Melhores vinhos - Como escolher

Publicado em:

1

Definir quais são os melhores vinhos pode ser uma tarefa difícil. Afinal, além da quantidade gigantesca de rótulos, cada paladar percebe o vinho de forma única. Ou seja, o melhor vinho para o seu gosto, pode não ser o mais agradável para outra pessoa. Por isso, aqui no Center Gourmet, sempre fazemos questão de dar dicas preciosas e de mostrar diferentes possibilidades de harmonização. Mas, no final das contas, é você quem decide o que realmente funciona para o seu paladar. Sendo assim, hoje você vai descobrir detalhes importantes sobre rótulos, castas de uvas, terroir e harmonização dos que são considerados os melhores vinhos mundo afora. Para começar, veja alguns mitos sobre vinhos que correm por aí.

Mitos sobre vinhos

3

Atualmente, o que não falta é informação. Por isso, muitos mitos sobre vinhos caíram por terra. À medida que especialistas e apreciadores de vinhos falavam sobre o assunto. Por isso, veja a seguir alguns desses mitos e entenda o que você realmente precisa saber para escolher quais são os melhores vinhos para o seu paladar.

Os melhores vinhos são caros

Na verdade, o progresso das técnicas de produção fez com que os custos da vinificação caíssem. Por isso, é bem fácil encontrar excelentes vinhos com preços muito bons. Aliás, já falamos sobre isso em outro post, onde você entende como escolher os melhores vinhos sem gastar muito.

Vinho bom é vinho importado

Hoje em dia, o Brasil oferece tudo o que os rótulos internacionais têm: solo rico e próprio para o cultivo das uvas (famoso terroir), uvas excelentes e profissionais preparados para a produção de bebidas de alto padrão. Aliás, você sabia que existem vinhos brasileiros premiados internacionalmente? Também já falamos sobre o mercado brasileiro de vinhos e seus rótulos campeões em outro post. Vale muito a pena conhecer e experimentar os melhores vinhos brasileiros.

Vinhos é bebida para o frio

Nada poderia estar mais distante da verdade. Afinal, o que influencia na temperatura da bebida são as características da uva usada na produção. Ou seja, é verdade que alguns vinhos tintos ficam mais agradáveis na boca quando servidos em temperaturas mais “altas”.

Melhores vinhos e drinks para o verão

Por outro lado, os vinhos brancos, rosés, espumantes e até alguns tintos, ficam perfeitos quando mantidos no gelo ou na geladeira antes de servir. Sem falar nos drinks… Aliás, as opções para o verão são muitas, já que os drinks feitos com vinhos são perfeitos para a estação. Experimente Rossini, Espanhola, Limonada com vinho tinto, Coquetel de vinho e pêssego ou o famoso e refrescante Clericot! Veja 03 receitas imperdíveis aqui.

Vinho, só na taça

Para começar, é importante destacar que o formato das taças realçam os aromas do vinho. Por isso, cada um tem uma taça própria, mais fina e alongada ou mais bojudinha e com a boca estreita. No entanto, se você só quer tomar um bom vinho e aproveitar sua companhia ou seu prato, não importa onde ele será servido. De fato, você talvez se surpreenda ao saber que os italianos tomam vinho o tempo todo em copos comuns.

Não pode harmonizar vinho com todo tipo de comida

É verdade que combinar os melhores vinhos com certos tipos de comida elevam os sabores e aromas da bebida. Por outro lado, misturar alguns vinhos com peixes, por exemplo, pode deixar um gosto metálico na boca. No entanto, isso não precisa ser uma regra intransigível. Afinal, como dito, o paladar de cada um vai definir o que fica mais gostoso ou não quando combinado. Ou seja, seguir dicas, tudo bem. Criar regras do que pode ou não pode, já não é tão legal.

Vinho é bebida para ocasiões especiais

Vamos combinar, já foi o tempo quando vinho e espumante eram bebidas exclusivas de celebrações e ocasiões especiais. Afinal, diante de tudo o que vimos de 2020 para frente, qualquer dia é dia de comemorar, concorda. Então, aproveite todas as oportunidades para experimentar os melhores vinhos que você encontrar. Por falar nisso, confira a seguir detalhes que você vai encontrar nos rótulos dos vinhos.

Rótulos dos melhores vinhos

2

Normalmente, as pessoas costumam achar que os nomes estampados nos rótulos são sempre das uvas usadas na produção da bebida. De fato, isso é verdade em alguns casos. Os vinhos varietais, por exemplo, feitos com no mínimo 80% de uma única casta de uvas, costuma ser definido pelo nome dela. Mas, grande parte dos vinhos são conhecidos como vinhos de corte. Ou seja, em sua composição existem várias cepas diferentes de uvas, cada uma dá ao vinho uma qualidade diferente. No entanto, outras características do vinho podem estar descrita ali. Por exemplo, dá para saber se a bebida é :

  • vinho fino ou de mesa
  • vinho fortificado
  • espumante ou vinho tranquilo
  • vinho seco, vinho doce ou demi-sec etc.

De fato, cada uma dessas características definem os vinhos.

Castas

4

Castas ou cepas, são os diferentes tipos de uvas cultivadas em cada região. Afinal, cada uma delas se adapta melhor a determinados tipos de solo, determinadas temperaturas, altitude, umidade e até ao manejo de quem cuida das vinhas. Esse conjunto de fatores é conhecido como terroir e já vamos falar um pouco mais sobre ele daqui a pouco. Mas, o resultado dessa soma de fatores é o vinho com características próprias. Então, você pode imaginar o que esperar da bebida só pela uva e região de onde o vinho vem. Agora, você vai descobrir quais são as principais uvas cultivadas em diferentes partes do mundo.

  • Na Alemanha, a principal uva cultivada é a branca Riesling.
  • Já em Portugal, as mais comuns são Touriga Nacional, Alfocheiro e Baga.
  • Na Itália, a Sangiovese, Corvina Veronese e Barbera ocupam grande parte das plantações.
  • Tempranillo é a principal uva cultivada na Espanha.
  • Pinotage se destaca na África do Sul.
  • A Austrália é conhecida pelo cultivo da Shiraz.
  • Já na vizinha Nova Zelândia, a tinta Pinot Noir e a branca Sauvignon Blanc dividem o primeiro lugar.
  • Do Velho Mundo, não poderia faltar a França, onde as uvas Cabernet Franc, Chardonnay, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon e Merlot, são as uvas mais cultivadas.

No Novo Mundo, ou países produtores de vinho no continente americano, temos:

  • Malbec como destaque na Argentina.
  • Chile com Sauvignon Blanc e Carménère.
  • E para fechar, os Estados Unidos, que produzem Pinot Noir e Zinfandel.

Como você viu, cada um desses locais dá às uvas qualidades que podem ser reconhecidas pelo paladar treinado de quem bebe vinhos com frequência. Além disso, cada uva também tem suas características próprias. Assim, à medida que você conhece mais e experimenta diferentes tipos de vinhos, você também passa a prever o que aquele vinho vai trazer ao seu paladar.

Terroirs

5

Terroir é um assunto tão abrangente que nem possui um termo em português. Na verdade, é como tentar traduzir cafuné para outro idioma, uma tarefa bem complicada. Afinal, como vimos, esse termo engloba muitos fatores. Mas, a partir de agora, veja alguns dos terroirs de onde vêm aqueles que são considerados os melhores vinhos do mundo.

França

Esse talvez seja um dos mais famosos do mundo. Afinal, os vinhos franceses circulam pelo mundo há séculos. De fato, de lá vêm os vinhos Bordeaux, Bourgogne e o famosíssimo espumante que possui nome próprio: Champagne.

Portugal

Em seguida, temos outro veterano na produção de vinhos, Portugal. Aliás, dentro de seu pequeno território existem diversos terroirs que produzem vinhos extremamente diferentes entre si. Os vinhos verdes (que não são verdes) e o vinho do Porto, por exemplo, são resultado do terroir original de cada um.

Brasil

Aqui no Novo Mundo, o Brasil também já é um produtor de bons vinhos. Para isso, o país conta com diferentes regiões produtoras. Consequentemente, cada uma apresenta um terroir próprio. Atualmente, você encontra vinícolas espalhadas por regiões que vão do Nordeste, como o Vale do São Francisco, ao Sul do país, chegando à Serra Gaúcha. De fato, a grande diferença entre as regiões e seus terroirs, resulta em vinhos também muito diferentes entre si e cheios de personalidade. Mas, o Brasil não está só na América do Sul. Afinal, a Argentina também produz vinhos incríveis. Além disso, podemos destacar outro terroir importante.

Chile

Os vinhos chilenos ganharam grande notoriedade nas últimas décadas, por diversos fatores. Entre eles, podemos destacar sua topografia única, diferentes climas dentro de um país tão estreito e a baixa umidade em todo o país. De fato, essa baixa umidade salvou o país de enfrentar uma das maiores tragédias que destruiu vinhedos por todo o mundo, a praga da Filoxera. No entanto, esse clima seco pode ser facilmente controlado pela irrigação artificial. Dessa forma, os produtores podem criar o terroir perfeito para cada cepa.

Harmonização 

6

De acordo com a especialista em vinhos Lily Thomas, o ideal é experimentar. Afinal, só assim você vai poder definir quais são os vinhos especiais para o seu gosto. Para te ajudar nessa tarefa, vamos compartilhar com você dicas incríveis para você ter uma experiência deliciosa e escolher as suas combinações preferidas. Mas, mais uma vez, estas são dicas que você pode seguir ou fazer alguma modificação de acordo com o seu gosto.

Como harmonizar vinhos tintos

Normalmente, carnes vermelhas ficam deliciosas quando combinadas com vinhos tintos. Ao mesmo tempo, experimente massas com molhos de tomate bem encorpados e até com queijos duros, como Parmigiano Reggiano, Pecorino ou Grana Padano.

Como harmonizar vinhos brancos e rosés

Por outro lado, pratos mais leves, como saladas, peixes, frutos do mar e carnes brancas, pedem vinhos mais ácidos e frescos. Além disso, os vinhos rosés e os brancos também combinam super bem com queijos mais suaves, como ricota, Brie, Mascarpone e o queijo Suíço.

Como harmonizar vinhos licorosos

Vinhos feitos com uvas mais maduras, como resultado, têm mais açúcar residual que outros tipos de vinhos. Por isso, são os mais indicados para acompanhar sobremesas ou queijos intensos e cheios de sabor, como os azuis.

Como harmonizar espumantes

Por fim, para acompanhar um espumante, escolha frutas frescas, sobremesas não tão doces, frutos do mar, saladas elaboradas e até petiscos!

Qual o melhor vinho para você?

Como vimos, não existem regras rígidas para definir quais são os melhores vinhos. Com respeito à qualidade, existem padrões seguidos à risca e que determinam se o rótulo é de alto nível. No entanto, no paladar, é você quem decide o que mais te agrada.

Então, escolha o seu vinho com a nossa seleção de ofertas abaixo, siga as dicas que você viu aqui e aproveite!

 

O tinto Malbec de Vale do Uco, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o argentino Punta Negra Reserva Malbec Single Vineyard 2019:

Taninos macios, acidez equilibrada, encorpado e final frutado; Produtor: Belhara Estate; Teor alcoólico: 14%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Frutas negras maduras e especiarias; Harmonização: Massa com molho bolonhesa, cordeiro assado e queijo Parmesão

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Lisboa, para harmonizar com carnes vermelhas e pratos fortes

o português Encosta do Forte Special Selection Regional Lisboa 2019:

Envolvente, boa acidez e taninos suaves; Produtor: Quinta de São Sebastião; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas, cedro, especiarias e flor de laranjeira; Harmonização: Cupim assado com batatas, feijoada carioca, feijoada vegana

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Mendoza, para harmonizar com peixes

o argentino Nieto Senetiner Chardonnay 2021:

Acidez refrescante, corpo cremoso e final prolongado; Produtor: Nieto Senetiner; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas tropicais, como abacaxi e manga, e notas de frutas cítricas e mel; Harmonização: Risotos, legumes grelhados, aperitivos, peixes

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Lisboa, para harmonizar com carnes vermelhas, embutidos, bacalhau e queijos semiduros

o português Portada Reserva Vinho Regional Lisboa 2020:

Complexo, estruturado, saboroso e frutado; Produtor: DFJ; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah/Shiraz, Caladoc e Tannat (vinho blend); Nariz: Aromático, com notas intensas de frutas vermelhas maduras; Harmonização: Cozido à portuguesa, bacalhau ao forno, queijo Emmental

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon do Vale do Cachapoal, para harmonizar com carnes vermelhas e cogumelos

O chileno Calyptra Zahir D.O. Valle de Cachapoal Cabernet Sauvignon 2012:

Um vinho com complexidade em sabores, encorpado, taninos presentes e macios, textura sedosa e suave, boa acidez, frutado, amadeirado, final longo e persistente; Produtor: Calyptra; Teor alcoólico: 15%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas negras e vermelhas maduras como cereja, ameixa, cassis e framboesa. Especiarias, notas herbáceas e amadeirada; Harmonização: Bife ancho, risoto de gorgonzola com nozes, lombo de cordeiro ao molho rotie de amora, cogumelos salteados

Compre aqui

 


 

O tinto Tempranillo de Valdepeñas, para harmonizar com pratos variados

o espanhol Gran Anciano Oak Matured Tempranillo Valdepeñas DOP 2019:

Macio, taninos suaves, boa estrutura, longo final; Produtor: Guy Anderson Wines; Teor alcoólico: 13%; Uva: Tempranillo (vinho varietal); Nariz: Cereja, frutos silvestres, baunilha, notas picantes; Harmonização: Paella, cozido à portuguesa, sanduíche de pernil

Compre aqui

 


 

O tinto Malbec de Mendoza, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o argentino Bodega Norton Barrel Select Malbec 2021:

Elegante, redondo, consistente e de bom corpo; Produtor: Bodega Norton; Teor alcoólico: 14,2%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Expressivo, com notas maduros de ameixa e figo; Harmonização: Parrillada argentina, risoto de queijo Parmesão, cordeiro assado na manteiga de ervas

Compre aqui

 


 

O espumante Champagne Brut, para harmonizar frutos do mar, saladas e petiscos

o francês Champagne Vollereaux Brut Réserve:

Delicado, frutado, macio, com boa densidade e com perlage persistente; Produtor: Maison Vollereaux; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Chardonnay, Pinot Meunier e Pinot Noir (vinho blend); Nariz: Frutas brancas e mel, com algumas notas maduras e de damasco; Harmonização: Perfeito como aperitivo ou harmonizando com uma ceia. Um Champagne bem versátil!

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Sud Ouest, para harmonizar com peixes e saladas

o francês Côté Océan Sauvignon Blanc Atlanique IGP 2019:

Fresco, leve e com boa intensidade de fruta; Produtor: Tutiac; Teor alcoólico: 12%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Maracujá e abacaxi, e toques delicados de ervas; Harmonização: Peixe branco grelhado, saladas de folhas, risoto al limone

Compre aqui

 


 

O tinto Malbec de Vale do Uco, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o argentino Finca La Escuela Malbec 2018:

Frutas vermelhas, com toques do carvalho; Produtor: Tinto Negro; Teor alcoólico: 14%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Aromas únicos do terroir; Harmonização: Cordeiro assado, pratos com molhos picantes

Compre aqui

 


 

O espumante Extra-Dry, para harmonizar frutos do mar, saladas e petiscos

o italiano Tenuta Berni Gran Cuvée:

Leve, com boa acidez e harmonia entre seus elementos; Produtor: Vinícola Serena; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas florais e de frutas como damasco e pêssego; Harmonização: Saladas, canapés e peixes grelhados

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o francês Bois Sainte-Anne Bordeaux AOP 2020:

Equilibrado, redondo, frutado e cheio; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Petit Verdot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Malbec (vinho blend); Nariz: Aromas de amoras maduras e groselhas; Harmonização: Carnes vermelhas, pizzas, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Lisboa, para harmonizar com saladas e peixes

o português Pomar Rosé Vinho Regional Lisboa 2020:

Frutado, muito saboroso, macio, elegante; Produtor: DFJ; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Shiraz, Caladoc e Castelão (vinho blend); Nariz: Notas de maçã e frutas vermelhas maduras; Harmonização: Saladas, sopas, sushi, gastronomia indiana

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Lisboa, para harmonizar com peixes e queijos mais suaves

o português Grand’Arte Pinot Noir Vinho Regional Lisboa 2017:

Elegante, agradável, aveludado, persistente e frutado, com notas de compota de amoras silvestres e nuances de cedro e chocolate; Produtor: DFJ Vinhos; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Rico e expressivo, com aromas de frutas vermelhas e chá, e toques tostados; Harmonização: Queijo Serra da Estrela, cozido à portuguesa, bolinhos de bacalhau

Compre aqui

 


 

O tinto Malbec de Vale do Uco, para harmonizar com carnes vermelhas

o argentino Manos Negras Selección de Suelo Malbec 2019:

Sabores intensos, muito frescor, com acabamento persistente na boca; Produtor: Manos Negras; Teor alcoólico: 13,9%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Aromas de florais e minerais; Harmonização: Bife de chorizo assado no forno com batatas, risoto de parmesão, nhoque com ragu de cordeiro

Compre aqui

 


 

O branco blend de Douro, para harmonizar com peixes e queijos mais suaves

o português Burmester D.O.C. Douro Branco 2020:

Vinho leve, jovem, frutado, acidez presente e agradável, refrescante; Produtor: Burmester; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Malvasia Fina, Gouveio e Rabigato (vinho blend); Nariz: Frutas brancas, frutas cítricas, sutis notas de vegetal; Harmonização: Tilápia ao molho de alho poró, risoto de queijos, pancetta na grelha, peixe frito, empadão de palmito com queijo

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha, para harmonizar com carnes vermelhas

o francês Bouchard Pere & Fils Pommard 2018:

Estruturado e firme, apresenta personalidade marcante; Produtor: Bouchard Père & Fils; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas maduras, com toques de couro e carvalho; Harmonização: Entrecôte com purê de mandioquinha, arroz de pato, risoto de tomate seco e Parmesão

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc do Vale de Casablanca, para harmonizar com peixes

o chileno Casas Del Bosque Winemakers Selection Sauvignon Blanc Valle de Casablanca D.O. 2021:

Equilibrado, refrescante, com acidez marcante; Produtor: Viña Casas Del Bosque; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Intenso, com nuances de limão, pêssego, pimenta jalapeño e grama recém-cortada; Harmonização: Peixe à dorê com molho tártaro, ensopado de alcachofras, penne ao molho branco com ervilhas

Compre aqui

 


 

O licoroso blend de Douro (vinho do Porto), para harmonizar com sobremesas e queijos azuis

o português Sanders Vinho do Porto Ruby Reserva:

Encorpado, macio e frutado; Produtor: Campelo; Teor alcoólico: 19,5%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Cereja madura, geleia de amora e ameixa cozida; Harmonização: Queijos azuis, torta de ameixa, trufas de chocolate, bolo de frutas vermelhas

Compre aqui

 


 

O espumante Moscatel de Bento Gonçalves, para harmonizar com sobremesas à base de frutas

o brasileiro Cainelli Espumante Moscatel Demi-sec:

Fresco, leve e com doçura elegante; Produtor: Cainelli; Teor alcoólico: 7,5%; Uva: Moscatel (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas e notas florais; Harmonização: Bolos doces, sobremesas à base de fruta

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Mendoza, para harmonizar com saladas, peixes, frutos do mar, carnes brancas e queijos mais suaves

o argentino Altivo Classic Rosé 2019:

Leve, boa acidez, traços de taninos, fácil de beber; Produtor: La Celia; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Malbec e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, floral; Harmonização: Arroz de camarão, tender assado com frutas, quiche lorraine, carpaccio, nhoque ao sugo, queijos semimoles

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon do Vale de Rapel, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o chileno Casas Del Bosque Winemakers Selection Cabernet Sauvignon Valle de Rapel D.O. 2019:

Macio e fresco, com taninos equilibrados e final agradável; Produtor: Viña Casas Del Bosque; Teor alcoólico: 14%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Expressivo, com toques de cerejas pretas, menta, chocolate amargo e tabaco; Harmonização: Lombo assado com crosta de ervas, espaguete com ragu de linguiça, queijo Pecorino

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc do Vale de Casablanca, para harmonizar com saladas, peixes, frutos do mar e carnes brancas

o chileno Root: 1 Reserva Sauvignon Blanc 2019:

Jovem, fácil de beber, boa acidez; Produtor: Viña Ventisquero; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Frutas brancas, frutas cítricas e um toque vegetal; Harmonização: Peixe assado, risoto de aspargos, lombo de porco na manteiga de ervas, quiche de palmito

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto Cabernet Franc de Vale de Loire, com muita versatilidade na hora de harmonizar

o francês Nicolas Grosbois La Cuisine de ma Mère 2020:

Vibrante e muito saboroso; Produtor: Domaine Grosbois; Teor alcoólico: 13,09%; Uva: Cabernet Franc (vinho varietal); Nariz: Clássico aroma de frutinhas vermelhas com notas herbáceas; Harmonização: Pizzas, burgers, aperitivos e queijos

Compre aqui

 


 

O espumante Glera de Vêneto, para harmonizar com aperitivos e frutos do mar

o italiano CA Degli Ermellini Prosecco D.O.C.:

Fresco, leve, com acidez equilibrada, harmônico com retrogosto longo e persistente; Produtor: Botter S.P.A.; Teor alcoólico: 11%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Notas de pêssego e maçã verde, aromas de acácia e lilás; Harmonização: Bruschetta de presunto cru com figo, pizza marguerita, espaguete com frutos do mar

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon do Vale de Colchagua, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o chileno Viñedos Marchigüe Santa Marta Cabernet Sauvignon Valle de Colchagua D.O. 2021:

Taninos macios, acidez média e final de boca frutado; Produtor: Marchigue; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Cereja, amora preta e cassis; Harmonização: Carne de panela, queijo Parmesão, pimentão recheado

Compre aqui

 


 

O tinto Malbec de Vale de Loire, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

o francês Cahors Haute Côt(e) de Fruit Malbec 2020:

Refrescante, frutado, com taninos sedosos e textura mineral; Produtor: Fabien Jouves – Domaine Mas del Périé; Teor alcoólico: 12,4%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Muita fruta fresca, ameixas vermelhas, framboesas e notas florais, com ervas e flores; Harmonização: Churrasco, pizzas, hambúrguer

Compre aqui

 


 

O tinto Carménère do Vale de Colchagua, para harmonizar com carnes vermelhas e queijos duros

Mr. Deer Carménère Colchagua Valley D.O. 2020:

Equilibrado, harmonioso e com taninos macios; Produtor: Bodegas Marchigüe; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Carménère (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas pretas, ervas e pimentões; Harmonização: Chili com carne e tortillas, pimentão recheado com carne moída, queijo Parmesão

Compre aqui

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

17 uvas tintas que você precisa conhecer 2
Difícil escolher algumas poucas uvas tintas viníferas. De fato, faltaria tempo de vida para descobrir todas! Você decidiu...
Os 8 principais produtores da Cabernet Sauvignon
Hoje vamos falar sobre a rainha das uvas tintas: a Cabernet Sauvignon. Essa uva incrível, como mostra o...
Temperos e especiarias - Como combiná-los com vinhos?
Combinar temperos e vinhos não é tão difícil e podemos provar! Confira as características mais marcantes e os...
Azeites - Harmonização com vinhos e benefícios à saúde 5
Saber usar bons azeites faz toda a diferença na hora de cozinhar. Mas, tão importante quanto entender a...
Como fazer vinho quente? 8 Receitas incríveis!
O friozinho de junho pede por vinho quente, seja de vinho tinto ou branco Inverno, frio, festa junina,...
Tournedo Rossini - Receitas e harmonização com vinhos
Mais espesso que o medalhão, o Tournedo Rossini é um clássico francês que ganhou o mundo Como um...