Vinho vegano: uma explosão de sabores e harmonias

Publicado em:

Vinhos veganos

Existe vinho vegano? Existe! E hoje você vai saber tudo sobre esse assunto que parece tão óbvio, mas não é!  

Além disso, o Center Gourmet também vai te dar dicas de harmonizações entre pratos e vinhos veganos. 

Fique com a gente até o final do artigo, pois vamos te dar uma lista incrível de vinhos veganos, para você degustar tranquilo! 

O vinho está na dieta vegana, mas não são todos

Vinhos veganos

De acordo com pesquisas do IBOPE 14% da população brasileira se declara vegetariana. A pesquisa também mostra um crescimento rápido na procura por produtos veganos. 

Com efeito, o mercado mundial já percebeu o nicho e está atento às exigências de quem se preocupa com a origem do que está consumindo. Os adeptos do veganismo estão sempre atentos às informações, para aceitar ou rejeitar um produto. 

Com os vinhos, não foi diferente. No entanto, muitos enófilos também são veganos e podem fazer uma ponte entre a preocupação de quem é vegano e a forma de produção dos vinhos. 

Ademais, essa parceria tem tornado possível, e cada vez mais normal, a procura e harmonização de pratos veganos com vinhos veganos. 

O que pode fazer um vinho não ser vegano 

Vinhos veganos

Parece estranho falar assim, não parece? Por definição, o vinho vem das uvas.  

Dessa forma, pode soar desnecessário perguntar se um vinho é vegano. 

Entretanto, quando conhecemos melhor o processo de produção da bebida, fica mais fácil entender essa questão. Então, vamos a uma aulinha bem rápida! 

Construir o sabor de um vinho é química pura: as leveduras, que podem ser naturais ou cultivadas, transformam os açúcares presentes nas uvas em álcool e gás carbônico. 

Posteriormente, o controle desses dois componentes dá vida a diferentes tipos de vinhos: secos, suaves e espumantes, só para citar alguns. 

Por isso, parece que não há nenhuma possibilidade de uso de algo oriundo de animais nesse processo. 

No entanto, um detalhe pode fazer diferença nessa equação. Há uma pequena brecha para que apareça um componente de origem animal na produção dos vinhos. Sabe qual é? 

O processo de clarificação 

Se você se interessa por culinária também, já ouviu o termo “clarificar”. Quer dizer purificar, limpar ou tornar mais claro o produto em questão. Por exemplo, clarificar a manteiga, envolve, retirar a espuma que se forma quando ela é aquecida. 

Na produção do vinho, acontece algo parecido. Então, clarificação é a parte em que se purifica o vinho.  

A fim de coagular, ou atrair e juntar, qualquer matéria sólida presente no vinho estocado, é acrescentado um agente filtrante no barril. Mas, que partes sólidas são essas? 

Podem ser partes restantes das uvas, matéria corante, resíduos das cascas etc. Nada de demais, porém elas não podem aparecer no produto final.   

Então, como esses agentes funcionam? 

Parecido com uma cola, eles grudam nessas partes sólidas. Consequentemente, elas descem para o fundo do tanque ou barril, sendo eliminadas antes do vinho ser engarrafado. 

Dessa forma, ele fica com a coloração, brilho e transparência tão característicos e atraentes aos olhos! 

Até aí, tudo bem! Onde entra o veganismo na história?  

Surpreendentemente, os produtos usados na clarificação costumas são de origem mineral ou animal. 

Os de origem vegetal pode ser:   

  • Alginato (presente em algas) 
  • Bentonita (mineral) 
  • Proteínas vegetais  
  • Extrato proteico de leveduras 

Produtos de origem animal usados na clarificação 

Há séculos, produtores na Europa entenderam como usar produtos do cotidiano deles para limpar os vinhos que produziam. 

Nessa época, não existia a preocupação em produzir vinhos veganos. 

A saber, monges costumavam usar as claras de ovos para isso. Aliás, isso foi bom para a gastronomia também. Pois as gemas iam para as freiras, que acabaram se tornando especialistas em criar pratos e sobremesas com elas, como o pastel de Belém. 

Na clara está presente a albumina, que faz um excelente trabalho como agente filtrante. 

Outros produtos de origem animal podem ser: 

  • Caseína (proteína derivada do leite) 
  • Chitina (fibra obtida das conchas de crustáceos) 
  • Sangue animal, isso mesmo que você leu. No entanto, foi proibido pela União Europeia, depois da epidemia da Vaca Louca, desde 1997. Por aqui, no Mercosul, ele ainda pode ser usado e vai para os tanques fresco ou em pó. 
  • Óleo de peixe 
  • Cola de peixe (Isinglass ou ictiocola, são conseguidas a partir das bexigas natatórias de peixes que são removidas, processadas e desidratadas, tornando-se muito parecida com o colágeno) 
  • Gelatina (mais conhecida por nós, vem do colágeno do couro do boi) 

A gelatina e a caseína ainda têm outro diferencial. Elas agilizam o processo de produção do vinho, diminuindo os custos do produto. 

Entretanto, é muito importante destacar que nenhuma dessas substâncias fazem parte do vinho que compramos. Tanto é assim, que não constam da composição descrita nos rótulos. 

Elas atuam única e simplesmente como uma forma de remover as impurezas restantes no vinho. 

Ao mesmo tempo, é suficiente para tornar o produto final da lista de vinhos veganos. 

Qual a opção? 

De acordo com a enóloga Bernadita Gil, as vinículas que procuram produzir vinhos veganos, devem recorrer aos clarificadores de origem vegetal, como os citados acima. 

Por exemplo, quase todos os vinhos brancos e rosés recomendados para veganos, são clarificados por meio de bentonita, um pó de argila. 

Alguns produtores de vinhos veganos têm lançado mão de outras possibilidades, como placas de fibras vegetais, pedra calcária, argila de caulim, carbono e gel de sílica. 

Vinho orgânico x vinho vegano 

Vinhos veganos

Nem todo vinho orgânico é um vinho vegano. Por quê? 

Porque o que torna um alimento orgânico é a ausência de produtos químicos, como aditivos e conservantes. 

Porém, pode ser que o produtor de vinhos orgânicos utilize agentes filtrantes de origem animal, só que obtidos de forma sustentável. 

Ao mesmo tempo, os orgânicos são os que costumam descrever para o consumidor os materiais usados na produção do vinho, tornando mais fácil a identificação. 

Como identificar um vinho vegano 

Vinhos veganos

Veja o rótulo e o contra rótulo 

Pode parecer que é fácil assim identificar um vinho vegano, mas não é. 

Anteriormente, já vimos que os agentes filtrantes, não importa a origem deles, seja mineral ou animal, não são parte da composição final do vinho. 

Sendo assim, o produtor não é obrigado a declarar no rótulo qual o produto usado naquele processo. E, por incrível que pareça, não é algo detectável na degustação. Impressionante, não é?!  

Diante disso, os adeptos do veganismo precisam procurar por informações mais específicas, recorrendo a outras fontes. 

Procure pela origem do vinho 

Infelizmente, quando o assunto é alimentação e nutrição, nem sempre temos todas as informações devidamente expostas. 

Contudo, isso tem melhorado com o passar do tempo. A tecnologia também tem sido fundamental para se conhecer mais a fundo o produtor, o processo e o produto final. 

Assim, talvez seja possível entrar em contato com o produtor do vinho que você quer saber se é vegano. Na verdade, esse é o conselho dado por entendedores da área: “Se você quer ter certeza, fale com o produtor”. 

Igualmente, podemos confiar em produtos que levam o selo Vegan. Eles seguem os padrões estabelecidos para que um produto seja considerado vegano e informa o consumidor sobre isso.

Informações importantes no rótulo  

Os únicos vinhos veganos completamente seguros são os vinhos Kosher. Eles são produzidos seguindo leis bem rígidas do judaísmo, em especial as leis relativas à alimentação. 

De acordo com o judaísmo, nada de origem animal pode ser usado no processo de produção do vinho. Consequentemente, produzem somente vinhos veganos. 

Mas, se você tiver um pouco de paciência e procurar bem, pode encontrar algumas informações nos vinhos comuns. 

Se no rótulo estiver escrito algo como “Não filtrado”, “Não afinado” ou “Métodos de auto clarificação natural”, você está diante de um vinho vegano. 

Isso quer dizer que o produtor não usou nada para clarificar a bebida. 

Ou seja, não é uma tarefa fácil, mas não é impossível encontrar uma forma de degustar um bom vinho, sendo adepto do veganismo.  

O sabor do vinho vegano e as harmonias 

Vinhos veganos

O sabor do vinho vegano não tem absolutamente nada de diferente do vinho orgânico ou do vinho tradicional. Aliás, isso é um bom sinal. Um vinho vegano não perde em nada na qualidade e no sabor. 

Então, sente-se e relaxe. Vamos te dar algumas dicas de como escolher vinhos para acompanhar uma refeição vegana. E mais à frente, você vai encontrar a lista de A a Z de vinhos veganos que prometemos. 

Dicas de harmonização 

Primeiramente, não caberiam aqui todas as possíveis combinações. Sendo assim, use as dicas para compreender as harmonizações e fazer boas escolhas.  

Tenha certeza que o vinho é vegano 

Use todas as informações que te demos até aqui para não correr o risco de estragar sua refeição.  

O veganismo é um estilo de vida baseado em princípios muito pessoais, que refletem uma forma de ver e sentir a respeito do mundo ao nosso redor. 

Por isso, tenha certeza de que a bebida que você está para consumir não te trará algum arrependimento mais tarde.  

Um dos nossos objetivos é justamente esse: te ajudar a compreender o processo e usar a informação a seu favor. 

Contudo, existem outras bebidas que incluem mais do que álcool em sua composição, e hoje é possível encontrar quase tudo a respeito delas. 

Fuja dos vinhos tintos muito encorpados 

Vinhos usados para harmonizar com carnes com grande quantidade de gordura ou com sabor muito intenso, podem não ficar muito agradáveis acompanhando uma refeição vegana. 

Então, evite vinhos de corpo forte. Eles podem acabar se sobrepondo no paladar e ofuscando os sabores do prato.  

Aposte em harmonizações simples  

A alimentação vegana se baseia no princípio de não comer nada que tenha origem animal. Sendo assim, as adaptações feitas nas receitas precisam ser levadas em conta na hora de escolher o vinho vegano para acompanhar. 

Por exemplo, é bem comum encontrar em refeições veganas proteína texturizada de soja ou jaca verde cozida e desfiada. Elas substituem muito bem a carne e não deixam a desejar no sabor. 

De fato, os pratos veganos costumam ser bem temperados para não perder o sabor que as proteínas animais normalmente dão aos preparos e chegar o mais próximo possível dos sabores originais. 

No lugar do leite de vaca ou de cabra, é comum usar leites vegetais como o de coco, amêndoas, arroz, aveia etc. 

Já no lugar dos ovos, bananas bem maduras, chia ou linhaça hidratas, dão a liga necessária para os preparos. Com a finalidade de variar nos sabores, alguns usam também o tofu, queijo feito à base de soja, para a mesma função.   

Consequentemente, um vinho que acompanha bem um prato que leva carne vermelha costuma casar bem com os pratos veganos de tempero mais forte e acentuado. 

Com algumas ressalvas. 

Dicas de pratos e vinhos veganos 

Vinhos veganos

Ratatouille 

Conhecida receita de origem francesa, mais do que o nome de um filme fofo, esse é um prato vegetariano assado. Com efeito, ele leva rodelas de tomate, beringela, abobrinha, cebola, pimentões, ervas aromáticas e azeite. 

A apresentação é linda e você já come com os olhos! 

Além disso, é super versátil. Ele cai bem servido frio ou quente e pode ser o prato principal ou o acompanhamento da sua refeição. 

Harmonização 

Podemos sugerir algumas opções. Para começar, você pode harmonizar com um vinho varietal Shiraz, que combina bem com pratos suculentos.  

Porém, se você prefere um vinho francês para combinar com sua receita francesa, sugerimos um Languedoc-Roussillon. Os vinhos dessa região têm como característica uma acidez mais acentuada.  

Como resultado, aumenta a salivação e reforça a sensação de suculência do prato. 

Quibe de beringela 

Vegetal usado amplamente na culinária vegana, a beringela também faz as vezes da carne com bastante eficiência. 

Depois de assada ela pode ser amassada e adicionada ao trigo de quibe. Como resultado, essa pasta de beringela dá liga à receita e confere uma textura parecida com a do quibe original, com carne moída. 

O toque final, fica por conta dos muitos temperos adicionados e que são tão característicos do prato.  

Harmonização 

Ao passo que não temos a gordura animal presente no preparo, seria bom escolher um vinho tinto mais aromático e jovem. Pode ser um Zinfandel, um Merlot ou algum Cabernet Sauvignon com sabor mais delicado, sem taninos tão marcados. 

Falafel 

Esse é o primo árabe do acarajé! Contudo, é bem mais leve e fica bem com um vinho vegano do lado. 

Além de ficar muito gostoso, o Falafel pode ser usado para sanduíches ou ser comido em porções, acompanhados de molhos, tahine e salada. 

Preparado com grão-de-bico, ele fica bem parecido com o sabor da carne. Logo, é um queridinho dos veganos. E tem motivo para isso. 

Harmonização 

Para começar, você pode ter preferência por um vinho tinto e pode encontrar um vinho vegano feito com uvas Pinot Noir ou Zinfandel. Eles são mais leves, vão acompanhar bem seu bolinho. 

Agora, se você escolher bebidas com taninos mais presentes, corre o sério risco de ter uma invasão da uva no paladar e não sentir nada do Falafel na boca. Decerto, não é isso que você está procurando. 

Já na prateleira dos brancos, sugerimos um encorpado, um Chardonnay. Como o Falafel é mais sequinho, o vinho que o acompanha precisa ser estruturado na medida. Do contrário, ficará perdido no paladar.
 

Macarrão ao molho pesto 

Vinhos veganos

Quando se pensa em macarrão vegano, vêm muitas opções à cabeça. Porém, o mais comum e, de certa forma, mais simples também, é que leva molho pesto. 

Normalmente, ele é feito com queijo parmesão. Mas, na versão vegana, o queijo pode ser totalmente descartado ou substituído pelo queijo vegetal de sua preferência, como o tofu. 

Harmonização 

Ela tem um sabor de ervas e tem uma certa untuosidade. Logo, um aromático e com acidez acentuada, vai ser perfeito para equilibrar no paladar. 

Harmonize essa pasta deliciosa com um vinho produzido com as Sauvignon Blanc ou Alvarinho. 

Moqueca de banana-da-terra 

Certamente, a banana-da-terra é um dos ingredientes mais surpreendentes dessa lista. Essa variedade de banana tem uma quantidade pequena de açúcar e é bem mais firme que os tipos mais usados na culinária brasileira. 

No entanto, fica incrível quando usada em pratos salgados, que realçam sua doçura na medida. 

Por exemplo, uma moqueca! A banana substitui o peixe nesse prato bem temperado e bem conhecido. 

Harmonização 

Se você encontrar um vinho com aroma de banana… vai fechar com perfeição! 

Essa é uma característica dos vinhos Beaujolais, que a recebem graças a um componente presente no vinho, o acetato de isolamina. 

Nesse caso, a harmonização é bem parecida à da receita original, já que o molho é o principal agente de sabor do prato. 

Sendo assim, opte por uvas Chenin Blanc, Riesling ou Sauvignon Blanc. Como resultado, os vinhos equilibram bem com a suculência e os sabores da moqueca. 

Cogumelos 

Eles ficam muito bons no estrogonofe, em molhos, escondidinhos etc. 

Com certeza, os cogumelos estão presentes em inúmeras receitas, veganas ou tradicionais. 

Consequentemente, fica mais fácil encontrar formas de harmonizá-los. 

 Harmonização 

Se eles são a estrela do seu prato, recorra aos brancos suaves. Você pode usar um vinho vegano produzido com uvas Alvarinhos, Chenin Blanc ou Garganega, porém jovens. 

Se eles estão como coadjuvantes na receita, de preferência em um prato cremoso, pode apostar em vinhos brancos mais encorpados e aromáticos, como Chardonnay, da região de Borgonha. 

Lista de vinhos veganos 

Para concluir, e para você não correr riscos, o Center Gourmet te oferece uma lista de vinhos veganos e vinícolas aprovados para seu consumo. 

Confira! 

Aqui no Brasil, marcas de vinhos e sucos já entenderam a necessidade de oferecer para o público produtos veganos. 

Consequentemente, as opções se tornam mais abundantes e acessíveis. Por aqui temos: 

  • Campestre, com os vinhos da linha Pérgola, Vinícola do Rio Grande do Sul 
  •  Salton, nos sites Wine e Americanas, que não usam nenhum produto de origem animal, São Paulo e Rio Grande do Sul 
  • Vinícola Aurora, oferece vinhos tintos e sucos veganos. Alguns vinhos brancos passam pela filtragem por meio de gelatina 
  • Dom Bosco, da CRS Brands, aqui

Igualmente, nossos vizinhos Chile e Argentina também recebem o selo vegano em alguns produtos: 

  • Vinho 120, da Vinícola Santa Rita, Chile, nesse link
  •  Medalla Real, também da Vinícola Santa Rita, Chile, nesse link

Além disso, a Vinícola chilena Miguel Torres, trabalha sem uso de agentes filtrantes de origem animal. Portanto, todos seus vinhos são próprios para consumo vegano. Veja a seguir ofertas nos sites Wine e Americanas

Já na Argentina, nossos hermanos também se adaptaram ao mercado: 

  •  Serbal, da Vinícola Atamisque, nesse link 
  •  Anubis Malbec, da Vinícola Susana Balbo Wines, nesse link 

No entanto, o Velho Mundo também evoluiu em suas técnicas de produção, trazendo sua contribuição para a diversidade de vinhos veganos: 

  •  Barahonda Barrica Monastrell Syrahda Vinícola Barahonda, Espanha, nesse link
  •  Quinta do Crasto Colheita Porto, da Vinícola Quinta do CrastoPortugal, nesse link

*abaixo nesse artigo temos mais opções de compra, com mais detalhes de cada vinho

Conclusão 

Aprender sobre o estilo vegano de viver, deve fazer parte da nossa rotina daqui para frente. 

Afinal, o número dos que se declaram veganos aumentou, é verdade. Mas, também estamos cada vez mais abertos para experimentar formas de alimentação consideradas mais saudáveis e sustentáveis. Mesmo que não estejamos tão acostumados a elas, ainda. 

Aqui no Center Gourmet, você aprofundou seu conhecimento no processo de produção dos vinhos.  

Além disso, já sabe o que é clarificação e o que faz com que o vinho tenha aquela cor tão linda e seja tão limpo! 

E finalmente, tem em mãos uma lista extremamente útil de rótulos e produtores de vinhos veganos para aproveitar sem peso na consciência. 

Gostou de saber esses detalhes? Compartilhe esse post com seus amigos veganos, ou com os que querem aderir ao estilo de vida, sem abrir mão dos prazeres do vinho. 

Aproveite para ver outros excelentes assuntos no nosso blog, sempre com um bom vinho! 

Gostou da lista e dicas, compre abaixo:

 

O tinto vegano francês blend

Les Trois Couronnes Châteauneuf-du-Pape AOP 2018:

Paladar encorpado e elegante, com notas picantes; Produtor: Vignerons de l’Enclave; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de frutas negras, com notas de amoras, groselha e especiarias; Harmonização: Carnes de caça assadas, carnes vermelhas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto vegano chileno Cabernet Sauvignon

Baron Philippe de Rothschild Mas Andes Reserva Cabernet Sauvignon 2019:

Médio corpo, taninos presentes, boa acidez, especiarias; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 14%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, frutas negras, herbáceo, pimenta-do-reino; Harmonização: Bife à milanesa, fraldinha com farofa, copa lombo, berinjela à parmegiana, queijo Gouda, torta de calabresa

Compre aqui

 


 

O tinto vegano espanhol Syrah

M De Murviedro Syrah Valencia DOP 2019:

Intenso, denso e frutado, com corpo médio, taninos macios e final longo; Produtor: Bodegas Murviedro; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas vermelhas, com notas de amora e groselha; Harmonização: Nhoque com ragu de linguiça, berinjela à parmegiana, filé mignon ao molho madeira

Compre aqui

 


 

O tinto vegano argentino Merlot

Bodega Norton Barrel Select Merlot 2021:

Aveludado, taninos macios e final sedoso; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 13,7%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Complexo, com notas de cerejas silvestres e framboesas, toques de baunilha e coco; Harmonização: Lasanha à bolonhesa, fondue de carne, queijo Gouda

Compre aqui

 


 

O tinto vegano italiano Sangiovese

Il Poggione Brunello di Montalcino DOCG 2016:

Intenso, aromático e equilibrado, com taninos macios e aveludados; Produtor: Tenuta Il Poggione; Teor alcoólico: 14,5%; Uva: Sangiovese (vinho varietal); Nariz: Aroma intenso e persistente, com notas de frutas vermelhas maduras, especiarias e violetas; Harmonização: Carnes vermelhas, carnes de caça, queijos maduros

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto vegano francês Syrah

Fat Bastard I.G.P. Pays dOc Syrah 2019:

Boa acidez, delicado e final frutado; Produtor: Fat Bastard Wine Company; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Frutado, aromas de flores e um toque de especiarias; Harmonização: Maminha assada, costela com molho barbecue, magret de pato, queijo curado e doces com chocolate

Compre aqui

 


 

O tinto vegano argentino Malbec

Bodega Norton Barrel Select Malbec 2021:

Elegante, redondo, consistente e de bom corpo; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 14,2%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Expressivo, com notas maduros de ameixa e figo; Harmonização: Parrillada argentina, risoto de queijo Parmesão, cordeiro assado na manteiga de ervas

Compre aqui

 


 

O tinto vegano argentino Pinot Noir

Bodega Norton Barrel Select Pinot Noir 2021:

Intenso, com toques de frutas vermelhas maduras e final persistente; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas maduras e nuances de carvalho tostado; Harmonização: Batata recheada com mix de cogumelos, queijo Coalho assado, filé de frango à parmegiana

Compre aqui

 


 

O tinto vegano português blend

Casa Velha Tinto Douro DOC 2019:

Equilibrado, bom corpo, final longo; Produtor: Adega Cooperativa de Favaios; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Barroca (vinho blend); Nariz: Frutas pretas e vermelhas maduras, com notas de geleia; Harmonização: Cozido à portuguesa, francesinha à moda do Porto, queijo Serra da Estrela

Compre aqui

 


 

O tinto vegano argentino Cabernet Sauvignon

Bodega Norton Barrel Select Cabernet Sauvignon 2021:

Encorpado, harmonioso, redondo e persistente; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 14,1%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Complexo, com notas de amoras, pimentas vermelhas, cassis e tabaco; Harmonização: Provolone empanado, escalope de filé mignon ao molho funghi, espaguete com ragu de linguiça

Compre aqui

 


 

O tinto vegano chileno Carménère

Echeverria Reserva Carménère 2020:

Macio e aveludado, é bem equilibrado, com toques de especiarias e frutos silvestres; Produtor: Viña Echeverría; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Carménère (vinho varietal); Nariz: Intenso, com notas de framboesa, cereja, pimentão vermelho e pimenta preto; Harmonização: Filé mignon ao molho madeira, massas ao molho bolonhesa, polenta gratinada com gorgonzola

Compre aqui

 


 

O tinto vegano italiano Syrah

Canceddi Syrah Sicilia DOC 2019:

Intenso e suntuoso; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas pretas e lavanda; Harmonização: Tagliata de filé mignon, spaghetti alla Norma, bife de Angus com molho de ervas

Compre aqui

 


 

O tinto vegano italiano blend

ZioBaffa Toscana IGT 2017:

Corpo médio, taninos finos e presentes, muito fresco; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12,4%; Uvas: Sangiovese e Syrah (vinho blend); Nariz: Perfume elegante e frutado, com notas de violetas; Harmonização: Carnes vermelhas, massas e queijos

Compre aqui

 


 

O tinto vegano italiano Nero d’Avola

Canceddi Nero D’Avola Sicilia DOC 2019:

Encorpado e com final persistente; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Nero d’Avola (vinho varietal); Nariz: Aromas de cerejas maduras e ameixas; Harmonização: Bresaola italiana, guisado de carne com batatas, caponata de berinjela

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto vegano espanhol blend

Toro Loco D.O.P. Utiel-Requena Tinto Superior 2019:

Frutado, corpo de leve para médio, taninos macios, acidez agradável; Produtor: BVC Bodegas; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Tempranillo e Bobal (vinho blend); Nariz: Frutas frescas, floral; Harmonização: Churrasco, filé com fritas, carne de panela com legumes, picadinho de carne com banana da terra, lasanha quatro queijos, pizzas e panquecas variadas

Compre aqui

 


 

O tinto vegano chileno Carménère

Echeverria Gran Reserva Carménère 2017:

Macio, encorpado e agradavelmente redondo; Produtor: Viña Echeverría; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Carménère (vinho varietal); Nariz: Cerejas e amoras maduras, com toques de pimentão vermelho, frutas secas e especiarias; Harmonização: Pimentão amarelo recheado com carne moída, comida mexicana, lomo saltado

Compre aqui

 


 

O branco vegano francês blend

Château D’Anglès Classique Bourboulenc Grenache Roussane La Clape AOC 2021:

Rico e persistente, com toques complexos de frutas brancas e frescor mineral equilibrado; Produtor: Château d’Anglès; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Bourboulenc, Grenache e Roussanne (vinho blend); Nariz: Elegante e intenso, expressando notas de flores brancas e especiarias; Harmonização: Patê de salmão, queijo de cabra, lombinho assado com batatas

Compre aqui

 


 

O branco vegano português blend

Alto Lima Branco Vinho Verde DOC 2020:

Delicado, equilibrado e refrescante, com acidez ligeiramente vibrante; Produtor: Adega Cooperativa Ponte da Barca e Arcos de Valdevez; Teor alcoólico: 9,5%; Uvas: Loureiro, Arinto e Trajadura (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Caldeirada de peixe, bolinho de bacalhau, legumes grelhados

Compre aqui

 


 

O branco vegano argentino Sauvignon Blanc

Bodega Norton Barrel Select Sauvignon Blanc 2021:

Complexo, estruturado, refrescante e frutado; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 13%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Intenso, com notas de maçã-verde, frutas tropicais e ervas frescas; Harmonização: Ceviche de camarão, estrogonofe de brócolis, lombo assado com legumes

Compre aqui

 


 

O branco vegano espanhol Sauvignon Blanc

M De Murviedro Sauvignon Blanc Valencia DOP 2019:

Fresco, frutado e elegante, com acidez equilibrada; Produtor: Bodegas Murviedro; Teor alcoólico: 11,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Aromas intensos de frutas tropicais e cítricas; Harmonização: Risoto de camarão, burrata ao molho pesto com tomates confit, ceviche de tilápia

Compre aqui

 


 

O branco vegano italiano Grillo

Canceddi Grillo Sicilia DOC 2019:

Equilibrado e mineral; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13%; Uva: Grillo (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas cítricas, como laranja, e notas florais; Harmonização: Tilápia assada com batatas, lula à dorê, legumes e verduras grelhados

Compre aqui

 


 

O branco vegano italiano Viognier

Canceddi Viognier Sicilia DOC 2019:

Agradável, mineral, fresco e aromático; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Viognier (vinho varietal); Nariz: Notas de acácia, lavanda e pêssego no nariz; Harmonização: Rigatoni com pesto alla trapanese, sardinhas recheadas, burrata com tomates confit e pesto

Compre aqui

 


 

O branco vegano italiano Vermentino

Canceddi Vermentino Terre Siciliane IGT 2019:

Refrescante e aromático; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13%; Uva: Vermentino (vinho varietal); Nariz: Notas herbáceas e de jasmim; Harmonização: Arancini, carpaccio de tilápia, polvo grelhado

Compre aqui

 


 

O branco vegano italiano Chardonnay

Canceddi Chardonnay Sicilia DOC 2019:

Agradável e fresco; Produtor: Cantine Settesoli; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas maduras e ervas frescas; Harmonização: Calamarata com lulas, peixe branco grelhado com cuscuz marroquino, camarão à Provençal

Compre aqui

 


 

O branco vegano italiano Pinot Grigio

ZioBaffa Pinot Grigio 2021:

Corpo leve, equilibrado, refrescante e com final longo; Produtor: Castellani; Teor alcoólico: 12%; Uva: Pinot Grigio (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas como limão e abacaxi; Harmonização: Queijos leves, aperitivos

Compre aqui

 


 

O branco vegano chileno Chardonnay

Echeverria Reserva Unwooded Chardonnay 2020:

Refrescante, suculento, sedoso, vibrante e com final longo; Produtor: Viña Echeverría; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de abacaxi, melão maduro, pêssego e baunilha; Harmonização: Risoto ao funghi, frango xadrez, moqueca de camarão

Compre aqui

 


 

O rosé vegano português blend

Alto Lima Rosé Vinho Verde DOC 2020:

Refrescante, jovem e leve, com acidez equilibrada; Produtor: Adega Cooperativa Ponte da Barca e Arcos de Valdevez; Teor alcoólico: 9,5%; Uvas: Vinhão, Borraçal e Espadeiro (vinho blend); Nariz: Notas de frutas vermelhas; Harmonização: Salpicão de frango, caldo verde, arroz de mariscos

Compre aqui

 


 

O rosé vegano espanhol blend

Viña Sol Rosado 2019:

Frutado, fresco e final muito agradável; Produtor: Miguel Torres; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Cariñena e Garnacha (vinho blend); Nariz: Notas envolventes de frutas vermelhas; Harmonização: Risoto de shimeji, atum grelhado com gergelim, tomate recheado com queijo e ervas, salada de folhas verdes com morangos, comida japonesa

Compre aqui

 

Comentários:

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

17 uvas tintas que você precisa conhecer 2
Difícil escolher algumas poucas uvas tintas viníferas. De fato, faltaria tempo de vida para descobrir todas! Você decidiu...
Os 8 principais produtores da Cabernet Sauvignon
Hoje vamos falar sobre a rainha das uvas tintas: a Cabernet Sauvignon. Essa uva incrível, como mostra o...
Temperos e especiarias - Como combiná-los com vinhos?
Combinar temperos e vinhos não é tão difícil e podemos provar! Confira as características mais marcantes e os...
Azeites - Harmonização com vinhos e benefícios à saúde 5
Saber usar bons azeites faz toda a diferença na hora de cozinhar. Mas, tão importante quanto entender a...
Como fazer vinho quente? 8 Receitas incríveis!
O friozinho de junho pede por vinho quente, seja de vinho tinto ou branco Inverno, frio, festa junina,...
Tournedo Rossini - Receitas e harmonização com vinhos
Mais espesso que o medalhão, o Tournedo Rossini é um clássico francês que ganhou o mundo Como um...