Rótulo do vinho - Como ler um rótulo e comprar vinho sem errar

Publicado em:

7

Você já se pegou no meio do mercado ou de uma loja especializada com uma garrafa ou duas nas mãos e completamente perdido enquanto tentava decifrar o que dizia no rótulo do vinho? Afinal, são tantas informações aparentemente soltas, como datas, muitas letras pequenas, nomes de uvas e cidades, que parece até impossível para nós, pessoas normais, entender o que o rótulo do vinho diz sobre ele. Além disso, saber ler um rótulo completa a experiência de degustar um vinho. Afinal, ao decifrar suas origens, você começa a criar uma biblioteca de vinhos e locais em sua mente.

Com o tempo, você vai percebendo qual região, uva e estilo mais agradam o seu paladar. Por isso, os especialistas são capazes de falar tudo sobre uma garrafa antes mesmo de sacar a rolha. Mas, para quem tem a curiosidade de procurar pelas origens do vinho, é realmente difícil entender como tudo que está ali se completa. Bom, saiba que isso acontece com muitos amantes do vinho que ainda estão aprendendo sobre esse maravilhoso universo. Por isso, preparamos dicas fáceis de gravar para você nunca mais se perder no rótulo do vinho. Confira!

Entenda o que é rótulo e contrarrótulo

2 2

Rótulo é a etiqueta na parte da frente da garrafa. Nela, é comum encontrar as informações mais simples e gerais sobre o vinho. O contrarrótulo é a etiqueta que fica na parte de trás da garrafa, onde encontramos as informações técnicas sobre ele.

Tudo que você precisa saber sobre a bebida está no rótulo do vinho. De fato, até o óbvio precisa ser registrado, por isso, você logo vê escrito se ele é um vinho tinto, rosé, branco ou espumante. Além disso, outros detalhes devem estar lá no rótulo ou no contrarrótulo. A partir de agora, veja os detalhes demonstrados em cada um deles.

O que o rótulo do vinho diz sobre ele?

5 2

Como dito, tudo o que você precisa saber sobre a bebida está no rótulo do vinho. Então, nele você vai encontrar informações como se ele é um vinho de mesa (produzido a partir de uvas americanas) ou um vinho fino / nobre (produzidos a partir de uvas europeias). Além disso, no rótulo do vinho deve constar:

Nome

O nome do vinho geralmente é a palavra em evidência. Dessa forma, fica mais fácil diferenciar uma marca de outras que produzem o mesmo estilo de vinho. Por exemplo, quem procura por um vinho Norton, já o identifica de longe. Em seguida, a pessoa deve procurar pelo tipo de uva e estilo de vinho. Mas, o nome já dá a direção. Aliás, cada vinícola pensa cuidadosamente nos nomes de seus vinhos, visando formas de gerar uma conexão com os consumidores e fazer com que a marca fique bem gravada em suas mentes e paladares. Afinal, só de falar em Concha y Toro, já vem à sua mente aquela garrafa esverdeada com lacre vermelho e o nome da vinícola logo abaixo do rótulo nos vinhos tintos. Por outro lado, o nome Chandon lembra aquelas garrafas deslumbrantes e espumantes de qualidade impecável produzidos aqui mesmo no Brasil, certo? Pois é… esse é o poder do nome!

Variedade 

Em seguida, vem a variedade. Então, se você já havia encontrado sua marca preferida, agora você procura pelo tipo de uva usada na produção da bebida, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay, Riesling, Cabernet Sauvignon etc. Ou pelo menos pela uva predominante. Afinal, um vinho pode conter até 13 cepas diferentes em sua composição, como no caso do famoso Châteauneuf Du Pape. Nesse caso, o vinho vai estar identificado como Blend, Corte ou Assemblage, uma composição perfeita de uvas com diferentes características importantes para o excelente resultado final.

Mas, se a uva é equilibrada e o produtor pretende destacar suas qualidades, ela compõe mais de 80% da bebida e no rótulo do vinho você encontra a palavra “Varietal”. Em alguns casos, porém, os vinhos são tão conhecidos pelas uvas usadas em sua composição, que se torna desnecessário estampar seu nome no rótulo do vinho, como no caso dos vinhos com Denominação de Origem.

Ano da safra no rótulo do vinho

Normalmente, os vinhos lançados no mercado são feitos para serem consumidos imediatamente, sem a necessidade de guardá-los por anos. Por isso, quase não verificamos a data da safra no rótulo do vinho. Para quem está desenvolvendo gosto por vinhos de guarda, porém, essa é uma informação importantíssima. 

Sendo assim, o ano estampado no rótulo se refere ao ano de colheita das uvas. De fato, isso diz muito sobre as características dos frutos. Os especialistas conseguem lembrar como foi o clima da região no ano em questão e como o sol ou a quantidade de chuvas deve ter influenciado no sabor do vinho. 

Por outro lado, vinhos mais populares e de preço mais acessível, podem ser elaborados a partir de uvas colhidas em diferentes safras, por isso não informam o ano de colheita. No entanto, não pense que isso diminui sua qualidade. Aliás, já falamos aqui sobre como comprar vinhos bons e baratos. Na verdade, poder utilizar uvas diferentes e de anos diferentes é justamente um dos fatores que tornam os vinhos menos dispendiosos. 

Tipo do vinho

9

Nesse caso, diferentes informações podem estar nessa categoria. Pode ser que o vinho seja classificado por qualquer um desses critérios:

  • Nível de dulçor e teor alcoólico

No rótulo do vinho, você pode observar se a bebida é descrita como Seco, Suave ou Demi-Sec. Ou seja, se ele tem o mínimo de açúcar residual; se é o famoso “vinho doce” ou se está no meio-termo. Essa informação está intimamente ligada ao teor alcoólico do vinho. Afinal, durante a fermentação, o açúcar é transformado em álcool, sendo assim, quanto mais álcool, menos açúcar. Por outro lado, quanto menor o teor alcoólico, mais adocicada a bebida será. Esse valor pode variar entre 7% e 16%.

  • Tranquilo ou espumante

Normalmente, vinhos tranquilos não precisam ser assim descritos no rótulo. Por outro lado, além da garrafa característica, os espumantes possuem essa qualidade claramente identificada no rótulo do vinho. Além disso, no caso deles, você também vai encontrar as classificações de acordo com o grau de açúcar residual presente na bebida: Doce; Semi-Sec; Sec; Brut; Extra-Brut ou Nature.

  • Método de produção

Na vitivinicultura, diferentes métodos são empregados para alcançar diferentes resultados no produto. Por isso, consumidores exigentes podem preferir vinhos que passaram por um processo específico. Sendo assim, você verá Tradicional (ou Champenoise), Moscatel (ou Asti), ou Charmat escrito no rótulo do vinho.  

Região 

Nesse caso, saber um pouco da geografia dos vinhos ajuda a identificar o tipo de vinho que você está segurando. Afinal, a região é parte importante do terroir da bebida. Nos brasileiros, você verá no rótulo do vinho a região onde ele foi produzido: Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha; Vale do São Francisco ou Serra do Sudeste, por exemplo. Tendo uma ideia do clima local e como esse fator influencia no vinho, você já terá uma ideia do que esperar da bebida. 

Produtor

Assim como o nome do vinho, o produtor também informa ao consumidor o nível de qualidade da bebida engarrafado. Afinal, como qualquer outro produto, saber a sua procedência já passa credibilidade e confiança. Normalmente, a bebida sempre faz jus à fama do produtor, por isso ele vem estampado no rótulo do vinho. 

O que diz o contrarrótulo do vinho?

6

No contrarrótulo, o produtor pode descrever sua bebida de forma atraente, contar a história da bebida e informar outros detalhes importantes para o consumidor. A temperatura de serviço, o endereço do produtor, seu CNPJ, dados do importador e do distribuidor (no caso de vinhos importados) e a data de validade da bebida, por exemplo, não podem faltar. 

É no contrarrótulo também que você encontra as variedades usadas na composição do vinho, caso seja um vinho de corte (com várias cepas conferindo diferentes características para equilibrar a bebida) ou a porcentagem da uva principal no caso do varietal. De fato, todas essas informações podem variar de país para país. 

Ao comparar vinhos espanhóis, franceses, italianos e outros, observe que cada um possui uma quantidade diferente de informações. Isso se deve ao fato de que quem determina o que deve ou não estar no rótulo do vinho é um órgão do governo. Por aqui, não é diferente. 

Rótulos de vinhos brasileiros

8

No Brasil, o Ministério da Agricultura é o responsável por determinar quais as informações que não podem faltar no rótulo do vinho. Aliás, antes de lançar seu produto no mercado, o produtor deve enviar uma amostra das etiquetas que estarão expostas nas garrafas e ela passa pelo crivo do órgão do governo. Nela, devem constar:

  • número de registro do produto no Ministério da Agricultura;
  • lista de ingredientes utilizados, incluindo qualquer tipo de estabilizante ou aditivo;
  • lote do produto;
  • informações básicas como tipo de uva, grau de dulçor e a cor da bebida. 

Dessa forma, as bebidas nacionais garantem a qualidade e alto padrão no mercado de vinhos. Aproveite para escolher o seu vinho. Para facilitar a sua vida, detalhamos todas as informações do rótulo que você pode conferir clicando na imagem de cada um deles.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

5 Vinhos franceses premiados que você precisa experimentar
Introdução Pouco depois de chegar à França, eu tinha certeza de uma coisa: os vinhos franceses eram incríveis....
Os 10 melhores vinhos Malbec que você pode comprar na Internet
Introdução O Malbec é uma das uvas mais populares do mundo, e é fácil ver o porquê. Ele...
Tábua de frios e harmonias com vinhos
Introdução Os cortes frios são uma ótima maneira de acrescentar um elemento extra especial à sua festa. Se...
Carpaccio, a receita veneziana e suas harmonias com vinhos
Carpaccio é uma das receitas mais famosas da cozinha veneziana. Ela consiste em carne crua, e seu nome...
Vinho Lambrusco, a jóia de Emilia-Romagna
Introdução O Lambrusco é um vinho único que é difícil de categorizar. Apesar de ser uma uva tinta,...
5 batatas gourmet para harmonizar com vinho
Introdução Se você adora batatas, então sabe que elas podem ser cozidas de milhões de maneiras diferentes. Quer...