Prosecco é Champagne? Saiba a diferença e como harmonizar

Publicado em:

Prosecco

Um dos queridinhos do verão, o Prosecco traz toda o frescor que o calor pede.

Atualmente, Prosecco é sinônimo de frescor, leveza, descontração e delicadeza. Aquele tipo de vinho perfeito para dias e noites quentes de verão. No entanto, apesar de sua crescente popularidade, o vinho acaba levantando muitas dúvidas. Por exemplo: Prosecco é um Champagne? Vinhos brasileiros podem estampar em seus rótulos esse nome?

Inicialmente, neste artigo você vai descobrir a história do vinho e sua origem. Em seguida, vai descobrir algumas curiosidades sobre ele e uma receita cheia de sabores. Para terminar, você vai descobrir como harmonizar a bebida com seus pratos favoritos. Para isso, leia até o final.

Qual a diferença entre Prosecco e Champagne?

Basicamente, assim como Champagne é o espumante produzido na região francesa de Champagne, o Prosecco é um espumante produzido de forma específica na região de Vêneto, na Itália. Acontece que, antigamente, Prosecco era o nome da uva utilizada na produção dos excelentes vinhos da região italiana.

De fato, desde o século XVIII, a uva já era conhecida assim. Mas, em 2009, a Prosecco recebeu o nome de Glera. Dessa forma, seu nome anterior passou a ser reconhecido como Denominação de Origem e não como uma casta vinífera. Aliás, talvez seja esse o motivo de existir tantas dúvidas quanto à procedência e direitos de uso do título. Pois, até no Brasil existem vinhos brancos muito bem feitos que carregam o título no rótulo de forma equivocada. Afinal, a verdade é que são vinhos brancos produzidos com a Glera. A seguir, entenda as diferenças básicas entre Champagne, espumante e Prosecco.

Prosecco

A origem da bebida

Antigamente, os vinhos da região do Vêneto eram reconhecidos pelo uso das uvas Prosecco. Com o passar do tempo, a uva ganhou o mundo e levou com ela a fama dos vinhos brancos italianos. No entanto, os produtores locais passaram a reivindicar exclusividade, num esforço de resgatar a identidade da bebida e preservar sua qualidade e características únicas.

Sendo assim, em 2009, ficou determinado que os vinhos ali produzidos, seguindo normas rígidas, seriam os únicos a ostentar o título de Prosecco. Por outro lado, a uva ganhou nome de Glera, como citamos anteriormente. Assim, vinícolas em outras partes do mundo, incluindo o Brasil, produzem vinhos brancos semelhantes aos italianos, a partir da uva Glera.

Na Itália, o Prosecco é produzido exclusivamente em nove províncias. Cinco delas no Vêneto: Belluno, Pádua, Vicenza, Veneza e Treviso. As outras quatro, em Friuli Venezia Giulia: Udine, Trieste, Pordenone e Gorizia.

DOCG – Denominação de Origem Controlada e Garantida

A partir de 1950, o governo italiano instituiu as Denominações de Origem no país. Dentre as várias DOCs da região, em 2009, uma delas foi promovida à “autoridade máxima” das Denominações de Origem. Assim, Prosecco se tornou Denominação de Origem Controlada e Garantida. No entanto, esse título não indica alta qualidade, mas a tipicidade das uvas. Ou seja, é uma identificação geográfica. É claro que existem normas a serem alcançadas antes que um rótulo receba o selo da DOCG. Porém, cada produtor pode decidir se vai elevar o nível de seu produto, depois de atingir os requisitos mínimos para receber o título. Dentre eles estão:

  • Uvas permitidas na produção dos vinhos locais;
  • Tipo de solo;
  • Área de cultivo e produção;
  • Métodos utilizados;
  • Tecnologias empregadas na produção;
  • Tempo de envelhecimento;
  • Análise de componentes químicos e físicos antes da comercialização.

Atualmente, um total de 74 vinhos estão incluídos nesse seleto grupo de vinhos com tempo mínimo de 05 anos como DOC, que construíram uma boa reputação em nível nacional e internacional e que passam por uma análise adicional durante o engarrafamento e degustação. Tudo isso, antes de ser belamente posicionado nas prateleiras em todo o mundo, exibindo seu título merecido.

Receita e harmonizações 

Prosecco

Super versátil e feito para ser consumido jovem, o vinho vai bem com quase tudo que você imaginar. Incluindo pizza!

Começando com o pé direito a parte mais gostosa dessa conversa, você vai aprender uma receita perfeita para qualquer momento. Mas, especialmente no fim de ano, ela faz sucesso ao combinar tender e Prosecco. Confira a seguir e experimente esta delícia.

Tender com risoto ao Prosecco e molho kinkan

Ingredientes

500g de tender fatiado fino

Azeite para grelhar

Molho:

Suco de 08 laranjas (coado)

04 laranjinhas kinkan em fatias finas (retire as sementes)

08 colheres (sopa) de mel

06 fatias finas de gengibre

06 colheres (sopa) de molho shoyu

Modo de preparo do molho

Pense num preparo simples! Para esse molho refinado, basta cozinhar todos os ingredientes em fogo baixo. Dessa forma, o caldo irá reduzir. Então, assim que chegar a uma textura espessa, não grossa, desligue e reserve. Agora, é hora da estrela: nosso risoto ao Prosecco.

Risoto ao Prosecco

Ingredientes

320 g de arroz arbóreo

120 g de manteiga (mais ou menos 05 colheres de sopa)

01 cebola média ralada

160 g de cogumelos shimeji

240 g de ervilhas frescas pré-cozidas

01 semente de cardamomo esmagada ou 1 cravo (caso você goste)

240 ml de espumante Prosecco

1,2 litro de caldo (pode ser de legumes, carne ou frango)

08 laranjinhas kinkan em cubos

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Laranjinhas kinkan para enfeitar

Modo de preparo do risoto

Para começar, em uma panela média, doure a cebola ralada na manteiga. Depois, quando a cebola estiver cozida, junte o cardamomo (ou cravo) e as laranjas kinkan picadas. Logo em seguida, já adicione o arroz arbóreo SEM LAVAR, deixando fritar levemente. No entanto, continue mexendo constantemente, para evitar que os grãos queimem.

Agora, é hora de adicionar metade (120ml ou meia xícara de chá) de Prosecco e parar de mexer por um momento, para que o álcool evapore. Em seguida, volte a mexer e coloque 400ml de caldo no arroz. Continue mexendo sem parar, afinal, é um risoto.

Assim, logo que o caldo secar, adicione mais 400ml de caldo e mexa até secar novamente. Então, adicione o restante do caldo, o cogumelo, as ervilhas e mexa até o caldo QUASE secar uma última vez. Por fim, adicione o resto do Prosecco, deixando o risoto molhadinho e brilhante. Experimente o tempero e corrija se for necessário. Para concluir, retire a semente de cardamomo ou cravo. O tempo total de preparo do risoto é de 17 minutos, em média. A seguir, saiba como fazer a montagem do seu prato elegante.

Montagem

Nesse momento, grelhe as fatias de tender no azeite. No prato, você deve despejar um pouco do molho e posicionar as fatias de tender sobre ele. Novamente, regue generosamente com mais molho. Ao lado, sirva o risoto, decorando com as laranjinhas e alecrim. Então, sirva imediatamente.

Como harmonizar Prosecco e ingredientes

Prosecco

Além de preparos salgados, o Prosecco acompanha bem sobremesas. Experimente a bebida com um chocotone.

Mundo afora, o Prosecco é amado por seus aromas frescos e leves. Como dissemos, a bebida só é produzida a partir de uvas brancas. Ou seja, menos taninos, vinhos mais delicados e sem muita complexidade. Em outras palavras, um vinho fácil de beber. Aliás, seu Prosecco pode muito bem ser aproveitado sozinho, sem nenhum acompanhamento, de tão leve e refrescante o seu sabor.

Normalmente, vinhos com essas características são levemente mais doces que o Champagne e combinam perfeitamente com frutos do mar, queijos, carnes curadas e até frutas. Por exemplo, experimente enrolar tâmaras com tiras finas de presunto e servir com o seu vinho. Além disso, a culinária asiática também combina muito bem com o Prosecco. A seguir, confira uma lista de preparos e ingredientes que harmonizam belamente com a bebida.

Carnes e frutos do mar

Salmão defumado, frango, carne de peru ou outra carne branca.

Vegetais

Tomates assados, cogumelos recheados, avocado e alcachofra.

Temperos

Gengibre, cardamomo, pimenta cayena ou molho de pimenta e curry.

Queijos e castanhas

Parmesão, muçarela, ricota, gorgonzola, queijo de cabra e emmental são alguns pares perfeitos para o Prosecco. Além disso, castanha de caju, amêndoas, macadâmias, tâmaras e avelãs também fazem boa companhia à bebida.

Sobremesas

Bolos e tortas, especialmente os que levam nozes ou outras castanhas. Chocolate, salada de frutas e creme brulée, fecham com chave de ouro qualquer refeição regada com Prosecco.

Drinks

Prosecco

Seja sozinho, seja bem acompanhado, você merece esse sabor.

Fechando com chave de ouro, você pode combinar seu vinho com néctar ou purê de pêssego. Ou seja, fazendo um delicioso Bellini, drink criado na Itália, em Veneza. Aliás, perfeita para o verão, a bebida deve ser consumida extremamente gelada, quase congelando.

Para concluir, confira algumas curiosidades sobre o vinho italiano:

– Para começar, você talvez não saiba, mas a uva Glera, tinha um nome anterior ao Prosecco. Muito tempo atrás, a uva era conhecida como Puccino.

– Na região de Vêneto, a legislação também permite a produção de vinhos Prosecco Frisantes e tranquilos, sem gás carbônico. Porém, as regras para a produção são diferentes do espumante.

– Se você é amante do enoturismo, não pode perder um passeio pela Estrada do Prosecco, rota turística na Itália.

Agora, você já sabe tudo sobre essa bebida charmosa e delicada. Não perca nossa promoções e assine nossa newsletter para receber as melhores ofertas.

E veja abaixo a nossa seleta lista de espumantes Prosecco em promoção:

 

Um Prosecco Extra-Dry,

o Le Calleselle Extra Dry Prosecco di Treviso DOC:

Fresco e elegante, com uma perlage intensa e um leve dulçor; Produtor: Vinícola Serena Srl; Teor alcoólico: 11%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Flores brancas, maçã-verde e pêssego branco; Harmonização: Antepastos, peixes grelhados com legumes, comida tailandesa

Compre aqui

 


 

Um Prosecco Brut,

o Romeo & Juliet D.O.C. Prosecco Brut:

Leve, boa acidez, cítrico, delicada cremosidade; Produtor: Pasqua; Teor alcoólico: 13%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Frutas brancas maduras, floral; Harmonização: Bobó na mini-moranga, risoto de queijo brie com limão siciliano, fettuccine al mare, hambúrguer de frango com creme de cebola, saladas diversas, e queijos como Muçarela e Cablanca

Compre aqui

 


 

Um Prosecco Extra-Dry,

o Montelvini Extra Dry Prosecco DOC:

Persistente, frutado; Produtor: Montelvini; Teor alcoólico: 11%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Notas de flores, maçã e mel; Harmonização: Peixes e frutos do mar

Compre aqui

 


 

Um Prosecco Brut,

o Salton Prosecco Brut:

Leve, boa acidez, fácil de beber; Produtor: Vinícola Salton; Teor alcoólico: 11,5%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas, floral; Harmonização: Suflê de frango, salgadinhos fritos, tortellini de ricota ao molho branco, espeto de legumes, saladas, queijos frescos

Compre aqui

 


 

Um Prosecco Brut,

o Fantinel One & Only Prosecco D.O.C. Brut 2019:

Leve, refrescante, boa cremosidade, frutado; Produtor: Fantinel; Teor alcoólico: 12%; Uva: Glera (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas, frutas brancas, floral; Harmonização: Risoto de legumes, melão com presunto cru, bruschettas e canapés, guacamole, quiche de aipo, queijos brie com geleia de damasco

Compre aqui

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Bife de chorizo – O que é?
O bife de chorizo ganhou espaço nas casas especializadas e nas casas dos churrasqueiros de domingo também. Afinal,...
sagu
Conheça a sobremesa tradicional do sul do país, mas que é apreciada Brasil afora. O sagu como conhecemos,...
Peru de Natal
Tradição adotada pelas família brasileiras, o peru se tornou símbolo da ceia natalina em todos os cantos do...
queijos e vinhos
Para os amantes da boa mesa, a combinação de queijos e vinhos enche os olhos e abre o...
bacalhoada
Prato português, a bacalhoada já foi adotada até por quem não tem raízes na terra de Cabral. A...
dieta cetogênica
Também conhecida como Keto, a dieta cetogênica restringe drasticamente a ingestão de carboidratos. Mas, será que pode tomar...

Cadastre Para receber