17 uvas tintas que você precisa conhecer

Publicado em:

uvas tintas

Difícil escolher algumas poucas uvas tintas viníferas. De fato, faltaria tempo de vida para descobrir todas!

Você decidiu que era hora de conhecer mais sobre os vinhos que você já amava, certo? Só não imaginava que iria encontrar uma quantidade tão imensa de uvas e estilos de vinhos. Acertamos de novo? Pois, seja bem-vindo ao clube! Afinal, existe um leque tão amplo de uvas tintas que torna difícil estabelecer qual a mais comum ou a mais importante para a vitivinicultura. E olha que nem vamos entrar no assunto das uvas brancas.

No entanto, entender um pouco sobre as uvas, vai te ajudar a decifrar os sabores que você consegue reconhecer nos vinhos. Por isso, separamos 17 das uvas tintas mais comuns e vamos apresentá-las para você. Assim, você vai entender porque algumas uvas são tão usadas na produção de vinhos e descobrir suas principais características. Aproveite!

Conheça algumas das muitas uvas tintas viníferas

3

1. Pinot Noir

A Pinot Noir faz parte da família das uvas Pinot, que inclui a branca Pinot Blanc, a também tinta Pinot Meunier e Pinot Gris ou Grigio, que é uma uva rosada. Mas, a mais conhecida da família é mesmo a Pinot Noir. Na verdade, vinhos feitos de uvas da casta costumam ser chamados de curingas. São daqueles vinhos que vão bem com quase tudo. A Pinot Noir é cultivada em vinhedos de todo o mundo e sua popularidade já alcançou países de todos os continentes. Seus frutos pequenos e escuros costumam trazer à boca aromas de frutas vermelhas e escuras, como cereja e morango. Mas, dependendo do solo, clima e manejo (tudo isso forma o terroir) as uvas podem expressar também aromas de café.

2. Merlot

As uvas Merlot são famosíssimas! Afinal, seus vinhos são leves e fáceis de beber. Originalmente, a Merlot vem do Sudoeste da França, região conhecida por produzir os melhores vinhos da uva do mundo. Quanto aos aromas, as uvas Merlot trazem ao paladar sensações terrosas. Para comparar, é comum algumas pessoas dizerem que o açaí tem um sabor terroso, algo que nos faz lembrar o cheiro ou gosto sutil de terra quando provamos. Da mesma forma, os vinhos Merlot possuem essa característica. Além disso, a uva também possui aromas de frutas escuras.

3. Syrah

Tudo nessa uva é forte, desde seu nome até seus sabores. Os vinhos produzidos com frutos Syrah são bastante alcoólicos, pesados e marcantes. Sua origem também é o Sudoeste da França. Mas, assim como tantas outras, a variedade se tornou muito comum em países como Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e Chile. Por aqui, é provável que você a conheça como Shiraz. Ao experimentar seus vinhos, vai encontrar aromas deliciosos de chocolate, pimenta preta e frutas escuras, como amoras, ameixas e cerejas. 

4. Uvas Petit Syrah  

Em relação às outras variedades, a Petit Syrah é menor em tamanho, não em sabores e aromas. Também conhecida como Durif, a uva é resultado do cruzamento entre a Syrah tradicional e a Peloursin Noir. Seus vinhos apresentam uma cor violeta, alto teor alcoólico e que preenchem o paladar. No entanto, ela também é capaz de produzir vinhos ácidos e que acompanha perfeitamente carnes com mais gordura.

uvas

Você sabia?  Nem todas as uvas tintas são escuras. A Pinot Grigio, por exemplo, é uma uva considerada tinta. No entanto, ela é rosada e usada na produção de maravilhosos vinhos brancos.

5. Tannat

Rainha dos vinhedos uruguaios, a Tannat possui casca grossa e bastante taninos. Como resultado, a sua principal característica é a adstringência, aquela sensação de secura na boca. Para equilibrar o paladar, o ideal é harmonizar vinhos Tannat com carnes bem gordurosas, para untar a boca.

6. Cabernet Sauvignon

Essa talvez seja uma das uvas tintas mais conhecidas do mundo. Aliás, vinhos de excelente qualidade são feitos com a Cabernet Sauvignon de Bordeaux, na França, até os vinhedos australianos e americanos. A uva apresenta uma coloração bem escura e traz pouca acidez para os vinhos, que trazem aromas de café e especiarias. Além disso, ela é fruto do cruzamento entre Sauvignon Blanc e Cabernet Franc. Por falar nela…

7. Cabernet Franc

A Cabernet Franc é a principal cepa usada para produzir os vinhos conhecidos como corte bordalês. Nesse caso, a bebida leva diferentes cepas e acaba sendo um blend de alta qualidade e riqueza de aromas e sabores.

8. Zinfandel

Por muito tempo, não houve consenso entre os estudiosos da enologia sobre a origem da uva Zinfandel. No entanto, em anos recentes, evidências apontaram para a Croácia como o berço dessa que é uma das uvas mais antigas que são cultivadas atualmente na Califórnia. Quanto aos aromas e sabores, as uvas Zinfandel podem dar aos vinhos notas de frutas vermelhas e escuras. Sua cor é intensa e acidez, equilibrada.  

9. Montepulciano 

Montepulciano é uma variedade de uva tinta nativa do centro-sul da Itália. De fato, é muito cultivada na Puglia, em Abruzzo e outras regiões famosas do país. Por outro lado, é mais difícil encontrá-la ao norte, já que as uvas Montepulciano não se dão muito bem com o clima frio. Mas, a variedade tem sabores de frutas escuras, como amora e cereja. Além disso, produz vinhos suaves e com pouca acidez.

10. Malbec

Essa também é muito conhecida e leva a fama de uva nacional da Argentina. Os vinhos Malbec do país costumam ser macios e com poucos taninos em relação aos vinhos Malbec produzidos na França. Mas, as uvas dos hermanos são mais resistentes ao calor. Por isso têm cascas mais grossas que as francesas. Além disso, se os vinhos passam por barricas de madeira, seus aromas e sabores se tornam mais densos.

7

11. Sangiovese

As uvas Sangiovese são produzidas, em sua maior parte, em regiões de clima mais quente como a Toscana e a Califórnia. Na verdade, assim como a Malbec é a mais popular na Argentina, ela é a mais famosa da Itália. Apesar de ser encontrada por todo o país, a Toscana reivindica ser sua terra natal. Por lá, a Sangiovese faz belos rótulos blends, como Chianti e outros conhecidos como Supertoscanos. Além disso, apesar de ter a capacidade de envelhecer muito bem, a uva tem melhores sabores e aromas enquanto jovem. Nesse caso, ela oferece sabores frutados e frescos. Por outro lado, se envelhecido em barris de madeira, seus aromas tendem a ser mais complexos e amadeirados.

12. Barbera

Mais uma vez, a Itália é o berço de uma das uvas tintas mais férteis no mundo dos vinhos. De fato, as uvas Barbera são versáteis e com sabores sedosos e com certa acidez. Além disso, na Itália essa cepa só fica atrás das já conhecidas Sangiovese e Montepulciano. A variedade também dá vida a excelentes vinhos de guarda, robustos e com sabores frutados intensos e complexos. À medida que os rótulos envelhecem seus aromas vão se transformando. Inicialmente, são aromas de cerejas e frutas vermelhas. À medida que o tempo passa, as notas vão para frutas negras e intensas.

13. Carménère

Especialmente se forem cultivadas em terroir mais frio, a Carmenére traz para os vinhos um pouco de acidez e muitos aromas de ervas e notas vegetais. Além disso, é comum encontrar nas uvas sabores frutados e amadeirados também. Em geral, seus vinhos são elegantes e frescos.

14. Touriga Nacional

Por vários motivos, a uva tinta portuguesa Touriga Nacional pode ser comparada à francesa Cabernet Sauvignon. Ambas são uvas tintas com intensos aromas frutados, taninos médios a altos e possuem excelente potencial de guarda. Por isso, em Portugal, as uvas são usadas para produzir alguns dos melhores vinhos do país.

6

15. Nebbiolo 

Nesse caso, as uvas Nebbiolo vão mudando suas características à medida que envelhecem. Essa uva tinta original de Piedmont, região vinícola do Noroeste da Itália, quando jovem, produz vinhos de cores leves e taninos fortes e marcantes. Mas, à medida que o tempo passa, elas adquirem aromas e sabores mais complexos e envolventes, como tabaco, frutas vermelhas e violetas.

16. Tempranillo

Mais conhecida como a “Uva Nobre da Espanha”, a uva Tempranillo dá vida a vinhos bem encorpados, de cores intensas e que trazem ao nariz aromas de baunilha, ameixas, tabaco e cereja. À medida que as bebidas envelhecem, ficam ainda melhor e os aromas se intensificam. Atualmente, o Brasil também produz vinhos de uvas Tempranillo que você deveria provar.

17. Grenache

Por fim, temos a Grenache, que também pode ser conhecida como Garnacha e é uma das mais populares uvas da Espanha. Os melhores vinhos Grenache, no entanto, são encontrados na França. Normalmente, eles também têm alto teor alcoólico, cheios de sabores e aromas. Com o tempo, países de todo o mundo desenvolveram técnicas e formas de utilizar as uvas tintas que nasceram na Europa. Dessa forma, a Garnache participou ativamente na distribuição de diferentes cepas por todo o mundo.

4

A globalização espalhou variedades de uvas, antes exclusivamente europeias, para diferentes partes do mundo. Por isso, não é difícil de encontrar rótulos produzidos no Novo Mundo que fazem frente aos clássicos franceses, italianos e espanhóis. Até mesmo no Brasil, você encontra excelentes rótulos produzidos com excelentes uvas tintas.

Escolha o seu preferido na seleta lista abaixo e experimente de diferentes países.

 

O Pinot Noir francês

Terre des Anges Pinot Noir 2020:

Delicado, vibrante, com taninos macios e bom equilíbrio; Produtor: Domaines Montariol Degroote; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas como cereja e framboesa; Harmonização: Queijos leves, pizzas de sabores variados, receitas com cogumelos

Compre aqui

 


 

O Pinot Noir americano

Turning Leaf Pinot Noir:

Leve, fresco, com taninos macios e sutil doçura; Produtor: Turning Leaf; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Cerejas e amoras maduras, com delicadas nuances florais e de especiarias; Harmonização: Atum grelhado com legumes salteados, pizza marguerita, mix de cogumelos na manteiga, ravióli de abóbora com carne seca, galeto assado, quiche de queijo

Compre aqui

 


 

O Pinot Noir chileno

Ventisquero Herú Valle de Casablanca Pinot Noir 2018:

Médio corpo, frutado, elegante, redondo, taninos aveludados, acidez presente que proporciona um excelente frescor, final longo e agradável; Produtor: Viña Ventisquero; Teor alcoólico: 14%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas silvestres como morangos e framboesas, notas de baunilha e especiarias estão sutilmente entrelaçadas com uma mineralidade tão delicada que juntas criam um vinho charmoso e complexo; Harmonização: Risoto de cogumelos, frango assado com batatas, atum grelhado com purê de mandioquinha

Compre aqui

 


 

O Merlot chileno

Baron Philippe de Rothschild Mas Andes Merlot 2020:

Vinho jovem, corpo médio, frutado, taninos macios, acidez baixa para média; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas negras como framboesa, sutis notas herbáceas; Harmonização: Frango assado com batatas, pizza de calabresa, carne seca com abóbora, costela suína ao molho barbecue, nhoque ao sugo, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O Syrah francês

Maison Bouachon La Maurelle AOC Crozes-Hermitage 2019:

Vinho jovem, corpo médio para encorpado, frutado com nuances de especiarias, taninos macios, boa acidez, agradável frescor, final elegante; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Fruta de caroço (cereja, ameixa) misturada com sabor floral, toques de especiarias e final de baunilha; Harmonização: Galeto assado com farofa de bacon, risoto de linguiça com cebola crispy, mix de cogumelos na manteiga de ervas

Compre aqui

 


 

O Syrah chileno

Ventisquero Pangea Valle de Colchagua Syrah 2016:

Encorpado, redondo, taninos maduros e firmes, acidez alta, fresco, um vinho bem estruturado, harmonioso equilíbrio entre fruta e madeira, com notas de especiarias e chocolate, final longo, complexo e agradável; Produtor: Viña Ventisquero; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aromas ricos e complexos, intensos aromas de frutas negras, especiarias, cedro, caramelo e sutis toques minerais especiarias, condimentos e mineralidade proveniente de distintos tipos de solo do Syrah; Harmonização: Carré de cordeiro ao molho de ervas, risoto de funghi, bife ancho ao molho de especiarias

Compre aqui

 


 

O Tannat uruguaio

Alto De La Ballena Tannat 2019:

Taninos intensos, boa intensidade de fruta e acidez equilibrada; Produtor: Alto De La Ballena; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Tannat (vinho varietal); Nariz:Mirtilos, ameixa, amora preta e um toque de menta; Harmonização: Cordeiro assado, ossobuco e risoto de queijos

Compre aqui

 


 

O Cabernet Sauvignon francês

Terre des Anges Cabernet Sauvignon 2020:

Arredondado, equilibrado, taninos macios; Produtor: Domaines Montariol Degroote; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas bem maduras; Harmonização: Queijos maduro, hambúrguer, massas com molho ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon argentino

Salentein Killka Cabernet Sauvignon 2021:

Vinho jovem, corpo médio, frutado, boa estrutura, taninos sedosos; Produtor: Bodegas Salentein; Teor alcoólico: 13,9%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, especiarias, um toque de baunilha; Harmonização: Ensopado de carne, nhoque de batata doce ao sugo, sanduíche de pernil, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon argentino

Terrazas de Los Andes Reserva Cabernet Sauvignon 2020:

Corpo médio para encorpado, frutado, redondo, taninos firmes, acidez média para alta que lhe confere um bom frescor, final longo, complexo e agradável; Produtor: Terrazas de los Andes; Teor alcoólico: 14%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas negras maduras, cassis, mirtilo, especiarias, tosta e sutis notas herbáceas; Harmonização: Picanha na manteiga de ervas, risoto de funghi ao vinho tinto, polenta mole com ragu de costela, legumes na brasa

Compre aqui

 


 

O Cabernet Franc uruguaio

Alto De La Ballena Reserva Cabernet Franc 2016:

Macio, com boa estrutura e taninos delicados; Produtor: Alto De La Ballena; Teor alcoólico: 14%; Uva: Cabernet Franc (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras, um toque de menta, baunilha e cacau; Harmonização: Filé à Oswaldo Aranha, pato ao molho, codorna assada

Compre aqui

 


 

O Montepulciano italiano

Brondello Maturo Montepulciano d’Abruzzo DOC 2019:

Encorpado e robusto, com toques de frutas pretas, nuances amadeiradas e de tabaco; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12%; Uva: Montepulciano (vinho varietal); Nariz: Complexo, com notas de frutas vermelhas maduras, especiarias, alcaçuz e flores; Harmonização: Risoto de carne seca com queijo Coalho, costelinha de porco com mandioca frita, espaguete à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O Malbec argentino

Pirueta Malbec 2021:

Encorpado com bons níveis de taninos e final de boca deliciosamente frutado; Produtor: Fecovita; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Amora e ameixa preta com toques de cravo-da-índia e pimenta; Harmonização: Pizza de calabresa, queijo Parmesão, costela na brasa

Compre aqui

 


 

O Malbec argentino

Susana Balbo Signature Malbec 2019:

Corpo médio para encorpado, frutado com nuances amadeiradas, elegante, redondo, taninos presentes e bem integrados, acidez agradável, final longo e persistente; Produtor: Susana Balbo Wines; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas negras, mirtilo, alcaçuz, notas florais, toques de baunilha, chocolate amargo e amadeirado; Harmonização: Costela bovina no melaço, assado vegetariano com com chimichurri, penne ao ragu de linguiça e vinho tinto e queijos duros

Compre aqui

 


 

O Malbec argentino

BenMarco Sin Límites Gualtallary Malbec 2019:

Encorpado, intenso, bem estruturado, frutado em equilíbrio com notas minerais, taninos finos, acidez vibrante, agradável frescor, final longo e complexo; Produtor: Susana Balbo Wines; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Frutas negras como cereja e cassis, notas de pimenta, especialmente rosa, notas calcárias, terroso, herbáceo; Harmonização: nhoque ao ragu de cordeiro, parrilla argentina, empanada de berinjela com tomate seco, queijos duros

Compre aqui

 


 

O Sangiovese italiano

Da Vinci Brunello di Montalcino Riserva DOCG 2013:

Intenso, elegante e persistente; Produtor: Cantine Leonardo da Vinci; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Sangiovese (vinho varietal); Nariz: Aromas de pequenas frutas vermelhas, especiarias, notas defumadas e terrosas; Harmonização: Carnes assadas, carnes de caça, queijos maturados

Compre aqui

 


 

O Sangiovese italiano

Cantina di Montalcino Brunello di Montalcino DOCG 2016:

Encorpado, com taninos ricos que são equilibrados com acidez e álcool, final envolvente e longo; Produtor: Cantina di Montalcino; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Sangiovese (vinho varietal); Nariz: Intenso, com notas de cereja preta, groselha que são complementados por toques de tostado, e alcaçuz; Harmonização: Queijo grana padano, picanha na brasa

Compre aqui

 


 

O Sangiovese italiano

Sardelli DOCG Chianti 2021:

Um vinho jovem, corpo leve para encorpado, frutado, taninos macios, acidez vibrante que lhe confere agradável frescor; Produtor: Cecchi; Teor alcoólico: 13%; Uva: Sangiovese (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas, folhas secas, vegetal; Harmonização: Rocambole de carne, lasanha à bolonhesa, spaghetti alla Norma

Compre aqui

 


 

O Sangiovese italiano

Monteguelfo DOCG Chianti 2021:

Vinho jovem, corpo médio, frutado, taninos presentes, acidez vibrante, agradável frescor; Produtor: Cecchi; Teor alcoólico: 13%; Uva: Sangiovese (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas vermelhas frescas, morangos e cerejas, nuances florais; Harmonização: Risoto de rabada, espaguete à bolonhesa, lasanha de berinjela, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O Barbera italiano

Rivetto Zio Nando DOC Barbera dAlba 2018:

Médio corpo para encorpado, frutado, delicado e elegante, taninos suaves e macios, alta acidez que proporciona um excelente frescor, final longo e agradável; Produtor: Rivetto; Teor alcoólico: 15,5%; Uva: Barbera (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas vermelhas maduras, frutas negras, especiarias e sutis notas de tabaco; Harmonização: Talharim com ragu de costela e grana padano, ensopado de carne com legumes, gnocchi ao sugo

Compre aqui

 


 

O Barbera italiano

Beni di Batasiolo Sovrana DOC Barbera dAlba 2019:

Corpo de leve para médio, taninos macios, boa acidez, frutado, boa persistência; Produtor: Beni di Batasiolo; Teor alcoólico: 14%; Uva: Barbera (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, floral, especiarias, baunilha, tostado; Harmonização: Bife Ancho com batata sauté, polenta cremosa ao ragu de shitake, costelinha suína com risoto de alho poró, fettuccine all’Amatriciana, frango ao molho pardo, e queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O Carménère chileno

La Conquista Single Vineyard Carménère Valle Central DO 2021:

Equilibrado e elegante, com taninos aveludados; Produtor: Bodegas De Aguirre; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Carménère (vinho varietal); Nariz: Aromas de geleia de frutas vermelhas, ameixas, e especiarias; Harmonização: Massas, receitas com ervas, presunto, e queijos maduros

Compre aqui

 


 

O Carménère chileno

Baron Philippe de Rothschild Mas Andes Reserva Carménère 2019:

Médio corpo, frutado, equilibrado, taninos firmes, média acidez; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13%; Uva: Carménère (vinho varietal); Nariz: Frutas negras, especiarias, café e um leve tostado; Harmonização: Carne de panela, nhoque de mandioquinha com creme de cogumelos, arroz carreteiro e queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O Carménère chileno

Ventisquero Obliqua Valle de Colchagua Carménère 2018:

Corpo médio para encorpado, estrutura firme, frutado com nuances de madeira e especiarias, taninos bem presentes, muito elegante, boa acidez, equilibrado e persistente; Produtor: Viña Ventisquero; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Carménère, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, como framboesa, misturadas com notas de pimenta branca e notas balsâmicas, e um pouco de especiarias suaves; Harmonização: Picanha assada na manteiga de ervas, lasanha de cogumelos, costela defumada, queijos duros

Compre aqui

 


 

O Touriga Nacional português

Larus Touriga Nacional Vinho Regional de Lisboa 2018:

Rico, encorpado, vibrante e com taninos aveludados. O final é longo e persistente, trazendo notas de frutas e especiarias no retrogosto; Produtor: Adega Mãe; Teor alcoólico: 14%; Uva: Touriga Nacional (vinho varietal); Nariz: Cereja madura, amora, cravo e baunilha; Harmonização: Costela no bafo, queijo de ovelha, risoto de Parmesão

Compre aqui

 


 

O Nebbiolo italiano

Antiche Cantine Dei Marchesi Di Barolo Barolo DOCG 2017:

Rico, elegante, taninos macios e envolventes, toques picantes e amadeirados; Produtor: Marchesi Di Barolo; Teor alcoólico: 14%; Uva: Nebbiolo (vinho varietal); Nariz: Complexo e duradouro, com notas de frutas maduras, especiarias, absinto, tabaco e rosas; Harmonização: Risoto de trufas, Brasato al Barolo, pato assado

Compre aqui

 


 

O Nebbiolo italiano

Giulia Negri Serradenari Barolo 2018:

Taninos finos, maduros e sedosos. Uma linda tensão no fim de boca com uma fruta salivante; Produtor: Giulia Negri; Teor alcoólico: 14,07%; Uva: Nebbiolo (vinho varietal); Nariz: Um nariz lindamente perfumado, com pétalas de rosa, especiarias, um frescor de ervas finas, cerejas e chão molhado; Harmonização: Carnes grelhadas, massas ao tartufo, vitelo e queijos maduros

Compre aqui

 


 

O Tempranillo espanhol

Finca Constancia Parcela 23 Single Vineyard Tempranillo 2016:

Frutado, médio corpo, taninos macios, fresco; Produtor: Finca Constancia; Teor alcoólico: 14%; Uva: Tempranillo (vinho varietal); Nariz: Frutas negras, tosta, vegetal; Harmonização: Risoto de embutidos, batata hasselback com queijo e bacon, puchero, tortellini ao ragu de carne, rosbife de filé-mignon, tagliatelle à carbonara

Compre aqui

 


 

⇒ O Tempranillo espanhol

Finca Constancia Parcela 23 Single Vineyard Tempranillo 2019:

Médio corpo, frutado, taninos macios, acidez agradável, bom final; Produtor: Finca Constancia; Teor alcoólico: 14%; Uva: Tempranillo (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, chocolate, tosta, herbal; Harmonização: Risoto de embutidos, rosbife de filé-mignon, batata hasselback com queijo e bacon, puchero, tortellini ao ragu de carne, tagliatelle à carbonara

Compre aqui

 


 

O Garnacha espanhol

Escarot Single 2019:

Bom corpo, acidez equilibrada e frutado; Produtor: Productores Y Transformadores Vinícolas S.L.; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Garnacha (vinho varietal); Nariz: Expressivo com notas frutadas; Harmonização: Bisteca suína puxada no alho e tempero de ervas, salada de cenoura assada com café e especiarias, nachos, legumes sauté, cogumelos salteados, lasanha gratinada, cuscuz vegetariano

Compre aqui

 


 

O Garnacha espanhol

OGV Old Garnacha Vines D.O. Calatayud 2016:

Frutado, médio corpo, taninos macios, acidez agradável; Produtor: Bodegas Virgen de la Sierra; Teor alcoólico: 14%; Uva: Garnacha (vinho varietal); Nariz: Frutas maduras, floral; Harmonização: Risoto quatro queijos, maminha grelhada, frango assado ao creme de mostarda, canelone à bolonhesa, ensopado de carne e legumes, queijos do tipo Manchego

Compre aqui

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Ideias de harmonização de vinho e molho de tomate
Introdução Se você é um entusiasta do vinho, é provável que você tenha harmonizado seu vinho favorito com...
5 Vinhos franceses premiados que você precisa experimentar
Introdução Pouco depois de chegar à França, eu tinha certeza de uma coisa: os vinhos franceses eram incríveis....
Os 10 melhores vinhos Malbec que você pode comprar na Internet
Introdução O Malbec é uma das uvas mais populares do mundo, e é fácil ver o porquê. Ele...
Tábua de frios e harmonias com vinhos
Introdução Os cortes frios são uma ótima maneira de acrescentar um elemento extra especial à sua festa. Se...
Carpaccio, a receita veneziana e suas harmonias com vinhos
Carpaccio é uma das receitas mais famosas da cozinha veneziana. Ela consiste em carne crua, e seu nome...
Vinho Lambrusco, a jóia de Emilia-Romagna
Introdução O Lambrusco é um vinho único que é difícil de categorizar. Apesar de ser uma uva tinta,...