariamente formado por só uma espécie de uva, porém, em alguns casos, pode ser preciso complementar ou modificar traços para que a bebida se torne mais atrativa ao paladar.

Por exemplo, algumas castas são muito ácidas, o que exige realizar pequenas misturas para corrigir esta característica.

Cada país tem uma legislação distinta para determinar se o vinho atende ou não a essa classificação.

No Brasil, o percentual da casta principal deve ser de, no mínimo, 70%, sendo que os outros 30% podem ser compostos de outras espécies de uvas ou safras.

Já no Chile e na Nova Zelândia esse percentual é maior, equivalente a 75%, ainda assim, há países que exigem a maior presença de uma única casta, como a Austrália e África do Sul, que impõe a relação de 85% ou algumas regiões dos Estados Unidos, que apontam a margem de 90%.

Normalmente, ainda que estes sejam os limites legais estabelecidos, os produtores colocam uma quantia menor de mistura.

Ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, o Vinho Varietal surgiu no Novo Mundo, já que no Velho Mundo era mais comum associar às regiões da produção no rótulo, vamos entender um pouco mais dessa história abaixo.

Como surgiu o Vinho Varietal?

Durante a década de 1970, nos Estados Unidos, os principais fabricantes de vinho optaram por escolher colocar o nome das castas utilizadas para fabricação nos rótulos, em especial, para que conseguissem demonstrar mais variedades para o público.

Antes disso, no Velho Mundo, era comum classificar os vinhos de acordo com a região em que ele era produzido, ainda que misturassem mais de uma espécie de uva.

Com essa jogada de marketing, o público passou a identificar as castas que mais o agradava e a experimentar semelhantes.

Hoje em dia, os vinhos varietais mais conhecidos são os derivados das castas Pinot Noir, Carbenet Sauvignon e, para citar um exemplo nacional, Merlot.

Vinhos Assemblage, blend ou corte: Principais características

Agora já conhecemos os detalhes da produção de Vinhos Varietais, então vamos abordar as características dos Vinhos de Corte.

Muitas vezes, as pessoas imaginam que as misturas presentes nesse tipo de bebida são feitas aleatoriamente, sem nenhuma finalidade específica.

Porém, a maior parte dos produtores utilizam castas previamente selecionadas por enólogos, que são acrescentadas em proporções pré-determinadas, com objetivos que podem ser variados, como acrescentar nuances características de uma espécie de uva em composições com outras que os sabores sejam complementares.

Esse tipo de preparo possibilita formar as melhores combinações possíveis, agregando os pontos positivos de cada espécie e atenuando os negativos.

Entretanto, ainda hoje existem produtores mais artesanais que optam por realizar essas composições mais organicamente, criando vinhos assemblage basicamente únicos, já que dificilmente o processo de produção intuitivo pode se repetir sem fórmulas exatas.

Mas, não há só uma forma de fabricar vinhos de corte, há uma variedade de processos que podem ser realizados.

Variedades de Vinho Assemblage

Há algum tempo, era comum plantar diversas variedades de uvas em um mesmo terreno para que as espécies se misturassem organicamente, criando frutos que davam origem ao vinho assemblage. Todavia, hoje em dia o processo mais comum é a mistura após a colheita.

Esse são dois exemplos de como o processo de fabricação dos blends podem ser variados.

Mas, quais são as Variedades de Vinho Assemblage? Descubra a seguir!

Assamblage de Terreno (ou Terroir)

Algumas regiões ficaram famosas por suas safras, como é o caso de Borgonha e Loire.

Ainda que nestes casos são utilizadas apenas uma espécie de uva, são vinhos compostos de misturas, como assim?

Os enólogos podem decidir usar a mesma uva em diferentes versões ou tratamentos, como, por exemplo, a partir de sementes geneticamente modificadas, plantios em solos distintos, mudança na exposição ao sol ou no armazenamento e materiais dos barris.

Tudo isso faz com que haja variações que podem agregar características que a casta original não tinha.

Somente da espécie Pinot Noir existem 45 clones geneticamente modificados aprovados.

Com isso, os vinhos ficam mais ricos e completos, agradando ao paladar do consumidor.

Assamblage de Safras

Na França, a Assamblage de Safras só é permitida para vinhos espumantes – como o Champagne – e os vinhos de reserva – como o Cuvée.

Neste tipo de produção, as fábricas podem misturar diversas safras para manter as características principais esperadas, por isso não vemos o ano da produção nos rótulos desses produtos.

Por que realizar a mistura de castas e tipos de uvas e formar um Vinho Blend?

Uma das dúvidas comuns quanto a produção de Vinhos Blend é o porquê de realizar essas misturas, já que são processos complexos que podem ocultar algumas características das castas usadas.

É justamente por esse motivo que são realizadas essas composições, para criar vinhos mais completos, que agreguem o que há de melhor de cada espécie.

Além disso, esta prática aumenta a variedade de vinhos disponíveis para consumo, já que há tanto a possibilidade de escolher vinhos varietais (que concentram uma porcentagem alta de um único tipo de uva), quanto opções de vinhos assemblage.

As combinações possíveis são inúmeras, assim como as chances de experimentar um novo sabor e nuances e isso se dá pela diversidade de espécies utilizadas no processo produtivo.

Por esses motivos, esta prática está voltando a ganhar destaque no Novo Mundo, posto que já é a mais antiga utilizada, mas havia perdido espaço para as produções que usam somente uma casta principal.

O que é vinho blend vermelho, ou Red Blend?

Como o próprio nome sugere, o vinho blend vermelho, também chamado de Red Blend, é o vinho blend tinto.

As castas de uvas nesse assamblage costumam ser todas de vinhos tintos, porém, em alguma vinícolas artesanais, podem incluir alguma variedade comumente utilizadas em vinhos brancos, mas em menor porcentual.

Os tradicionais rosés não entram nesta categoria, já que são resultados da mescla dos outros dois tipos.

Vinho Blend x Vinho Varietal: Qual o melhor?

O que é melhor: degustar as notas tradicionais de cada casta ou composições complexas com diferentes nuances?

De fato, esse é um tema que pode gerar grande debate entre os enólogos e sommeliers.

Para os defensores dos vinhos varietais, eles são os únicos que apresentarão o gosto verdadeiro daquela casta e remeter ao sabor da terra e clima da região produtora.

Em contrapartida, os amantes do blend argumentam que o processo produtivo que considera os aspectos positivos de cada casta eleva a qualidade do vinho assemblage.

Na realidade, o mercado só se beneficia de ter as duas variedades disponíveis, assim você, amante do vinho, consegue escolher o que mais agrada seu paladar ou harmoniza com seu prato do dia.

Qual os melhores blends?

Vinho blend

Os vinhos blend não só misturam castas e safras, mas também arte e ciência, os resultados desta “alquimia” moderna trouxeram composições que surpreendem o paladar e se tornaram conhecidas como os melhores blends.

Por isso, separamos algumas delas nessa lista:

1 – Cava

Os vinhos Cava só receberam esse nome nos anos de 1970, mas já eram produzidos e populares na sua região.

Anteriormente, eles eram denominados “Champagne”, já que seu criador Josep Raventós Fatjó, da Codorniu, começou a produção em Sant Sadurni d’Anoia, na Espanha em 1872, tendo como inspiração o processo produtivo da renomada região francesa.

Em geral, os vinhos Canva utilizam três castas de uva: Macabeo (variedade predominante), Xarel-lo e Parellada, contudo, também podem usar Grenage, Trepat, Pinot Noir, Chardonnay, Subirat Parent, Monastrell e Grenage.

2 – Priorat

A região de Priorat, na Espanha, sempre teve uma produção de vinhos considerável, entretanto, somente em meados dos 1980, um grupo de produtores decidiu começar a compor grandes tintos na região, inicialmente usando Garnatxa e Carinyena.

Hoje em dia, as principais castas recomendadas para o blend são Carignan e Garnacha, mas em sua lista de permitidas há a presença de Garnatxa Peluda, Picapoll Negre, Carbenet Sauvignon, Carbenet Franc, Pinot Noir, Merlot, Syrah e Ull de Llebre.

3 – Rioja

Os Red Blends Riojanos ganharam fama graças aos Tempranillos, mas sua composição aceita a presença de outras castas, como Graciano, Mazuelo, Garnacha e Maturana Tinta.

4 – Meritage

A palavra Meritage é a combinação em inglês das palavras merit (mérito) e heritage (herança) e foi a selecionada, dentre mais de seis mil opções, em concurso realizado nos anos 1980.

Um vinho tinto Meritage é composto de duas ou mais variedades consideradas nobres de Bordeaux, sendo que nenhuma delas pode estar presente em mais de 90% da bebida, já que, neste caso, o vinho se tornaria varietal.

5 – Vinho Verde

O Vinho Verde é originário da região do Minho, em Portugal. Sua principal casta é a Alvarinho, que compõe este blend.

6 – Porto

Mais um exemplar português, o conhecido Vinho do Porto pode ter em sua composição uma variedade de cepas, ainda mais considerando que na região ainda há a presença de Safras Velhas, que são formadas por safras não identificadas.

Hoje em dia, as cepas mais utilizadas são Gouveio, Donzelinho, Viosinho e Mavasia Fina (para blends brancos) e Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Francesa, Toriga Nacional, Tinta Amarela e Tinto Cão (para red blends).

7 – Provence

As principais produções de Provence são de Blends, inclusive para os famosos vinhos rosés.

As castas utilizadas para os vinhos tintos são: Cinsault, Syrah, Mourvédre, Carignan, Carbenet Sauvignon, Tibouren e Grenache.

Já para os brancos, as que mais fazem parte da composição são: Ugni Blanc, Sémillon, Grenache Blanc e Rolle.

Os rosés, por sua vez, são formados pela mistura dos tintos com os brancos.

8 – Alentejo

Apesar de a região portuguesa de Alantejo ser conhecida por seus varietais, boa parte de sua produção é de blends.

Dentre os brancos, as principais castas utilizadas incluem Sauvignon Blanc, Fernão Pires, Perrum, Arinto, Antão Vaz e Roupeiro.

Enquanto que nos tintos são encontradas Aragonez, Castelão, Alfrocheiro, Alicante Bouschet e Carbenet Sauvignon.

9 – Alsácia Gentil

Na década de 1920, Gentil era a denominação para uma mescla de castras plantadas em uma mesma parcela de terra que eram, com frequência, colhidas juntas.

Recentemente, esse nome foi ressignificado para caracterizar blends com uma mistura específica, que deve envolver, pelo menos, 50% da composição de Muscat, Riesling, Pinot Gris e/ou Gewürztraminer e a outra metade pode usar Chasselas, Sylvaner e/ou Pinot Blanc.

10 – Champagne

Sem dúvidas, Champagne é a região que abriga os mais tradicionais blends, que, embora só usem três castas de uva (Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier), a diversidade de safras faz com que sejam criadas inúmeras composições, nuances e sabores.

Champagne também é lembrada pelos vinhos de reserva, porções que são separadas a cada safra para que, no futuro, se misturem com as safras posteriores, com isso o sabor original é preservado sem sofrer com as alterações do tempo.

Ademais, nessa região estão os principais especialistas da área, já que são necessários anos de experiência para conseguir unir da melhor forma possível as castas tradicionais.

11 – Bordeaux

Os blends bordalês são referência em todo mundo para produção de vinhos, e também usam, majoritariamente, somente três castas: Cabernet Sauvignon, a Merlot e a Cabernet Franc, sendo a mais plantada na região a Merlot.

Já nos blends brancos, a composição é, em sua maioria, feita com as cepas Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle.

Por exemplo, o vinho blend das sub regiões à margem esquerda do rio Gironde, como Médoc e Graves, usam, principalmente o Cabernet Sauvignon, já à direita, a composição usa, em sua maioria, o Merlot.

12 – Rhône

Nessa região francesa, os vinhos brancos costumam usar as castas Roussanne, Marsanne e Viognier.

Já os tintos contam com uma imensa variedade de castas em seu catálogo, que vão desde Bourboulenc até Ugni Blanc.

13 – Chianti

A “Receita Original de Chianti” é atribuída a Bettino Ricasoli, que escreveu uma carta em 1872, onde descrevia uma mistura de 70% de Sangiovese, 20% de Canaiolo e 10% de Malvasia ou Trebbiano.

Hoje em dia, as castas utilizadas são: Canaiolo, Colorino, Sangiovese e Cabernet Sauvignon.

14 – Amarone della Valpolicella

A produção mais tradicional de Amarone Della Valpolicella utiliza as castas Corvina e Rondinella, mas também podem ser usadas, em proporções menores, outras variedades da região de Verona.

15 – Supertoscanos

Essa denominação foi criada para os vinhos que não podiam ser chamados de Chianti, pois usavam a casta Sangiovese, mas possuíam o mesmo padrão de excelência.

Atualmente, as produtoras mantêm as castas tradicionais com esta adição.

Quais as principais castas para blends?

Vinho blend

As castas utilizadas para a fabricação dos blends mudam de acordo com a região.

Como exemplificado acima, na lista dos melhores vinhos blends, as regiões das produções influenciam muito nesse posto.

Por exemplo, Portugal, que é o segundo maior país do mundo em número de castas próprias, possui cerca de 241 documentadas, sendo as principais delas Aragonez, Castelão, Alfrocheiro, Alicante Bouschet e Carbenet Sauvignon, na região de Alentejo e Gouveio, Donzelinho, Viosinho e Mavasia Fina (para blends brancos) e Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Francesa, Toriga Nacional, Tinta Amarela e Tinto Cão (para red blends), em Porto.

Já na França, os mais usados são Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot.

Dicas de harmonia

Vinho blend

Não há nada mais prazeroso do que encontrar a harmonia perfeita entre o sabor da refeição e do vinho escolhido, somente quem já teve a oportunidade de experimentar essa sensação sabe como tanto o gosto da comida, quanto da bebida são expressos em sua melhor versão.

Então, vamos apresentar qual a melhor harmonização com cada tipo de alimento:

1 – Queijos

Os queijos são os principais companheiros de uma boa taça de vinho, já que o sabor marcante da bebida tende a mascarar o de alimentos mais sutis.

Então, se for optar por um merlot tinto leve, opte por queijos macios, como brie ou o camembert.

Caso sua escolha seja vinhos encorpados, a combinação ideal é com queijos duros, como o gorgonzola ou parmesão.

2 – Carnes

Em geral, as carnes vermelhas são as mais indicadas para acompanhar um bom vinho blend

Quanto mais gordurosa a carne, mais encorpado deve ser o vinho, quanto menos gordurosa, mais suave.

3 – Peixes

Embora os peixes sejam tradicionalmente associados aos blends brancos, também é possível combiná-los com red blends, especialmente aqueles com gosto marcante, como o bacalhau.

4 – Massas

A harmonização dos vinhos com a massa se relaciona, principalmente, com o tipo de molho escolhido.

Os brancos costumam pedir uma bebida mais suave, já os vermelhos, como a tradicional bolonhesa, harmonizam com os que tem mistura de Carbenet Suavignon.

5 – Legumes

Geralmente, pratos com legumes, como o ratatouille, tem seus sabores ressaltados com vinhos blends brancos, porém, os tintos suaves podem ser usados se os molhos do preparo forem marcantes.

Estas são as principais formas de combinar os vinhos com o prato principal, entretanto, há combinações fora desse padrão que também são consideradas harmoniosas, como aves e vinhos blend branco.

Os vinhos blends, também chamados de vinhos de corte ou vinho assemblage, são opções cujos sabores carregam nuances de várias castas, remetem a uma tradição mais antiga do que homogeneizar, que é conseguir, a partir da diversidade, combinações únicas.

Talvez, o que faça dos vinhos assemblages especiais, é o conhecimento tão grande das cepas, que são capazes de incorporar todas suas qualidades em uma bebida especial.

Gostaria de combinar um blend com seu prato predileto? Veja as ofertas:

 

O tinto francês blend de Bordeaux

Grand Vin de Bordeaux Château Les Berthets Blaye Côtes de Bordeaux 2017:

Robusto e com maturidade em boca; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas de cerejas pretas maduras e ervas; Harmonização: Carré de cordeiro, risoto de cogumelos, strogonoff de carne

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend de Puente Alto

Almaviva 2019:

Encorpado, frutas maduras com nuances do tempo em barrica, opulento, suculento, volumoso, equilibrado, taninos polidos e firmes, acidez refrescante, final persistente e complexo; Produtor: Almaviva; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Carménère, Cabernet Franc, Petit Verdot e Merlot (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e pretas maduras, com destaque para framboesa, cassis, mirtilo e morango, delicados toques de café, terra, nuances de especiarias, ervas e mineral; Harmonização: Risoto de funghi, picanha ao molho balsâmico, filé mignon com manteiga de ervas e batatas ao murro

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend multirregional

El Sotillo Selección Tinto:

Frutado, equilibrado, agradável e fácil de beber; Produtor: J. García Carrión; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Garnacha e Tempranillo (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas, com toques de alcaçuz; Harmonização: Queijos amarelos, pizzas, carne assada com batatas

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Vêneto

Biscardo Neropasso Originale 2019:

Aveludado, taninos macios, final persistente; Produtor: Mabis; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Corvinone, Corvina e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa em compota, cereja preta, morango e especiarias; Harmonização: Nhoque ao molho sugo, ravioli recheado com mussarela de búfala

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Terre Blanque AOC Bordeaux Rouge 2020:

Taninos macios, um corpo carnudo, final longo, aromático e frutado; Produtor: Sarl Vignobles Falgueyret Léglise; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas frescas e frutadas de morango, hortelã, groselha e uma pitada de flor violeta; Harmonização: Linguiça cuiabana com batata rústica, carne seca com abóbora e nhoque ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Pavillon Saint Pierre Réserve AOC Côtes-du-Rhône 2019:

Corpo médio para encorpado, frutado com nuances de especiarias, taninos bem integrados, acidez agradável; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Syrah, Mourvèdre, Carignan, Marselan e Grenache (vinho blend); Nariz: Frutas negras, especiarias, ervas finas; Harmonização: Mignon ao molho poivre, bisteca suína com gratina de batatas, risoto de arroz vermelho e cogumelos, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Valle Central

Santa Magdalena Red Blend Valle Central DO 2021:

Macio e delicado; Produtor: Bodegas Tagua Tagua; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas de frutas pretas, com nuances de pimenta e azeitona; Harmonização: Espaguete à bolonhesa, carnes grelhadas, queijos macios

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maule

Puro Maule Red Blend Special Collection 2021:

Frutado, equilibrado, estruturado, de média intensidade, e com taninos agradáveis; Produtor: Chilean Wines Company; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e pretas maduras, como morango; Harmonização: Carnes vermelhas, massas, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Maison Bouachon Les Rabassières AOC Côtes-Du-Rhône 2020:

Corpo médio para encorpado, equilibrado, frutado com nuances de especiarias, taninos macios, acidez média para alta que lhe confere excelente frescor; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Carignan e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas como morango, groselha e framboesa, especiarias, notas de pimenta e hortelã; Harmonização: Costelinha suína, maminha grelhada com batatas rústicas, cogumelos recheados, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

La Conquista Winemaker Selection Red Blend 2021:

Elegante, com bom equilíbrio, e taninos macios e maduros; Produtor: Bodegas De Aguirre; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas maduras, com destaque para ameixas; Harmonização: Massas ao sugo, carnes vermelhas, queijos macios

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Médoc (Bordeaux)

Château Plagnac AOC Médoc 2018:

Um vinho bem estruturado, saboroso, encorpado e com taninos firmes; Produtor: Château Plagnac; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas em compota, geléia de morango, especiarias, cravo e um toque de tostado; Harmonização: Escalope de mignon ao molho de frutas vermelhas, boeuf bourguignon, ravióli recheado com queijo brie e nozes

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maule

Reyna Gran Reserva Cabernet Sauvignon Syrah Nebbiolo Valle del Maule DO 2019:

Frutado, elegante e harmonioso, com taninos macios e nuances de café tostado; Produtor: Bodegas Tagua Tagua; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Syrah e Nebbiolo (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e pretas maduras, com notas florais, amadeiradas, de cassis, cacau e tabaco; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas recheadas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Altos del Condor Tinto 2021:

Vinho jovem, corpo de leve para médio, frutado, taninos macios, fresco; Produtor: Grupo Peñaflor; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Malbec e Tempranillo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, sutis notas de especiarias e violeta; Harmonização: Empanadas de carne, iscas de filé acebolado, espaguete ao sugo, arroz carreteiro, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Fronsac (Bordeaux)

Château Lalande Mausse AOC Fronsac 2018:

Redondo, acidez equilibrada, frutado e final persistente; Produtor: Château Lalande Mausse; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas e notas amadeiradas; Harmonização: Penne com ragu de pato, carré de cordeiro, risoto de brie e queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto americano blend da Califórnia

Apothic Crush 2018:

Frutado, médio corpo, taninos presentes, boa acidez, doçura discreta; Produtor: Apothic; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Petite Sirah, Teroldego, Pinot Noir e Zinfandel (vinho blend); Nariz: Frutas maduras, baunilha, especiarias, chocolate; Harmonização: Risoto de pepperoni com queijo, churrasco, filé à parmegiana, costelinha suína, comida mexicana, frango teriyaki

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Vêneto

Cesari Amarone Della Valpolicella Classico DOCG 2016:

Encorpado, cheio em boca, notas de frutas maduras e final longo; Produtor: Gerardo Cesari; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Corvina Veronese, Rondinella e Molinara (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas maduras e geleia de frutas; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Cachapoal

Vik 2015:

Encorpado, complexo, frutado com nuances de especiarias, tosta e ervas, sedoso, equilibrado, taninos maduros e final elegante; Produtor: Vik; Teor alcoólico: 14,2%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e negras maduras, com aporte de especiarias, herbáceo, notas de tabaco e tosta; Harmonização: Mignon ao molho madeira com purê de mandioquinha, bife ancho com legumes, costela no bafo, risoto de cogumelos, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Sayanca Red Blend 2021:

Elegante, de corpo médio, taninos macios e final persistente; Produtor: Finca Agostino Hnos; Teor alcoólico: 12,7%; Uva: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Complexo, com notas de frutas vermelhas e pretas maduras, e nuances de especiarias, azeitonas pretas e tabaco; Harmonização: Talharim ao sugo, medalhão de filé mignon, tábua de frios

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Ti Rita Regional Lisboa 2020:

Um vinho jovem, corpo leve para médio, frutado, taninos aveludados, acidez média que lhe confere bom frescor; Produtor: Parras Wines; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Aragonez, Touriga Nacional e Castelão (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e negras; Harmonização: Risoto de linguiça, frango assado, nhoque ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maipo

Vistamar Selected Lots DO Valle del Maipo Cab Sauv Syrah 2018:

Apresenta uma acidez agradável com taninos elegantes e aveludados; Produtor: Viña Vistamar; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Syrah e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas maduras, cereja preta e cacau; Harmonização: Carne assada com molho de ervas, lombo suíno assado com geleia de frutas pretas, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Setúbal

Casa Portuguesa Vinho Regional Península de Setúbal Tinto 2021:

Redondo, taninos macios, acidez marcante e toques frutados; Produtor: José Maria da Fonseca; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Castelão e Trincadeira (vinho blend); Nariz: Expressivo, com notas de frutas vermelhas e ervas; Harmonização: Churrasco, espaguete à bolonhesa, tábua de queijos leves

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Alentejo

Encostas de Estremoz Pródigo 2014:

Frutado, médio corpo, acidez agradável, taninos presentes, tabaco; Produtor: Encostas de Estremoz; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Touriga Nacional e Touriga Franca (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, violeta, baunilha, pimenta; Harmonização: Risoto de mignon, carré de cordeiro, costela suína, churrasco, talharim com molho quatro queijos, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Chateau Terrasson Bordeaux Côtes de Francs AOC 2006:

Redondo, harmônico, equilibrado, acidez bem integrada, taninos finos; Produtor: Earl Lavau; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Expressivo, com notas de frutas secas, especiarias doces, tabaco e couro; Harmonização: Queijo Provolone, entrecôte ao molho bordelaise, costela assada

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Utiel-Requena

Vega Libre Tinto Bobal – Tempranillo 2020:

Equilibrado e fresco, com taninos macios e redondos; Produtor: Bodegas Murviedro; Teor alcoólico: 11,5%; Uvas: Bobal e Tempranillo (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas maduras; Harmonização: Massas, carnes vermelhas grelhadas, legumes grelhados e risotos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Les Hauts de Barville Châteauneuf-du-pape 2017:

Encorpado e aveludado, traz taninos jovem mas macios, e envoltos por uma acidez suculenta, com sabores de frutas maduras e nuances minerais que persistem no seu longo final; Produtor: Maison Brotte; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Ricamente frutado, com aromas de morango, framboesa e ameixa, sobre notas de especiarias, trufas, alcaçuz e toques de vegetação rasteira; Harmonização: Filé de avestruz com redução de Porto, entrecôte ao molho tapeanade, ravióli de berinjela com recheio de cogumelo ao molho de manjericão e castanha, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

Bodega Vieja Tinto Suave:

Suave, levemente adocicado e fácil de beber; Produtor: Bodega Vieja; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Carménère, Merlot e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas que lembram frutas vermelhas maduras, com notas de caramelo e geleia de pêssego; Harmonização: Massas com molho intenso, carnes vermelhas e queijos, principalmente azuis

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Languedoc-Roussillon

Château des Aladères A.O.P. Corbières Carignan Grenache 2016:

Intenso, redondo, taninos finos, com longa persistência; Produtor: Château de Lastours; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Carignan, Syrah, Grenache e Cinsault (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas maduras (pequenas frutas vermelhas, groselha e até creme de groselha); Harmonização: Frango assado recheado com farofa, lombo defumado ao molho de ervas, legumes grelhados

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maipo

Almaviva EPU 2018:

Encorpado, redondo, equilibrado, frutado, suculento, textura macia, taninos maduros, acidez média que lhe confere agradável frescor, final longo e complexo; Produtor: Almaviva; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Carménère, Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Intensos aromas de frutas vermelhas e negras maduras como morangos silvestres, cassis e amoras, toques herbáceos, alcaçuz, especiarias e notas de café; Harmonização: Bife angus na parrilla, risoto de funghi, talharim com ragu de costela e queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Languedoc-Roussillon

Domaine de Lastours A.O.P. Corbières Syrah Grenache 2019:

Delicado, com taninos macios, confirmando os aromas no retro gosto; Produtor: Château de Lastours; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Syrah, Grenache e Carignan (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas vermelhas, cereja, framboesa e amora, alcaçuz e um toque herbáceo; Harmonização: Filé mignon ao molho madeira, lombo suíno ao molho de frutas vermelhas, hambúrguer de cogumelos

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Utiel-Requena

Valtier Gran Reserva Utiel-Requena DOP 2014:

Início agradável e delicado, com boa estrutura, taninos integrados, e toques de baunilha, canela, alcaçuz e pimenta; Produtor: Hacienda y Viñedos Marqués Del Atrio; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Tempranillo e Bobal (vinho blend); Nariz: Expressivo, com notas de compota de frutas maduras e nuances balsâmicos e tostados; Harmonização: Queijos curados, cordeiro assado com batatas, polpetone recheado, croquetas de Jamón

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Portada Reserva Vinho Regional Lisboa 2020:

Complexo, estruturado, saboroso e frutado; Produtor: DFJ; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah/Shiraz, Caladoc e Tannat (vinho blend); Nariz: Aromático, com notas intensas de frutas vermelhas maduras; Harmonização: Cozido à portuguesa, bacalhau ao forno, queijo Emmental

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Fonréaud Listrac-Médoc AOC 2012:

Taninos firmes, encorpado, potente, cheio em boca; Produtor: Château Fonréaud; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, notas florais e de especiarias; Harmonização: Carré de cordeiro, costela de boi, queijos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale de Rhône

Maison Bouachon Duc de Montfort A.O.C. Gigondas 2019:

Corpo médio para encorpado, elegante, frutado com nuances de tosta e especiarias, taninos macios, acidez agradável, final longo; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas negras como cassis e groselha, toques de defumado, tosta, especiarias e chocolate; Harmonização: Costela de cordeiro com molho de hortelã, risoto de funghi, massa all’amatriciana

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Rive Droite A.O.C. Lirac 2019:

Complexo, redondo, taninos macios, boa persistência; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Syrah, Grenache, Mourvèdre e Cinsault (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas negras e vermelhas, especiarias e alcaçuz; Harmonização: Risoto de presunto parma, copa lombo de porco com mandioquinha, quibe de abóbora com ervas frescas

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Douro

Pacheca Raízes Tinto Reserva Douro DOC 2018:

Rico, potente, refrescante e persistente, com taninos redondos e aveludados; Produtor: Quinta da Pacheca; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz (vinho blend); Nariz: Complexo, com notas de ameixas e groselhas maduras, toques de café e chocolate preto; Harmonização: Cozido à portuguesa, cabrito ao forno, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Douro

Pacheca Raízes Tinto Douro DOC 2020:

Estruturado, bem equilibrado, com acidez refrescante e taninos redondos, final longo e persistente; Produtor: Quinta da Pacheca; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca (vinho blend); Nariz: Elegante e frutado; Harmonização: Alheira, arroz de pato, queijo Serra da Estrela

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Valpolicella (Vêneto)

Monti Garbi Superiore D.O.C. Valpolicella Ripasso 2018:

Corpo médio para encorpado, intenso, frutado com nuances da barrica, bem estruturado, taninos macios, boa acidez, delicada doçura; Produtor: Tenuta Sant’Antonio; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Oseleta, Corvinone, Rondinella e Croatina (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, especiarias, amadeirado; Harmonização: Filé ao molho de morangos, espaguete à putanesca, costelinha suína ao molho barbecue, nhoque de abóbora com cogumelos na manteiga de sálvia, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto brasileiro blend de Santa Catarina

Joaquim Cabernet Sauvignon-Merlot 2018 375mL:

Bom corpo, equilíbrio e persistência, com taninos carnudos e acidez agradável; Produtor: Villa Francioni; Teor alcoólico: 13,2%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Boa intensidade aromática, lembrando frutas frescas, amoras e ameixas, com notas herbáceas e especiadas; Harmonização: Cordeiro, avestruz, massas com molhos não muito condimentados, queijos de média maturação

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Nieto Senetiner Blend Collection Malbec – Cabernet Franc – Verdot 2020:

Corpo médio, taninos macios e final persistente; Produtor: Nieto Senetiner; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Malbec, Cabernet Franc e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e pretas, ervas e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas assadas, massas recheadas, risotos, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Rocca Chianti DOCG 2020:

Equilibrado e harmonioso, com taninos macios; Produtor: Angelo Rocca & Figli SRL; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Sangiovese, Canaiolo e Trebbiano Toscano (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e notas mentoladas; Harmonização: Massas, carnes vermelhas assadas, risotos, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Fran Blend 2021:

Macio, sedoso, final agradável; Produtor: Nieto Senetiner; Teor alcoólico: 13,1%; Uvas: Malbec, Syrah e Bonarda (vinho blend); Nariz: Ameixas pretas, baunilha, chocolate, pimenta preta e louro; Harmonização: Bife Ancho com chimichurri, pimentão recheado com carne moída, lomo saltado

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Bordeaux

Château La Govinière Cuvée Prestige Lussac Saint-Emilion AOC 2020:

Redondo, macio, final longo; Produtor: Vignoble Charpentier; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas; Harmonização: Massas com molho ao sugo, queijos maduros, pizzas de sabores variados

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Península de Setúbal

Serras de Azeitão Seleção do Enólogo Tinto 2020:

Frutado, corpo leve para médio, fresco, taninos sedosos; Produtor: Bacalhôa Vinhos de Portugal; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Aragonez e Alicante Bouschet (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas como cereja e framboesa, sutis notas de especiarias; Harmonização: Creme de abóbora com carne-seca, bife a rolê, berinjela empanada com queijo

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend de Valle del Cachapoal

Vik 2014:

Sedoso, fino, com excelente corpo e complexidade, taninos maduros e final elegante; Produtor: Vik; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Franc, Carménère, Merlot, Syrah e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e negras maduras, com aporte de especiarias, notas de tabaco e tosta; Harmonização: Stinco de cordeiro em redução do próprio molho, risoto de cogumelos, bife ancho com legumes, mignon ao molho madeira com purê de mandioquinha, plateado chileno, carne vermelha na brasa

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Joseph Pellerin Reserve A.O.C. Côtes-du-Rhône 2020:

Corpo médio para encorpado, estruturado, frutado com nuances de especiarias, taninos macios, acidez média para alta que lhe confere bom frescor; Produtor: Joseph Pellerin; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Ameixa, amora, cereja, defumado, especiarias; Harmonização: Carne de panela com batatas, pizza de lombo defumado, penne com ragu de linguiça, lasanha de berinjela, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maipo

Peñalolen Azul 2017:

Marcante, robusto, fresco e frutado; Produtor: Jean-Pascal Lacaze; Teor alcoólico: 14,9%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cereja e ameixa com sutis notas de hortelã e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas assadas e massas com molhos

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Douro

Exemplo Douro DOC 2020:

Bom frescor, maciez e acidez equilibrada; Produtor: Caves Santa Martha; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca e Touriga Nacional (vinho blend); Nariz: Notas de especiarias e frutas vermelhas; Harmonização: Queijos curados e carnes vermelhas e de caça

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Puglia

Via Mare Sangiovese Primitivo Puglia IGT 2020:

Paladar cheio, intenso e frutado, com taninos redondos; Produtor: Cielo e Terra; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Sangiovese e Primitivo (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas maduras e notas de especiarias; Harmonização: Fraldinha assada com batatas, orecchiette com ragu de carne, berinjela à parmegiana, queijo Provolone

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Solis Terra Séguret A.O.P. Côtes du Rhône Villages 2019:

Elegante, taninos macios e final longo; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas delicados de frutas vermelhas e especiarias doces; Harmonização: Vegetais ao curry, frango à provençal, cogumelo Portobello recheado, almôndegas ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Solis Terra Plan de Dieu A.O.P. Côtes du Rhône Villages 2019:

Robusto, intenso, equilibrado e final persistente; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache, Mourvèdre e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, cerejas e notas picantes; Harmonização: Kafta de carneiro grelhado, picanha no forno, polpetone, steak au poivre, arroz de pato

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Nieto Senetiner Fran Blend 2021:

Macio, sedoso, final agradável; Produtor: Nieto Senetiner; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Syrah e Bonarda (vinho blend); Nariz: Chocolate, pimenta preta, louro, ameixa; Harmonização: Massas ao sugo, pizzas de sabores variados, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Extremadura

La Llave Roja Vino de la Tierra de Extremadura IGP 2019:

Fresco, frutado, macio e fácil de beber; Produtor: Bodegas Carlos Plaza; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Tempranillo e Syrah (vinho blend); Nariz: Notas de frescas, menta, frutas pretas, morangos, nuances de geleia; Harmonização: Lasanha de shimeji, pizza de pepperoni, caponata de berinjela

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Alentejo

Vinha da Serra Brava Regional Alentejano 2018:

Complexo, encorpado, taninos firmes e macios; Produtor: Ravasqueira; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Aragonez, Touriga Nacional e Viognier (vinho blend); Nariz: Aromas de frutos do bosque, mentol, tosta e cedro; Harmonização: Filé mignon ao molho de gorgonzola, bombom de alcatra ao molho madeira, frango guisado, risoto de funghi porcini

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Extremadura

La Llave Roja 8 Meses En Barrica Vino de la Tierra de Extremadura IGP 2014:

Intenso, elegante, equilibrado, persistente; Produtor: Bodegas Carlos Plaza; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Tempranillo, Syrah e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas de baunilha, cacau, pimenta, e frutas vermelhas maduras; Harmonização: Torta de carne com pimenta biquinho, Paella Valenciana, chocolate amargo

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Grand Jour Côtes de Bourg AOC 2016:

Harmonioso, fresco e sedoso, com taninos finos e elegantes; Produtor: Lamont Financière; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas maduras; Harmonização: Espaguete à bolonhesa, queijos semi-duros, maminha assada com batatas

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Roncalla Tradizione Chianti DOCG 2019:

Frutado, com ótima acidez, taninos macios e final longo; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Sangiovese, Canaiolo e Ciliegiolo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas em geleia, toques de violeta; Harmonização: Espaguete ao molho sugo, lasanha, ossobuco

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Villa D’Ancona Piocaia Rosso di Toscana 2019:

Delicado, persistente, com longo final; Produtor: Fattoria Villa D’Ancona; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Sangiovese e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas com toques balsâmicos; Harmonização: Carnes grelhadas, pizzas quatro queijos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Les Charmeraies Bordeaux AOC 2019:

Redondo, intenso, frutado; Produtor: Castel; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas frescas e amoras maduras; Harmonização: Carnes vermelhas, queijos madurados, massas com molho ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Priorat

Laurentia D.O.Q. Priorat 2018:

Encorpado, potente, bem equilibrado e final longo; Produtor: Cellers Unió; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Carignan e Garnacha (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, tostado, cacau e uva passa; Harmonização: Guisado de carne, frango recheado de ameixas secas e pinhão, morcela e tapenade de azeitonas pretas

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Anciano Malbec-Viognier 2020:

Taninos doces, boa estrutura, complexidade e final longo; Produtor: La Agrícola; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Malbec e Viognier (vinho blend); Nariz: Figos, ameixas, amoras, camomila e tília; Harmonização: Churrasco, Arroz Pilaf, Queijo Pecorino

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Provence

Domaine de Saint Ser Cuvée Tradition 2014:

Encorpado. Notas de frutas negras maduras e toques de especiarias. O final é longo com aromas de cereja; Produtor: Domaine de Saint Ser; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Syrah e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Intensas notas de frutas vermelhas e negras de tipo amoras; Harmonização: Cordeiro, costela de porco e carne vermelha grelhada

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

ZioBaffa Toscana IGT 2017:

Corpo médio, taninos finos e presentes, muito fresco; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12,4%; Uvas: Sangiovese e Syrah (vinho blend); Nariz: Perfume elegante e frutado, com notas de violetas; Harmonização: Carnes vermelhas, massas e queijos

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend multirregional

La Heredada Tempranillo Garnacha 2020:

Redondo e estruturado; Produtor: Bodegas Manzanos; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Tempranillo e Garnacha (vinho blend); Nariz: Aromas intensos de frutas vermelhas e pretas maduras; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, massas à bolonhesa, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

La Poderosa Cabernet Franc Merlot 2021:

Rica acidez, taninos sedosos, toques frutados e final equilibrado; Produtor: Bodega Del Fin Del Mundo; Teor alcoólico: 14,1%; Uvas: Cabernet Franc e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas com toques de especiarias; Harmonização: Bife de alcatra salteado na manteiga de ervas, tábua de queijos e embutidos, pizza de calabresa

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Múrcia

Baron de Beldon Vino Tinto 2020:

Saboroso, agradável e frutado, com corpo médio, acidez equilibrada e boa persistência; Produtor: Bodegas Bastida; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Monastrell e Tempranillo (vinho blend); Nariz: Intenso, com notas de frutas vermelhas, mentol e flores; Harmonização: Queijo Manchego com Jámon Serrano, tortilha de batata com carne moída, pernil de cordeiro assado com alecrim

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Anciano Malbec Cabernet Franc 2020:

Redondo e intenso, com notas de frutas pretas maduras e taninos marcados; Produtor: Anciano Wines; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Malbec e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cereja, ameixa, geleia, folhas de tomateiro e especiarias; Harmonização: Maminha assada na manteiga, charuto de folha de uva, rigatoni ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Travessia Tinto by Jaws:

Elegante, macio, redondo, com corpo leve e frutado; Produtor: Casa Agrícola Paciência; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Castelão e Tinta Roriz (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas maduras; Harmonização: Carnes vermelhas e brancas, queijos, pratos da culinária portuguesa

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

M. Chapoutier Châteauneuf-du-Pape AOP 2016:

Muito intenso e encorpado, com notas de especiarias e couro; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas complexos de frutos vermelhos maduros; Harmonização: Carne vermelha, carne de caça, ensopados e cozidos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Domaine Charvin Châteauneuf Du Pape Rouge 2017:

Suculento, fresco e frutado e apresenta um final agradável, macio e elegante; Produtor: Domaine Charvin; Teor alcoólico: 15,33%; Uvas: Grenache, Syrah, Mourvèdre e Vaccarèse (vinho varietal); Nariz: Notas de alcaçuz, frutas vermelhas e pretas maduras, terroso e ervas; Harmonização: Cordeiro, T-Bone e costelas de porco

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

Rawen Cabernet Sauvignon-Carmenère Estate Bottled 2020:

Harmonioso, elegante e macio; Produtor: Viña Ravanal; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Carménère (vinho blend); Nariz: Notas de frutas vermelhas e pretas maduras, pimenta preta e toques herbáceos; Harmonização: Chili com carne e tortillas, pimentão recheado com carne moída, queijo Parmesão

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Foral D. Henrique Reserva Dão DOC 2017:

Paladar equilibrado, taninos sedosos e final longo; Produtor: Adega Cooperativa Mangualde; Teor alcoólico: 12,7%; Uvas: Touriga Nacional, Jaén e Aragonez (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de compota de frutos silvestres e notas de especiarias; Harmonização: Filet ao 4 queijos, risoto siciliano, queijo feta e pecorino

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Molino di Sant’Antimo Asso Toscana IGT 2018:

Complexo, estruturado, com taninos macios e final longo; Produtor: Molino di Sant’Antimo; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Sangiovese e Merlot (vinho blend); Nariz: Cereja, ameixa, baunilha e ervas secas; Harmonização: Massa com molho de tomate, lombo assado, carne de panela e queijo Parmesão

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Saint-Bonnet Médoc AOP 2017:

Saboroso, aveludado, acidez agradável e taninos intensos; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas intensos de groselha e cacau; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas ao molho vermelho

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend multirregional

Manada Winemaker Selection Red Blend:

Elegante e equilibrado, com taninos macios e maduros; Produtor: Bodegas Y Viñedos de Aguirre; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Frutas frescas e ameixa; Harmonização: Carne seca na moranga, talharim ao sugo, queijos de pasta mole

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Rioja

Señorio De Prayla Rioja DOCa 2019:

Estruturado e encorpado, frutado, toque picante; Produtor: Marqués del Atrio; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Tempranillo e Mazuelo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, com toque picante e sutis aromas florais; Harmonização: Carnes vermelhas ou de caça assadas, queijos variados

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Priorat

Clos Gebrat Priorat DOCa 2019:

Fresco com corpo médio, sabor de frutas maduras e ervas, e notas minerais e apimentadas; Produtor: Vinicola Del Priorat; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Carignan, Cabernet Sauvignon, Garnacha e Merlot (vinho blend); Nariz: Aroma apimentado e terroso com toques de groselha preta, mirtilo e ervas; Harmonização: Ravioli de Cordeiro com funghi, feijão branco com linguiça, nhoque com Gorgonzola

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Puglia

Gran Maestro Rosso Appassimento Puglia IGT 2019:

Aveludado, elegante, intenso, taninos macios, final persistente; Produtor: Cielo e Terra; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Sangiovese e Primitivo (vinho blend); Nariz: Aromas de cereja, canela, folhas secas; Harmonização: Queijo Parmesão, rabada, costela suína defumada

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Goulart B Black Legion Special Blend Old Vines 2019:

Frutado, elegante, de corpo médio e final redondo; Produtor: Bodega Goulart; Teor alcoólico: 14,2%; Uvas: Malbec e Cabernet Franc (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas com toques de cassis, geléia de cereja, canela e chocolate; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas ou assadas, pizzas e queijos

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

Reyna Cabernet Sauvignon-Merlot Central Valley D.O. 2020:

Notas de ameixa seca, tabaco e cassis, baixa acidez, taninos marcados; Produtor: Bodegas Tagua Tagua; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Aromas de chocolate, couro seco e cassis; Harmonização: Carnes vermelhas, massas ao sugo, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

Fielo Cabernet Sauvignon-Merlot Valle Central D.O. 2020:

Redondo, equilibrado e com corpo médio; Produtor: Bodegas Tagua Tagua; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Expressivo e frutado, com notas intensas de framboesas e cerejas; Harmonização: Espaguete à bolonhesa, chilli com carne, charcutaria, queijos semi-duros, como Gouda e Gruyère

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Mendoza

Goulart R Reserva Malbec-Cabernet Sauvignon Single Vineyard Old Vines 2019:

Equilibrado, frutado, com taninos elegantes e notas de pimenta seca e cacau; Produtor: Bodega Goulart; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Malbec e Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Elegante combinação de frutas pretas maduras com notas de especiarias e couro; Harmonização: Polenta à bolonhesa, tiras de carne grelhadas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Rioja

Cune Crianza Rioja DOCa 2017:

Taninos macios, boa acidez, final longo e frutado; Produtor: Compañía Vinícola del Norte de España; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Tempranillo, Garnacha, Graciano e Mazuelo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, baunilha, caramelo e cacau; Harmonização: Antepasto de berinjela, sopa de tomate com pimentões assados

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Jumilla

Don Simon Selección Black Edition Red Blend Jumilla DOP:

Saboroso, elegante, com final estruturado; Produtor: J. García Carrión; Teor alcoólico: 13,7%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas expressivas de frutas pretas e tons tostados; Harmonização: Tortilla com antepasto de pimentões, lasanha de berinjela, arroz com linguiça

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale Central

Verktro Cabernet Sauvignon-Merlot Valle Central D.O. 2020:

Harmonioso e redondo, com acidez equilibrada, taninos elegantes e final ligeiramente adocicado; Produtor: Bodegas Tagua Tagua; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutos silvestres, com toques picantes e amadeirados; Harmonização: Lasanha à bolonhesa, queijo Parmesão, chilli com carne, pimentão recheado

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Rioja

Viña Real Reserva Rioja DOCa 2015:

Estruturado, frutado, com toque amadeirado no final; Produtor: Compañía Vinícola del Norte de España; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Tempranillo, Garnacha, Graciano e Mazuelo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, especiarias, torra e tabaco; Harmonização: Carnes de caça e vermelhas, queijos curados

Compre aqui

 


 

O tinto australiano blend de South Eastern

McGuigan The Plan Red Blend 2017:

Generoso, notas de frutas vermelhas, taninos macios e sedosos; Produtor: McGuigan; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Aromas de ameixa, cereja e amora; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, legumes recheados, massas com molho vermelho, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Mazzei Ser Lapo Chianti Classico Riserva DOCG 2018:

Estruturado, persistente, frutado, com boa acidez e taninos intensos; Produtor: Mazzei; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Sangiovese e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas maduras; Harmonização: Risoto de parmesão, carnes vermelhas grelhadas, queijo pecorino toscano

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Adega do Marquês Tinto Douro DOC:

Frutado, volumoso, taninos macios, final elegante e persistente; Produtor: Caves Campelo; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca (vinho blend); Nariz: Aroma de compota de frutas vermelhas; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, queijos maduros, assados

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Dão

Adega do Marquês Tinto Dão DOC:

Encorpado e macio, com taninos redondos e harmoniosos; Produtor: Caves Campelo; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Tinta Roriz, Touriga Nacional, Alfrocheiro e Jaen (vinho blend); Nariz: Aromas de frutos vermelhos e pretos maduros; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça cozidas e assadas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Lisboa

Portada Winemaker’s Selection 2019:

Encorpado, saboroso e frutado, com final levemente adocicado; Produtor: DFJ; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Tinta Roriz, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Castelão, Pinot Noir e Touriga Nacional (vinho blend); Nariz: Frutas maduras como ameixa e groselha; Harmonização: Queijo parmesão, carnes assadas ou grelhadas

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Rioja

Cune Gran Reserva Rioja DOCa 2015:

Taninos sedosos, acidez refrescante, final persistente e leve toque balsâmico; Produtor: Compañía Vinícola del Norte de España; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Tempranillo, Graciano e Mazuelo (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, especiarias, toffee, café torrado e notas balsâmicas.; Harmonização: Carnes vermelhas, pizza de queijo e embutidos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Font du Mirail Côtes du Rhône AOC 2020:

Rico, estruturado e equilibrado, com taninos bem integrados; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Aromático, com notas dominantes de frutas vermelhas; Harmonização: Steak au Poivre, kebab de cordeiro, espaguete à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Font du Mirail Costières de Nîmes AOC 2017:

Redondo, elegante e equilibrado, com notas picantes e final agradável; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Intenso, com notas de frutas vermelhas e silvestres, e nuances de tomilho; Harmonização: Cassoulet, queijo Gruyère, chateaubriand de filé mignon ao molho rôti

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend multirregional

Baron Guillot Classique Esprit de Vigneron Édition Spéciale:

Frutado, agradável e fácil de beber; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Tempranillo, Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Notas de frutas vermelhas, como morango e cereja, e um toque de pimenta-do-reino; Harmonização: Tábua de queijos, picadinho de carne e cassoulet

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

La Devise de Lilian Saint-Estèphe AOC 2017:

Saboroso, com taninos bem integrados, estrutura aveludada e toques frutados; Produtor: Château Lilian Ladouys; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Queijo Grana Padano, Boeuf Bourguignon, bisteca Fiorentina

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Cesari Valpolicella Classico DOCG 2019:

Bastante equilibrado, saboroso e aveludado; Produtor: Cesari; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Corvina e Rondinella (vinho blend); Nariz: Fresco e frutado, com notas de frutas vermelhas; Harmonização: Carnes vermelhas, massas e queijos

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto francês blend de Bordeaux

Blason d’Issan Margaux AOC 2018:

Estruturado, equilibrado, macio; Produtor: Château d’Issan; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas; Harmonização: Queijo Provolone, entrecôte ao molho bordelaise, risoto de cogumelos frescos

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto francês blend de Bordeaux

Château Grand Pey-Lescours Saint-Emilion Grand Cru AOC 2014:

Boa estrutura, é redondo com taninos macios, muita fruta e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas de frutas negras maduras, toques herbáceos e de especiarias; Harmonização: Risoto de cogumelos, queijos como camembert, aves

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

S de Siran Margaux AOC 2017:

Estruturado, complexo e redondo, com taninos firmes, toques frutados e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Carnes de caça e queijos leves

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Famiglia Castellani Chianti Riserva DOCG 2016:

Encorpado, com taninos integrados, acidez média e final persistente; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Sangiovese, Canaiolo e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixas maduras, couro, toques de chocolate, violeta e pimenta preta no final de prova; Harmonização: Lasanha à bolonhesa, carnes de caça

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Villa D’Ancona IL Pisani Chianti Riserva DOCG 2018:

Intenso, persistente, cheio; Produtor: Fattoria Villa D’Ancona; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Sangiovese e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras com notas de madeira; Harmonização: Carnes grelhadas ou assadas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Vêneto

Cesari Jùsto Leggermente Appassite Veneto IGT 2018:

Estruturado, macio e aveludado; Produtor: Cesari; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Corvina e Merlot (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de frutas vermelhas maduras como a cereja; Harmonização: Pizza de pepperoni, queijo Camembert, terrine suína

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Douro

Senhor da Vinha Douro DOC 2019:

Corpo médio, sabor de frutas vermelhos, taninos macios; Produtor: Caves Santa Marta; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Tinta Roriz, Touriga Nacional e Tinta Barroca (vinho blend); Nariz: Frutas maduras como morango e ameixa, toques de especiarias; Harmonização: Lagarto desfiado, aperitivos

Compre aqui

 


 

O tinto argentino blend de Salta

Amauta Corte I 2019:

Bom corpo, taninos maduros, acidez equilibrada e final longo; Produtor: El Porvenir; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Malbec, Cabernet Sauvignon e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, framboesa, amora e notas de tostado; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, massas à bolonhesa e queijos duros

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto francês blend de Bordeaux

Grand Vin Baron des Fontenilles Médoc AOP 2019:

Equilibrado, frutado e fresco, com taninos macios; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas; Harmonização: Carne vermelha, carnes de caça e massas ao molho vermelho

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Sud Ouest

Colombelle Merlot-Tannat Côtes de Gascogne IGP 2019:

Taninos macios, acidez equilibrada, corpo médio, final frutado; Produtor: Plaimont; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Tannat (vinho blend); Nariz: Ameixa, mirtilo e amoras pretas; Harmonização: Carne de panela desfiada, pizza de calabresa e tábua de frios

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Vêneto

Biscardo Valpolicella Ripasso Classico Superiore DOC 2016:

Encorpado, com taninos aveludados e final persistente; Produtor: Biscardo; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Corvina, Molinara e Rondinella (vinho blend); Nariz: Ameixa e groselha maduras, toques defumados, de amêndoas, madeira e uva passa; Harmonização: Costela assada no bafo, fondue de queijo

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Vêneto

Cesari Mara Valpolicella Ripasso Superiore DOC 2018:

Encorpado e aveludado, com taninos macios, delicada doçura e final picante; Produtor: Cesari; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Corvina, Rondinella e Negrara (vinho blend); Nariz: Frutas maduras como cereja, framboesa e ameixa, com toques de especiarias e notas de pimenta; Harmonização: Costela suína ao molho barbecue, nhoque de abóbora na manteiga, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Il Poggione Rosso Toscana IGT 2018:

Na boca é macio com acidez agradável; Produtor: Tenuta Il Poggione; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Sangiovese, Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de frutas vermelhas, com notas de especiarias doces como baunilha; Harmonização: Carnes brancas, massas, queijos de corpo médio

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Campania

Villa Matilde Cecubo 2014:

Redondo e elegante, tem taninos de excelente textura, gostosa acidez e final persistente; Produtor: Villa Matilde; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Primitivo e Piedirosso (vinho blend); Nariz: Aromas de cassis, ameixas, notas florais, de especiarias e de alcaçuz; Harmonização: Carnes de caça e queijos azuis

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Umbria

Arnaldo Caprai Montefalco Rosso DOC 2017:

Fresco, equilibrado e com taninos macios; Produtor: Arnaldo Caprai; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Sangiovese e Merlot (vinho blend); Nariz: Aromas de flores silvestres, frutas vermelhas e noz moscada; Harmonização: Carnes curadas ou carnes brancas e vermelhas assadas

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Douro

Vallado Três Melros Tinto Douro DOC 2018:

Estruturado, carnudo, com taninos redondos, final persistente e fresco; Produtor: Quinta do Vallado; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Sousão (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas, com toques balsâmicos; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, francesinha, alheira de mirandela, queijos

Compre aqui

 


 

O tinto português blend de Alentejo

António Maçanita FitaPreta Alentejano 2018:

Encorpado, taninos firmes e redondos. Muito rico e com final de boca elegante; Produtor: Fita Preta – Maçanita; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet (vinho blend); Nariz: Frutas pretas frescas com notas de erva seca e toffee; Harmonização: Churrasco, cozido português e polenta com molho de agrião

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Roussillon

Domaine de La Rectorie AOC Collioure L’Oriental 2018:

Encorpado, rico, com intensidade de frutas, taninos bem presentes e redondos, e final longo; Produtor: Domaine de La Rectorie; Teor alcoólico: 15,5%; Uvas: Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Ameixa, cassis, amora, alcaçuz e especiarias, como canela e pimenta; Harmonização: Magret de pato com figos, carré de cordeiro assado e berinjela recheada

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Toscana

Mazzei Fortior Vino Rosso 2019:

Equilibrado, persistente, frutado e harmonioso; Produtor: Mazzei; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Nero d’Avola, Sangiovese, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas maduras; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas ao molho vermelho, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto chileno blend do Vale do Maipo

Jean Pascal Stella Aurea 2013:

Textura macia, sabor frutado, frescor e final longo com notas sutis de tabaco e menta; Produtor: Viña Clos Quebrada de Macul; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cassis, framboesa e cereja com notas de flores e menta; Harmonização: Carnes vermelhas, ensopados

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

L’impression de Mauvesin Barton Médoc AOC 2014:

Taninos aveludados, balanceado com final longo e profundo; Produtor: Château Mauvesin Barton – Grupo Castel; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Aromas de amora com notas de baunilha, madeira e toques tostados devido ao estágio em barricas; Harmonização: Paleta de cordeiro com queijo

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Roc de Boisseaux A.O.C. Saint-Émilion 2012:

Corpo de médio para encorpado, taninos macios, acidez agradável, complexo, maduro; Produtor: Château Roc de Boisseaux; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, frutas negras maduras, floral, especiarias, defumado; Harmonização: Costeleta de cordeiro, picanha com batata rosti, ensopado de javali, arroz de pato, cogumelo recheado com queijo, queijos maturados

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Bordeaux

Château Haut-Vigneau Pessac-Léognan AOC 2016:

Encorpado, taninos macios e aveludados, ótimo equilíbrio e final persistente; Produtor: Château Haut-Vigneau; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa madura, groselha preta e toques de tostado e especiarias ao final de prova; Harmonização: Carnes grelhadas ao molho, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

O tinto espanhol blend de Rioja

Burgo Viejo Reserva Rioja DOCa 2015:

Taninos aveludados, final persistente e intenso; Produtor: Burgo Viejo; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Tempranillo, Mazuelo e Graciano (vinho blend); Nariz: Aromas de cereja, groselha, chocolate, notas minerais e de tabaco; Harmonização: Filé mignon grelhado ao molho madeira

Compre aqui

 


 

O tinto italiano blend de Friuli

Masi Modello Rosso:

Com excelente estrutura, possui taninos firmes bem integrados às notas de frutas vermelhas e especiarias; Produtor: Masi Modello; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Refosco e Raboso Veronese (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas maduras, com toques de especiarias; Harmonização: Pratos à base de carne vermelha, queijos, pratos típicos da Itália

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend do Vale do Rhône

Xavier Vignon Signature Range Lirac 2016:

Encorpado, frutado, acidez equilibrada e final longo; Produtor: Xavier Vignon; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas com notas de madeira e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto francês blend de Vale do Rhône

M. Chapoutier Côtes-du-Rhône Villages Signargues AOP 2018:

Gastronômico, complexo com notas de a especiarias e alcaçuz; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas intenso de frutos pretos maduros; Harmonização: Filé mignon, costela de cordeiro, joelho de porco assado

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de La Clape (Languedoc-Roussillon)

Château D’Anglès Classique Bourboulenc Grenache Roussane La Clape AOC 2021:

Rico e persistente, com toques complexos de frutas brancas e frescor mineral equilibrado; Produtor: Château d’Anglès; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Bourboulenc, Grenache e Roussanne (vinho blend); Nariz: Elegante e intenso, expressando notas de flores brancas e especiarias; Harmonização: Patê de salmão, queijo de cabra, lombinho assado com batatas

Compre aqui

 


 

O branco italiano blend de Toscana

Carpineto Dogajolo IGT Toscano Bianco 2020:

Leve, frutado, floral, mineral, boa acidez, final agradável; Produtor: Carpineto; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grechetto, Chardonnay e Sauvignon Blanc (vinho blend); Nariz: Frutas tropicais, frutas cítricas e herbáceo; Harmonização: Camarões na manteiga, peixe frito com batatas, bruschettas variadas, sobrecoxa recheada, quiche de alho poró, queijos brancos e leves

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Languedoc-Roussillon

Claude Val Blanc 2019:

Fresco, frutado e com boa acidez; Produtor: Domaines Paul Mas; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache Blanc, Vermentino, Chasan, Mauzac, Sauvignon Blanc e Chenin Blanc (vinho blend); Nariz: Limão siciliano, fruta tropical e acácia; Harmonização: Trilha grelhada na brasa com ervas provençais, cozinha asiática de mar em preparações com curry, arroz de polvo

Compre aqui

 


 

O branco espanhol blend de Rioja

Bianai D.O.Ca. Rioja Blanco 2020:

Frutado, com frescor delicado e saboroso; Produtor: Bodegas Príncipe de Viana; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Tempranillo Blanco, Verdejo e Viúra (vinho blend); Nariz: Aromas florais primários em um fundo de maçã e toranja; Harmonização: Vinho leve com boa acidez, então harmonize-o com pratos de igual estrutura como ceviche, risoto de abobrinha e salada caesar

Compre aqui

 


 

O branco italiano blend de Vêneto

Tenuta SantAntonio Fontana D.O.C. Soave 2020:

Leve, frutado, fresco, delicado, cítrico; Produtor: Tenuta Sant’Antonio; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Trebbiano di Soave e Garganega (vinho blend); Nariz: Frutas brancas frescas, frutas cítricas, floral, mineral; Harmonização: Sobrecoxa recheada com queijo, abará, moqueca de grão de bico

Compre aqui

 


 

O branco francês blend do Vale do Rhône

Maison Bouachon Les Rabassières A.O.C Côtes-du-Rhône Blanc 2020:

Frutado, acidez agradável, boa presença em boca, cítrico; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Clairette, Viognier e Grenache Blanc (vinho blend); Nariz: Pêssego, damasco, cítrico, floral; Harmonização: Camarão na manteiga, moqueca, arroz de polvo, quiche de alho poró com queijo brie

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Douro

Pacheca Raízes Branco Douro DOC 2020:

Refrescante e cheio, com acidez marcante e final persistente; Produtor: Quinta da Pacheca; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Códega e Moscatel Galego (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas brancas e cítricas; Harmonização: Caldeirada de peixe, bacalhau à Brás, polvo à Lagareiro

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Vinho Verde

Alto Lima Branco Vinho Verde DOC 2020:

Delicado, equilibrado e refrescante, com acidez ligeiramente vibrante; Produtor: Adega Cooperativa Ponte da Barca e Arcos de Valdevez; Teor alcoólico: 9,5%; Uvas: Loureiro, Arinto e Trajadura (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Caldeirada de peixe, bolinho de bacalhau, legumes grelhados

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Provence

Château Revelette Vin de France PUR Blanc 2020:

Boca fresca, fácil de beber, mas com um final vibrante; Produtor: Château Revelette; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Ugni Blanc, Chardonnay e Carignan Blanc (vinho blend); Nariz: Nariz delicado mas frutado com pêssegos, maçã, algo de laranja e flores brancas; Harmonização: Saladas, frutos do mar

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Vinho Verde

Adega do Marquês Branco Vinho Verde DOC:

Leve, jovem, refrescante e persistente; Produtor: Caves Campelo; Teor alcoólico: 10,5%; Uvas: Loureiro, Trajadura e Arinto (vinho blend); Nariz: Aroma fresco de maçã, limão e pêssego; Harmonização: Peixes, frutos do mar, carnes brancas, aperitivos

Compre aqui

 


 

O branco argentino blend multirregional

El Bautismo Blend De Blancas Dulces 2020:

Frutado, doce, leve, boa acidez; Produtor: La Liga de Enólogos; Teor alcoólico: 10%; Uvas: Torrontés, Moscatel e Pedro Giménez (vinho blend); Nariz: Frutas maduras, lichia, floral, mel; Harmonização: Canapés com toque adocicado, brie com mel, abacaxi em calda, salada de frutas, bolo de massa branca, gorgonzola e roquefort

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Lisboa

Capote Velho Reserva Regional Lisboa Branco 2019:

Boa estrutura, boa acidez e agradável final de boca; Produtor: Parras Wines; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Arinto, Chardonnay e Fernão Pires (vinho blend); Nariz: Frutas tropicais e frutas cítricas; Harmonização: Maçã verde recheada com farofa de quinoa e castanhas, acarajé e panqueca de queijo

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Borgonha

Marechal Collection Blanc:

Leve, acidez equilibrada e final agradável; Produtor: Marechal; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Ugni Blanc, Colombard, Gros Manseng e Sauvignon Blanc (vinho blend); Nariz: Frutas cítricas e frutas tropicais; Harmonização: Como aperitivo ou com pratos leves como sardinha frita, frango grelhado, frutos do mar, salgadinhos fritos, saladas, queijo de cabra

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Douro

Casa Burmester Reserva D.O.C. Douro Branco 2019:

Frutado, sedoso e estruturado, acidez presente e agradável, final longo e refrescante leve; Produtor: Burmester; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Gouveio, Rabigato e Viosinho (vinho blend); Nariz: Notas de frutas tropicais, abacaxi maduro, toque amadeirado e ervas aromáticas; Harmonização: Espetinho de camarão, bobó de camarão, penne ao molho branco com parmesão, bacalhau ao forno com batatas, empadão de frango com catupiry (ou palmito)

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Alentejo

Terra Grande Regional Alentejano Branco 2019:

Boa estrutura, final agradável, boa acidez e frescor; Produtor: Parras Wines; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Roupeiro, Arinto e Antão Vaz (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas brancas e amarelas e flores; Harmonização: Pipoca com manteiga, sushi, bolinho de bacalhau e frango assado com batatas

Compre aqui

 


 

O branco argentino blend de Mendoza

Chateau Garbin White Blend 2021:

Corpo leve e frutado, com acidez marcante e acabamento refrescante; Produtor: Bodegas Garbin Estate; Teor alcoólico: 13,2%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas cítricas, com toques intensos de maçã verde e ervas; Harmonização: Saladas verdes, ceviches e sushi

Compre aqui

 


 

O branco argentino blend de Mendoza

Cavas Don Carlos White Blend 2021:

Refrescante e frutado; Produtor: Bodegas Garbin Estate; Teor alcoólico: 13,2%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas de frutas cítricas; Harmonização: Saladas, aperitivos, pratos com molhos leves

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Douro

Burmester D.O.C. Douro Branco 2020:

Vinho leve, jovem, frutado, acidez presente e agradável, refrescante; Produtor: Burmester; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Malvasia Fina, Gouveio e Rabigato (vinho blend); Nariz: Frutas brancas, frutas cítricas, sutis notas de vegetal; Harmonização: Tilápia ao molho de alho poró, risoto de queijos, pancetta na grelha, peixe frito, empadão de palmito com queijo

Compre aqui

 


 

O branco espanhol blend de Catalunya

Viña Sol Original D.O. Catalunya 2019:

Fresco, delicado e acidez sutil; Produtor: Miguel Torres; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Garnacha Blanca e Parellada (vinho blend); Nariz: Notas de flores e frutas cítricas; Harmonização: Risoto de frutos do mar, espetinho de camarão, burrata, massas, saladas

Compre aqui

 


 

O branco argentino blend de Mendoza

Que Guapo Branco 2021:

Frutado e saboroso, com corpo leve, acidez agradável e refrescante; Produtor: Viña Las Perdices; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Chardonnay, Viognier e Torrontés (vinho blend); Nariz: Abacaxi, pêssego, pera, floral; Harmonização: Paella de frutos do mar, canelone de ricota com espinafre, espetinho de camarão, peixe assado com legumes, legumes gratinados

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Alentejo

Terras de Estremoz Special Selection Regional Alentejano Branco 2020:

Frutado, equilibrado, elegante de corpo médio, refrescante e com um final agradável; Produtor: Encostas de Estremoz; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Arinto, Síria e Antão Vaz (vinho blend); Nariz: Aroma frutado, abacaxi, pêssego e sutis notas minerais; Harmonização: Acompanha bem pratos grelhados e massas com molho: frango grelhado com legumes, peixe grelhado ou no forno, macarrão ao molho branco com parmesão

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Bordeaux

Carmes de Rieussec Sauternes AOC 2014:

Redondo, cremoso, com notas frutadas e final expressivo e mineral; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle (vinho blend); Nariz: Notas florais, de acácia, pêra e damasco cristalizado; Harmonização: Queijo gorgonzola, pudim, creme de papaia

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Côtes de Gascogne/Gasconha

Domaine Tariquet Réserve Côtes de Gascogne IGP 2019:

Complexo, profundo e intenso, com acidez vibrante, e notas frutadas e refrescantes; Produtor: Château du Tariquet; Teor alcoólico: 13%; Uva: Gros manseng, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Sémillon (vinho blend); Nariz: Complexo e intenso, com notas de frutas brancas, pêssego e baunilha; Harmonização: Vieiras cremosas com camarão, costeleta de vitela grelhada, ravioli de cogumelos

Compre aqui

 


 

O branco/laranja português blend de Alentejo

FitaPreta A Laranja Mecânica by António Maçanita 2020:

Cheio, com textura robusta e caráter refrescante; Produtor: António Maçanita; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Arinto, Roupeiro, Verdelho, Antão Vaz, Alicante Branco, Trincadeira-das-Pratas e Fernão Pires (vinho blend); Nariz: Exuberante e intenso, com notas de laranja cristalizada e toques de marmelo; Harmonização: Foie gras, bacalhau com natas, sardinha frita, peixes grelhados e sashimis

Compre aqui

 


 

O branco italiano blend de Orvieto (Denominação de Úmbria)

Santa Cristina Campo Grande Classico Orvieto DOC 2019:

Macio, fresco, com notas minerais e frutadas; Produtor: Marchesi Antinori; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Grechetto e Procanico (vinho blend); Nariz: Aromas frutados de pêssego e damasco, com notas de flor de laranjeira; Harmonização: Batata rústica com alecrim, palmito pupunha grelhado, risoto de polvo

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Lisboa

Portada Winemaker’s Selection Branco 2020:

Frutado, refrescante, macio e fácil de beber; Produtor: DFJ Vinhos; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Fernão Pires, Arinto, Alvarinho, Chardonnay, Riesling, Verdelho, Moscatel (vinho blend); Nariz: Aromas cítricos, com notas de maçã; Harmonização: Legumes grelhados, queijo coalho assado, filé de frango ao pesto

Compre aqui

 


 

O branco francês blend do Vale do Rhône

M. Chapoutier Blanc Côtes-du-Rhône AOC 2020:

Encorpado, equilibrado, fresco, é elegante e com notas sutis de frutas brancas; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13,6%; Uvas: Roussanne, Viognier, Grenache Blanc, Clairette Blanche e Marsanne (vinho blend); Nariz: Aromas de damasco, maracujá, manga, abacaxi e pêssego; Harmonização: Aperitivos, peixes, mariscos, steak tartare

Compre aqui

 


 

O branco italiano blend de Toscana

Il Poggione Bianco di Toscana IGT 2019:

No paladar é fresco e bem estruturado; Produtor: Tenuta Il Poggione; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Vermentino e Chardonnay (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas frescas, com notas cítricas e minerais; Harmonização: Peixes, vegetais, queijos frescos

Compre aqui

 


 

O branco italiano blend de Vêneto

Biscardo Oropasso Originale Garganega-Chardonnay Veneto IGT 2020:

Paladar fresco, mineral, estruturado e bem equilibrado; Produtor: Biscardo; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Garganega e Chardonnay (vinho blend); Nariz: Aroma delicado de flores, frutas cítricas e de polpa amarela; Harmonização: Risoto de espinafre, mariscos, penne à caprese

Compre aqui

 


 

O branco francês blend de Côtes de Gascogne

Domaine Tariquet Classic Côtes de Gascogne IGP 2020:

Intenso, refrescante, frutado e com acidez vibrante; Produtor: Château du Tariquet; Teor alcoólico: 10,5%; Uva: Ugni Blanc, Colombard, Sauvignon Blanc e Gros Manseng (vinho blend); Nariz: Abundante, com notas de frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Sushi, charcutaria, queijo de cabra fresco

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Douro

Vallado Três Melros Branco Douro DOC 2019:

Boa estrutura, refrescante, mineral, com sabor equilibrado e persistente; Produtor: Quinta do Vallado; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Rabigato, Códega, Viosinho, Gouveio, Arinto e Alvarinho (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas brancas maduras com toques cítricos e florais; Harmonização: Caldo verde, bacalhau, caldeirada de peixe, sardinhas assadas

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Dão

C de Cabriz Branco:

Sabor frutado e bastante fresco; Produtor: Cabriz; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Bical, Encruzado e Malvasia Fina (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de frutas tropicais e flores de árvores de frutas cítricas; Harmonização: Aperitivos, comidas de origem asiática, cozinha mediterrânea

Compre aqui

 


 

O branco português blend de Alentejo

António Maçanita FitaPreta O Ancestral 2019:

Tem bom volume, é muito fresco, frutado e apresenta um final bastante persistente; Produtor: Fita Preta – Maçanita; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Roupeiro, Alicante Branco, Arinto, Rabo de Ovelha, Tamarez (vinho blend); Nariz: Frutas cítricas, pêssego branco e aromas de pedra molhada pela chuva; Harmonização: Frutos do mar, sardinha frita, peixes grelhados e sashimis

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Villa Riviera Reserve Côtes de Provence AOC 2020:

Fresco, macio, frutado e com acidez equilibrada; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache e Tibouren (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas com notas de flores; Harmonização: Sushi, paella, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé argentino blend de Mendoza

Altivo Classic Rosé 2021:

Um vinho jovem, leve, frutado, boa acidez que lhe confere agradável frescor; Produtor: Finca Eugenio Bustos; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Malbec e Syrah (vinho blend); Nariz: Intensos aromas de frutas vermelhas, floral; Harmonização: Arroz de camarão, carpaccio, nhoque ao sugo, tender assado com frutas, queijos semi moles

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Chateau de Pourcieux Provence Rosé 2020:

Vinho jovem, leve, frutado, elegante, textura firme e cremosa, acidez vibrante que proporciona agradável frescor; Produtor: Château de Pourcieux; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah, Grenache e Cinsault (vinho blend); Nariz: Notas florais, toques de ervas e especiarias, frutas cítricas como maçãs, peras, toranja e morangos; Harmonização: Camarão à marettimo com arroz de amêndoas, lulas à dorê, tartine de homus de grão-de-bico com alho confitado servido com tomate confit e brotos, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Le Rosé de S. I.G.P. Méditerranée Rosé 2020:

Vinho jovem, leve, frutado, acidez média para alta que proporciona um excelente frescor; Produtor: Famille Sumeire; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Carignan e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, pêssego e toques florais; Harmonização: Risoto de limão siciliano com camarões salteados, tilápia grelhada, dadinhos de tapioca com queijo coalho, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Rosé à La Rose A.O.C. Côtes de Provence Rosé 2020:

Um vinho jovem, leve, frutado com nuances florais, acidez média para alta que lhe proporciona excelente frescor; Produtor: Famille Sumeire; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Cinsault, Syrah e Carignan (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, laranja, pêssego, mel, floral, mineral; Harmonização: Camarões na manteiga, penne ao molho branco, quiche de frango com requeijão, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

O rosé brasileiro blend do Vale dos Vinhedos

Casa Valduga Naturelle Rosé Suave:

Leve e de agradável frescor, com paladar adocicado; Produtor: Casa Valduga; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Malvasia, Moscato e Merlot (vinho blend); Nariz: Aromas primários, com notas de frutas frescas como morango, goiaba, pêssego, cereja e leve nuance floral; Harmonização: Queijos azuis, doces, frutas, sobremesas, pratos leves

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Borgonha

Marechal Vin de France Rosé:

Leve, jovem, boa acidez; Produtor: Marechal; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Syrah e Carignan (vinho blend); Nariz: Floral, frutado, morango, pêssego; Harmonização: Risoto de limão siciliano com camarões salteados, tilápia grelhada, mariscada, cuscuz paulista, salada marroquina, queijos como gouda, emental e minas padrão

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Villa Riviera Grand Reserve Côtes de Provence AOP 2020:

Refrescante, leve, frutado e fácil de beber; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Tibouren e Cinsault (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas com notas florais; Harmonização: Carnes brancas, legumes na brasa, sushi

Compre aqui

 


 

O rosé português blend de Alentejo

Flor de Sal IV Bronze Aragonez Touriga Nacional Vinho Regional Alentejano 2020:

Boa acidez e corpo, com final de boca elegante e equilibrado; Produtor: Ervideira; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Aragonez e Touriga Nacional (vinho blend); Nariz: Aromaticamente intenso, com notas de frutas vermelhas e damasco; Harmonização: Salmão grelhado, lula à dorê, salpicão de frango

Compre aqui

 


 

O rosé espanhol blend de Múrcia

Baron de Beldon Vino Rosado 2020:

Intenso e equilibrado, retrogosto frutado, agradável e persistente; Produtor: Bodegas Bastida; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Monastrell e Tempranillo (vinho blend); Nariz: Expressivo, com nuances de frutas vermelhas maduras e flores; Harmonização: Gaspacho espanhol, frango assado com limão siciliano e ervas, caldo de fubá com linguiça

Compre aqui

 


 

O rosé italiano blend de Toscana

Carpineto Dogajolo I.G.T. Toscano Rosato 2020:

Fácil de beber, boa acidez, frutado e gastronômico; Produtor: Carpineto; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Canaiolo e Sangiovese (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, como morango e groselha, associadas aos toques florais; Harmonização: Ceviche de camarão, bobó de frango, pernil grelhado, peixe com fritas, penne ao alho e óleo, legumes na manteiga

Compre aqui

 


 

O rosé sul-africano blend de Western Cape

Pearly Bay Rosé Crisp & Floral:

Saboroso, frutado e com dulçor equilibrado; Produtor: KWV; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Chenin Blanc, Hanepoot e Pinotage (vinho blend); Nariz: Morango, framboesa e pétalas de rosas; Harmonização: Salada de camarão, cuscuz marroquino, sushi e sashimi

Compre aqui

 


 

O rosé italiano blend de Vêneto

Bericanto Rosato Vicenza DOC 2020:

Elegante, com corpo leve, boa acidez e nuances delicadas de frutas frescas; Produtor: Cielo e Terra; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Merlot e Tai Rosso (vinho blend); Nariz: Notas intensas de flores frescas com toques frutados; Harmonização: Salada Caesar, legumes grelhados, caponata de frutos do mar

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Domaine de Saint Ser Cuvée Prestige 2018:

Um agradável frescor com um final intenso e frutado; Produtor: Domaine de Saint Ser; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cinsault, Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Intensas notas de pêssego-nectarina, seguidas de toques de frutas vermelhas; Harmonização: Aperitivo, grelhados, peixe dourado ao estragão ou ao funcho, Bouillabaisse

Compre aqui

 


 

O rosé italiano blend de Puglia

Grande Alberone Rosato 2020:

Bastante fresco com sabor levemente frutado; Produtor: Provinco; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Negroamaro, Refosco e Merlot (vinho blend); Nariz: Perfume de flores e notas de frutas cítricas, maçã e pêssego; Harmonização: Frutos do mar, saladas e carpaccio

Compre aqui

 


 

O rosé americano blend da Califórnia

Dark Horse Rosé 2019:

Frutado, bela acidez e final agradável; Produtor: Dark Horse; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Pinot Gris, Tempranillo, Barbera (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, morango e um toque mineral; Harmonização: Salmão grelhado, bolinho de bacalhau, quiche de palmito, wrap vegetariano, salada de folhas verdes com morangos

Compre aqui

 


 

O rosé português blend de Lisboa

Portada Winemaker’s Selection Rosé 2020:

Saboroso, refrescante e macio; Produtor: DFJ; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Shiraz, Caladoc, Castelão e Tinta Roriz (vinho blend); Nariz: Perfumado, com notas de maçã e frutos vermelhos maduros; Harmonização: Saladas, sushi, gastronomia vegetariana e mexicana

Compre aqui

 


 

O rosé francês blend de Provence

Villa Riviera Splendid Côtes de Provence AOC 2019:

Notas de morango e maçã, balanceado, harmonioso e refrescante; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Cinsault, Tibouren e Syrah (vinho blend); Nariz: Delicado e elegante, com notas de pêssego, frutas vermelhas e flores brancas; Harmonização: Ceviche, salmão e atum, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé australiano blend de Margaret River

Miles from Nowhere Rosé 2019:

Suculento, frutado, acidez equilibrada; Produtor: Grape Expectations Estates; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Shiraz/Syrah, Sauvignon Blanc e Viognier (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, morango, framboesa, cereja; Harmonização: Comida japonesa, frango thai, penne com salmão e vagem, ensopado vegetariano com curry, salada picante de papaya

Compre aqui

 


 

O frisante português blend multirregional

Frisante Pedro Teixeira Branco:

Frutado, fresco e harmonioso; Produtor: Adega de Cantanhede; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Maria Gomes, Bical e Cerceal (vinho blend); Nariz: Frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Peixe frito, tábua de frios, coxinha, quiche de palmito, pastel de queijo

Compre aqui

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Ideias de harmonização de vinho e molho de tomate
Introdução Se você é um entusiasta do vinho, é provável que você tenha harmonizado seu vinho favorito com...
5 Vinhos franceses premiados que você precisa experimentar
Introdução Pouco depois de chegar à França, eu tinha certeza de uma coisa: os vinhos franceses eram incríveis....
Os 10 melhores vinhos Malbec que você pode comprar na Internet
Introdução O Malbec é uma das uvas mais populares do mundo, e é fácil ver o porquê. Ele...
Tábua de frios e harmonias com vinhos
Introdução Os cortes frios são uma ótima maneira de acrescentar um elemento extra especial à sua festa. Se...
Carpaccio, a receita veneziana e suas harmonias com vinhos
Carpaccio é uma das receitas mais famosas da cozinha veneziana. Ela consiste em carne crua, e seu nome...
Vinho Lambrusco, a jóia de Emilia-Romagna
Introdução O Lambrusco é um vinho único que é difícil de categorizar. Apesar de ser uma uva tinta,...