Vinho Bordeaux – Tudo o que você sempre quis saber

Publicado em:

Vamos combinar…quando se fala em vinho francês, um dos mais lembrados é o vinho Bordeaux. Afinal, a pequena região localizada a oeste da França, uns 500 quilômetros distante da capital, concentra cerca de 1,5% de todas as vinícolas do mundo! Então, não é de se admirar que seus vinhos tenham se tornado verdadeiras celebridades no cenário enológico mundial. No entanto, mesmo sendo geograficamente pequena, Bordeaux é dividida em várias sub-regiões. Além disso, cada uma é especializada no cultivo e produção de uvas e vinhos específicos, como você pode conferir no mapa abaixo. Mas, por que a região e o vinho Bordeaux ganharam tanta notoriedade? A seguir, confira a história, divisão geográfica, as características e os principais vinhos produzidos em Bordeaux.

Por que o vinho Bordeaux é tão famoso

Em Bordeaux são produzidos vinhos para todos os gostos e bolsos. De fato, em alguns leilões você encontra rótulos da região que chegam a custar R$100 mil. Mas, esses são vinhos produzidos pelas mais antigas vinícolas da região. Além disso, os vinhos locais são, em sua maioria, blends. Ou seja, cada garrafa é composta por diferentes uvas. Normalmente, os vinhos são uma mistura muito bem feita de uvas Merlot e Cabernet Sauvignon. Mas, nada impede que outras uvas sejam incluídas, desde que sigam as regras determinadas por cada Denominação de Origem. Na região, são cultivadas as seguintes uvas:

  • Mucadelle;
  • Sauvignon Blanc;
  • Seémillon;
  • Petit Verdot;
  • Cabernet Franc;
  • Cabernet Sauvignon
  • Merlot

Falando nisso… conheça a partir de agora, as diferentes sub-regiões de Bordeaux.

Diferentes regiões de Bordeaux

infográfico vinho Bordeaux

Basicamente, Bordeaux se divide em três partes principais. Com o tempo, cada uma delas se tornou especialista em um vinho Bordeaux próprio do local. Ou seja, cada sub-região se tornou uma Denominação de Origem diferente. Isso quer dizer que cada uma delas possui regras rígidas e específicas para que os vinhos ali produzidos possam estampar em seus rótulos a região bordalesa de onde se originam. Por isso, a região é tão famosa e seus vinhos tão cobiçados.

Acontece que a região aperfeiçoou de tal maneira a arte da vinicultura que, ao comprar um vinho Bordeaux, a chance de ficar insatisfeito é praticamente nula. Afinal, cada produtor precisa dar o sangue para garantir que seu produto atinja os altos padrões determinados pela Denominação de Origem. Mas, três sub-regiões se destacam, a Margem Direita, a Margem Esquerda e a Entre Rios. Divididas pelo Rio Gironde, tamanha é sua influência que cada uma dessas regiões possui clima e características próprias. Então, confira a seguir cada uma delas.

Margem Direita

À direita do Rio Gironde, que corta a região de Bordeaux, está a região onde predomina o cultivo e produção do vinho Bordeaux à base de uvas Merlot. Geralmente, o terroir é formado por um solo rico em argila. Desse lado do rio, as propriedades são mais simples e ela está dividida em duas partes principais, Pomerol e Saint-Émilion.

Pomerol

Inicialmente, Pomerol passava despercebida aos olhos do mundo. Afinal, é a menor das sub-regiões de Bordeaux. No entanto, ela abriga o premiado e prestigiado châteaux Pétrus, de onde saem as garrafas de vinho Bordeaux mais caras do mundo. Por isso, a região pegou carona na fama alcançada pelo rótulo.

Mas, outros vinhos incríveis são produzidos em Pomerol. Afinal, o terroir que inclui o solo rico em argila e carvalho local favorece o cultivo das uvas Merlot e Cabernet Franc. Como resultado, a bebida ali produzida é sempre elegante e de sabor intenso. Ao mesmo tempo, consegue unir notas florais e de frutas com o aroma potente de cacau. Assim, são conhecidos por serem vinhos fáceis de beber e de harmonizar, podendo ser consumidos ainda jovens.

Saint-Émilion

Paralelamente, ainda na margem direita, está Saint-Émilion. Coberta de diferentes produtores de vinho Bordeaux, a região é rica em calcário e é vista como a mais medieval das sub-regiões de Bordeaux. Ali, normalmente, são as próprias famílias as responsáveis pela produção dos grandes vinhos. Mas, os três vinhos mais conhecidos são o Ausone, Magdelaine e Cheval Blanc.

Mas, existe o outro lado da moeda. Então, passemos para a margem oposta.

Margem Esquerda

Predominantemente, a Margem Esquerda cultiva uvas Cabernet Sauvignon, que se adaptam bem ao solo rochoso, que facilita o escoamento de água. Por isso, é bem possível que você conheça algum vinho Bordeaux criado exatamente nessa parte de Bordeaux. Mas, assim como a Margem Direita, ela é dividida em sub-regiões com características próprias, confira!

Médoc

Para começar, se você alguma vez já ouviu falar de vinhos Margaux, Saint-Julien-Pauillac ou Saint-Estèphe, saiba que todos são produzidos na Margem Esquerda. Dessa forma, a região ganhou notoriedade e costuma ser associada com luxo e sofisticação. Aliás, também costuma ser a mais lembrada.

Graves

Por outro lado, Graves é o local onde são produzidos vinhos de qualidade, mas com preços mais acessíveis. O terroir local, rico em cascalho, também favorece a produção de vinhos cheios de aromas e sabores únicos. Aliás, é possível encontrar uvas brancas e tintas na região. Assim, você vai notar o uso frequente de Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon em Graves.

Assim, caso você encontre um vinho com o selo Pessac-Leógnan, saiba que a Apelação, ou Denominação de Origem é baseada em Graves. De fato, muitos de seus vinhos são premiados e conhecidos no mundo todo.

Sauternes e Barsac

Ainda na Margem Esquerda, mas ao sul da região de Graves, você encontra o berço do vinho Bordeaux de sobremesa. As comunas de Sauternes e Barsac cultivam uvas Sémillon e Sauvignon Blanc de forma impecável. Sendo assim, aliado ao clima propício, os frutos amadurecem de tal forma que concentram de forma equilibrada acidez, dulçor, teor alcoólico e notas frutadas. Aliás, o clima é tão importante para o vinho Bordeaux, que é possível identificar a safra pelas características da bebida. Além disso, alguns produtores preferem não seguir com o processo de vinificação caso as condições climáticas não sejam as mais favoráveis. Até aqui, você descobriu as margens direita e esquerda do Rio Gironde. Mas, ainda tem uma região que você precisa conhecer. Continue lendo.

Entre-Deux-Mers (entre dois mares/entre rios)

Como vimos, cada margem do Rio Gironde possui solo e clima propício para diferentes tipos de uvas. Mas, até aqui, falamos bastante das cepas tintas. Pois, é na região central, localizada entre os rios Garonne e Dordogne, que os vinhos brancos brilham! Sendo assim, se você se deparar com um vinho que ostenta o selo de Entre-Deux-Mers, você já sabe: uvas brancas. No entanto, diferente das primas ricas, essa região não ganhou tanta fama e holofotes. Por isso, seus vinhos não são considerados tão finos quanto os das margens direita e esquerda. Na verdade, eles nem possuem uma Denominação de Origem para chamar de sua…

Por que o vinho Bordeaux é tão importante?

vinho bordeaux

Basicamente, porque a região possui características únicas. Por exemplo, o Rio Gironde é um ambiente que faz a ligação entre o Oceano Atlântico e os rios Garone e Dordogne. Como resultado, as condições climáticas de suas regiões são ricas e bem delimitadas. Por isso, as safras são diretamente influenciadas pelo clima e expressam bem toda essa riqueza ambiental.

Por que a região de Bordeaux é importante?

Para qualquer pessoa que ama e respeita o processo de produção de vinhos, uma região com tantos atributos geográficos, climáticos e topográficos é digna de ser exaltada. Quanto mais para os franceses! Assim como se protege uma joia, os franceses defendem justamente toda a tradição que acompanha a produção de vinhos e a comida francesa, desde sempre. Sem falar de toda a movimentação que o vinho Bordeaux causa na economia da França. De fato, às vezes, a região é chamada de “a nova Paris”, tamanha a sua importância em fazer a moeda girar pelo país.

Ao mesmo tempo, a região de Bordeaux se tornou sinônimo de crescimento para os franceses que apostaram na exportação de suas garrafas para a sedenta Grã-Bretanha. Dessa forma, os vinhos elaborados serviam como moeda de troca e como uma ferramenta para edificar a economia francesa.

Curiosidades sobre a região e o vinho Bordeaux

  • Para começar, você sabia…

que um dos vinhos mais famosos do mundo é feito com uvas podres? Bom, elas não chegam a estar podres, podres…mas, são tomadas por um fungo muito específico. Nesse caso, o resultado é que os bagos acabam cheios de pequenos furos por onde a água do fruto evapora. Consequentemente, todo o açúcar e aromas dos frutos se concentram. A partir de então, todo o vinho produzido com as uvas contaminadas fica mais doce e com aroma mais forte. Ou seja, perfeito!

  • Você sabia…

que as primeiras menções sobre o vinho Bordeaux estão registradas nos poemas escritos por um poeta chamado Ausone? Aliás, o poeta deu nome a um famoso vinho bordalês também. De fato, ele era um grande entusiasta da arte da vitivinicultura local e enaltecia os vinhos da região. Atualmente, o Châteaux Ausone é premiadíssimo e produzido na região de Saint-Émilion, na margem direita da região de Bordeaux.

  • Você sabia…

que, apesar dos vinhos caros e famosos, Bordeaux também oferece um vinho barato e totalmente acessível? Pois, o vinho Bidonnet Laffitte é conhecido por ser mais leve e sem muita estrutura. Seu gosto, porém, é liso e aveludado, cheio de aromas de frutas. Vale a pena experimentar esse vinho Bordeaux.

infográfico vinho bordeaux

Como harmonizar o vinho Bordeaux

Inicialmente, falamos sobre praticamente todo vinho Bordeaux é um blend de duas ou mais castas da região. Por isso, é quase impossível encontrar um vinho varietal da região. Sendo assim, veja como harmonizar diferentes rótulos de acordo com uma das castas principais de sua composição.

Vinhos brancos de uvas Semillón

Normalmente, se o vinho leva maior concentração de uvas Semillón, seu sabor vai ser mais doce e seus aromas vão levar para essa direção. Por isso, uma parte de Sauvignon Blanc será acrescentada para equilibrar o dulçor, conferir a necessária acidez e trazer frescor para a bebida. Assim, a combinação ideal é servir com peixes e frutos do mar. Dessa forma, a leveza do vinho não vai ofuscar a leveza do prato.

Vinhos branco de uvas Sauvignon Blanc

Por outro lado, pode ser que seu vinho Bordeaux tenha a Sauvignon Blanc como predominante. Nesse caso, o seu vinho ainda vai ter aromas e notas leves. No entanto, a diferença está na acidez da bebida, mais pronunciada. Por isso, você pode investir em um preparo mais gorduroso, talvez até uma fritura. Mas, sugerimos que ainda se atenha aos frutos do mar. Sendo assim, que tal experimentar o seu vinho com peixe ou camarão, acompanhado de batatas fritas? O vinho vai limpar o paladar sem dominar completamente a boca.

Vinhos tintos de uvas Merlot

Agora, se seu vinho Bordeaux é um Merlot, ele tende a ter aromas mais frutados que outros rótulos. Na verdade, é bem comum que tenham também notas de ervas e flores. Além disso, diferente dos brancos, os tintos são ricos em taninos, presentes na casca e que tornam os vinhos mais fortes e aumentam a salivação. Por isso, são excelentes companhias para carnes vermelhas.

Caso você prefira um preparo sem carne, o cogumelo tem o sabor e textura necessários para fazer companhia ao seu vinhos Merlot. Para acompanhar, grelhe legumes bem temperados e pode até servir um molho à base do mesmo vinho.

Vinhos tintos de uvas Cabernet Sauvignon

Vinho Bordeaux Cabernet Sauvignon é um clássico. E como tal, pede preparos clássicos também. Sendo assim, para harmonizar com os aromas de frutas da uva tinta, escolha uma carne mais leve. Nesse caso, experimente cordeiro acompanhado de um bom molho. Não tem erro!

Um Bordeaux sempre vai bem!

Para concluir, vimos que a pequena região francesa é gigante em história e diversidade de terroir. Por isso, que tal experimentar diferentes rótulos que te levem para uma verdadeira viagem pelas margens do Rio Gironde? Aproveite nossas ofertas e escolha o seu!

 

Vinho tinto

Château Saint-Bonnet Médoc AOP 2017:

Saboroso, aveludado, acidez agradável e taninos intensos; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas intensos de groselha e cacau; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas ao molho vermelho

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Hannetot Pessac-Léognan AOC 2016:

Encorpado e carnudo, com final persistente; Produtor: Château Hannetot; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de groselha e cereja, com toques de alcaçuz e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas magras, massas com ragu

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Jean-Pierre Moueix A.O.C. Saint-Émilion 2016:

Bom corpo, taninos macios, boa acidez, amadeirado; Produtor: Moueix; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Amora, cereja preta, framboesa, amadeirado, especiarias, defumado; Harmonização: Risoto de queijo e filé-mignon, picanha grelhada, tortilla com costela, quiche com presunto cru e cebolas carameladas, ravióli na manteiga recheado com cordeiro, cogumelos recheados

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Rouget Pomerol 2011:

Harmonioso, taninos redondos, notas picantes e minerais; Produtor: Château Rouget; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de especiarias, cardamomo, frutas pretas, baunilha; Harmonização: Queijo Gorgonzola, costela assada, carré de cordeiro

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Simard Saint-Émilion Grand Cru AOC 2012:

Elegante, encorpado, taninos redondos e final persistente; Produtor: Château Simard; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas maduras com nuances balsâmicas; Harmonização: Queijo Parmesão Capa Preta, massas com funghi porcini, bife de alcatra salteado na manteiga de ervas

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Pagodes de Cos Saint-Estèphe AOC 2016:

Corpo médio, taninos vivos, acidez média mais, final longo e aveludado; Produtor: Château Cos D’Estournel; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Petit Verdot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de amora, chocolate amargo, menta e carvalho; Harmonização: Queijo Grana Padano, boeuf bourguignon, bisteca fiorentina

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

La Devise de Lilian Saint-Estèphe AOC 2017:

Saboroso, com taninos bem integrados, estrutura aveludada e toques frutados; Produtor: Château Lilian Ladouys; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Queijo Grana Padano, Boeuf Bourguignon, bisteca Fiorentina

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Blason d’Issan Margaux AOC 2014:

Taninos macios, excelente estrutura e equilíbrio; Produtor: Château d’Issan; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas florais e de frutas vermelhas, como cassis e framboesas, sobre um fundo especiado; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Blason d’Issan Margaux AOC 2018:

Estruturado, equilibrado, macio; Produtor: Château d’Issan; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas; Harmonização: Queijo Provolone, entrecôte ao molho bordelaise, risoto de cogumelos frescos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

S de Siran Margaux AOC 2017:

Estruturado, complexo e redondo, com taninos firmes, toques frutados e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Carnes de caça e queijos leves

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Le Lion de La Fleur de Boüard Lalande de Pomerol AOC 2018:

Corpo médio a encorpado, textura macia, frescor agradável, final terroso; Produtor: Château La Fleur de Boüard; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Bastante aromático, traz notas de cereja preta, ervas secas e cogumelos; Harmonização: Queijo Gruyère, fraldinha grelhada, massa com molho à bolonhesa

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Grand Pey-Lescours Saint-Emilion Grand Cru AOC 2014:

Boa estrutura, é redondo com taninos macios, muita fruta e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas de frutas negras maduras, toques herbáceos e de especiarias; Harmonização: Risoto de cogumelos, queijos como camembert, aves

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Domaines Delon Chapelle de Potensac Médoc AOC 2017:

Saboroso, fresco, frutado, vivaz e com taninos macios; Produtor: Domaines Delon; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e groselhas pretas, com toques de especiarias e chocolate; Harmonização: Queijo Provolone, entrecôte ao molho bordelaise, risoto de cogumelos frescos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château du Closet A.O.P. Bordeaux Rouge 2019:

Expressivo, frutado, corpo de leve para médio, taninos macios, boa acidez, final agradável; Produtor: Château du Closet; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutado com aroma de frutas negras; Harmonização: Filé-mignon com molho madeira, batata recheada com queijo e bacon, escondidinho de carne-seca, talharim com ragu de carne, cogumelos recheados, mix de queijos semi-maduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Tour de Pez 2014:

Rico, elegante e com taninos aveludados; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras; Harmonização: Filé mignon ao molho madeira

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Jean-Pierre Moueix A.O.C. Bordeaux 2016:

Médio corpo, acidez agradável, taninos macios; Produtor: Moueix; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cereja, ameixa, morango, tabaco, especiarias; Harmonização: Maminha ao forno com legumes, risoto de parmesão, conchiglione de abóbora com carne seca, talharim com ragu de costela, quesadilla de mignon, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Gravat Médoc Cru Bourgeois AOC 2018:

Frutado, taninos sedosos e abundantes; Produtor: CGM Vins; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, queijos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Saint Brice Saint-Émilion AOC 2018:

Redondo, macio e de bom comprimento, com taninos sedosos; Produtor: CGM; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas maduras, com toques de cassis, especiarias e madeira; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, tábuas de queijos maduros, sobremesas a base de chocolate

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Grand Vin Baron des Fontenilles Médoc AOP 2019:

Equilibrado, frutado e fresco, com taninos macios; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas; Harmonização: Carne vermelha, carnes de caça e massas ao molho vermelho

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Demoiselle de Hautefort Margaux 2019:

Médio corpo, macio com ótima acidez, elegante e redondo; Produtor: CGM; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas aveludadas e escuras; Harmonização: Carne de cordeiro, aves e carnes vermelhas

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

LHospitalet de Gazin A.O.C. Pomerol 2014:

Complexo, elegante, macio, equilibrado, com boa estrutura, notas de café e chocolate; Produtor: Château Gazin; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Ameixa, cereja preta, alcaçuz, notas de especiarias e toque amadeirado; Harmonização: Risoto caprese, picanha ao forno, pernil de cordeiro assado, linguine ao ragu de carne, codorna ao molho de vinho, ravioli ao pomodoro

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Haut-Ballet Lalande de Pomerol AOP 2018:

Equilibrado, redondo, carnudo, com bom volume e frescor; Produtor: CGM; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cereja, groselha preta, notas de cacau; Harmonização: Costelinha de porco, legumes na brasa, queijo Gouda

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Fonréaud Listrac-Médoc AOC 2011:

Taninos firmes, encorpado, potente, cheio em boca; Produtor: Vignobles Chanfreau; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, notas florais e de especiarias; Harmonização: Carnes grelhadas, pizzas quatro queijos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

BriO de Cantenac Brown Margaux AOC 2015:

Encorpado, potente, complexo, com taninos marcantes que se equilibram a acidez; Produtor: Château Cantenac Brown; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de ameixa madura, especiarias, couro e alcaçuz no final de prova; Harmonização: Cordeiro assado, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Lagrange A.O.C. Pomerol 2013:

Elegante, médio corpo, acidez agradável, taninos macios; Produtor: Château Lagrange; Teor alcoólico: 13%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Ameixa, cereja negra, amora madura, especiarias, terroso; Harmonização: Picanha de cordeiro, risoto trufado, arroz de pato, parpadelle com ragu de filé-mignon, ravióli com ragu de costela, queijos semi-duros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Mise de la Baronnie A.O.C. Médoc 2017:

Médio corpo, taninos macios, boa acidez; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, especiarias; Harmonização: Picanha recheada, coelho assado ao molho de champignons, filé mignon à parmegiana, espaguete ao sugo com polpetone, stinco suíno ao molho agridoce, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Baron Des Fontenilles Bordeaux 2019:

Corpo médio, taninos macios e acidez média; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa, cereja e mirtilo, com nuances de charuto doce; Harmonização: Tábua de frios, hambúrguer e pizzas variadas

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Mise de La Baronnie A.O.C Pauillac 2016:

Corpo médio, taninos presentes, boa acidez, final longo; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Franc, Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Morango maduro, framboesa madura, especiarias, tosta; Harmonização: Picanha na brasa, pizzas variadas, polenta rústica com cogumelos, mignon com molho rôti, pernil suíno ao molho de frutas vermelhas, batatas recheadas com bacon e queijo

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Jean-Pierre Moueix A.O.C. Pomerol 2016:

Médio corpo, taninos macios, acidez agradável, final longo; Produtor: Moueix; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Morango, cereja, mirtilo, alcaçuz, tosta, especiarias, nozes; Harmonização: Carneiro na brasa, risoto ao funghi, bife ancho com batatas rústicas, costeleta de javali com berinjela, pato à antillaise, mix de queijos maturados

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Puy-Blanquet A.O.C. Saint-Émilion Grand Cru 2014:

Elegante, acidez agradável, bom corpo, taninos macios; Produtor: Château Puy-Blanquet; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa, alcaçuz, folhas secas, mineral, especiarias doces; Harmonização: Risoto de brie e parma, tagliatelle com ragu de costela, arroz de pato, ravióli recheado com mussarela de búfala, filé-mignon suíno, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

L’Eclat de Tour de Pez Saint Estephe AOC 2017:

Complexo e redondo, com taninos aveludados, notas frutadas e final macio e refrescante; Produtor: Château Tour de Pez; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas, com toques de baunilha e carvalho; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça assadas, tábua de queijos, aperitivos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Enclos du Wine Hunter A.O.C. Bordeaux Rouge 2018:

Frutado, corpo de leve para médio, taninos macios, boa acidez, final agradável; Produtor: Enclos du Wine Hunter; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas, floral, especiarias; Harmonização: Filé-mignon com molho madeira, batata recheada com queijo e bacon, talharim com ragu de carne, escondidinho de carne-seca, cogumelos recheados, mix de queijos semi-maduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

L’impression de Mauvesin Barton Médoc AOC 2014:

Taninos aveludados, balanceado com final longo e profundo; Produtor: Château Mauvesin Barton – Grupo Castel; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Aromas de amora com notas de baunilha, madeira e toques tostados devido ao estágio em barricas; Harmonização: Paleta de cordeiro com queijo

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Palmer 2005:

Concentrado, elegante, potente, taninos presentes, boa acidez, final persistente; Produtor: Château Palmer; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Cereja negra, mirtilo, cassis, ameixa, alcaçuz, framboesa, floral, chocolate, tosta; Harmonização: Picanha de cordeiro, risoto trufado com ossobuco, risoto de tomate seco e funghi, baby beef com cebolas carameladas, cogumelos recheados com bacon e queijo brie, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château de La Rivière A.O.C. Fronsac 2015:

Encorpado, taninos presentes, boa acidez, fruta e madeira em perfeito equilíbrio; Produtor: Château de La Rivière; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Malbec (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, frutas negras, especiarias, notas do amadurecimento; Harmonização: Risoto trufado, costeleta de javali com berinjela, mignon ao molho de nozes com purê de mandioquinha, pappardelle com ragu de ossobuco, cupim no bafo ao chimichurri, magret de pato

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Roc de Boisseaux A.O.C. Saint-Émilion 2012:

Corpo de médio para encorpado, taninos macios, acidez agradável, complexo, maduro; Produtor: Château Roc de Boisseaux; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, frutas negras maduras, floral, especiarias, defumado; Harmonização: Costeleta de cordeiro, picanha com batata rosti, ensopado de javali, arroz de pato, cogumelo recheado com queijo, queijos maturados

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Haut Medoc de Haut Bages Liberal AOP 2013:

Frutado, saboroso, equilibrado e cheio, com final refrescante; Produtor: Château Haut-Bages Libéral – Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas maduras, com toques de madeira e cedro; Harmonização: Filé mignon à parmegiana, coelho assado ao molho de laranja, risoto de parmesão

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château La Fleur-Pétrus A.O.C. Pomerol 2006:

Aveludado, complexo, boa acidez, corpo de médio para encorpado; Produtor: Château La Fleur-Pétrus; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, frutas negras, violeta, especiarias, cedro, mineral, leve amadeirado; Harmonização: Paleta de cordeiro, picanha de cordeiro com molho roti, risoto trufado com cogumelos, arroz de pato, pappardelle com ragu de ossobuco, pizza de jamon e grana padano

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Haut Lartigue Pessac-Léognan AOC 2015:

Corpo médio, aveludado, persistente; Produtor: Maison Bouey; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e pretas, com notas florais e de especiarias; Harmonização: Carnes de caça, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Haut-Vigneau Pessac-Léognan AOC 2016:

Encorpado, taninos macios e aveludados, ótimo equilíbrio e final persistente; Produtor: Château Haut-Vigneau; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa madura, groselha preta e toques de tostado e especiarias ao final de prova; Harmonização: Carnes grelhadas ao molho, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Dame de Boüard Montagne Saint-Émilion AOC 2017:

Notas de frutos maduros, taninos suaves e bom comprimento; Produtor: Château Clos de Boüard – Grupo Castel; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de baga de frutas vermelhas com um toque de especiarias; Harmonização: Lombo assado, carré de cordeiro com ervas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Bordeaux Chateau Bessan Segur Cru Bourgeois AOC 2013:

Corpo médio e taninos macios; Produtor: Sovex Grands Châteaux; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Malbec e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas com toques de carvalho; Harmonização: Aves e carne suína

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Chasse-Spleen Moulis en Médoc AOC 2013:

Encorpado, taninos harmoniosos e marcantes, potente, final longo e floral; Produtor: Château Chasse-Spleen; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Toques mentolados e florais, cereja e morango com final especiado e tostado; Harmonização: Fraldinha grelhada, queijo gouda e emmental

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

Château Peyret Grand Vin de Bordeaux Graves AOP 2012:

Corpo médio, taninos macios, muita fruta e final equilibrado; Produtor: Producta Vignobles; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Merlot (vinho blend); Nariz: Compotas de frutas vermelhas e pretas maduras com toques sutis de baunilha; Harmonização: Pratos à base de carne com molhos picantes, queijos maduros

Compre aqui

 


 

Vinho tinto

La Closerie de Camensac Haut-Médoc AOC 2014:

Concentrado com corpo médio; Produtor: Château de Camensac; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Notas de frutas vermelhas, como groselha e cereja, e um toque de baunilha; Harmonização: Carnes vermelhas e queijos curados

Compre aqui

 


 

Vinho branco doce

Carmes de Rieussec Sauternes AOC 2014:

Redondo, cremoso, com notas frutadas e final expressivo e mineral; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle (vinho blend); Nariz: Notas florais, de acácia, pêra e damasco cristalizado; Harmonização: Queijo gorgonzola, pudim, creme de papaia

Compre aqui

 


 

Vinho branco

Enclos du Wine Hunter Bordeaux Blanc 2019:

Leve, acidez agradável, frutado, fácil de beber, boa persistência; Produtor: Enclos du Wine Hunter; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Sémillon, Sauvignon Gris e Sauvignon Blanc (vinho blend); Nariz: Notas cítricas, floral, maçã, pêssego; Harmonização: Pizza caprese, risoto de limão siciliano, isca de tilápia, burrata ao pesto, pipoca salgada, salada caesar

Compre aqui

 


 

Vinho rosé

Lion and the Lily Rosé Bordeaux 2019:

Elegante, equilibrado, refrescante e fácil de beber; Produtor: Les Vignerons de Tutiac; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Intenso, com notas adocicadas de frutas vermelhas maduras; Harmonização: Salmão grelhado, comida japonesa, salada Caesar, aperitivos leves

Compre aqui

 


 

Vinho rosé

Enclos du Wine Hunter Bordeaux Rosé 2019:

Elegante, leve, fresco, frutado, final agradável; Produtor: Enclos du Wine Hunter; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cabernet Franc, Merlot e Sauvignon Blanc (vinho blend); Nariz: Mescla de notas florais e frutas vermelhas; Harmonização: Bacalhau com natas, lula à dorê, ceviche de salmão, farfalle ao molho alfredo, bolinho de risoto recheado de queijo, salada de brotos com cogumelos refogados com tofu

Compre aqui

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Petiscos - Sugestões de harmonias com vinhos
Quem não ama petiscar? E se for na companhia agradável dos amigos e de bons vinhos, então? Descubra...
Canapés - Receitas e dicas de harmonização com vinho
A elegância e a praticidade se encontram na combinação de vinhos e canapés.  Você está preparando um coquetel,...
FESTAS E VINHOS
Bons vinhos tornam as festas ainda mais especiais. Saiba como escolher e calcular a quantidade certa para seu...
Dieta mediterrânea e vinhos
Cheia de sabor, a dieta mediterrânea nutre e protege a saúde. Dieta mediterrânea e vinhos – História e...
Salmão - Receitas fantásticas e harmonia com vinhos
Além de rico em nutrientes, o salmão é rico em sabor. Além de ser delicioso, combina com quase...
Vinho rosé francês
Precisamos falar sobre o vinho rosé francês. Afinal, apesar de ser uma bebida tão deliciosa quantos suas versões...

Cadastre Para receber