Vinho Gamay - a joia de Beaujolais

Publicado em:

Vinho Gamay - a joia de Beaujolais

Quem gosta de um bom vinho, certamente já ouviu falar do Vinho Gamay ou Gamê. Se você já quiser comprar um vinho Gamay, não deixe de clicar aqui e ir direto nas nossas principais ofertas de vinho da variedade

Extraído da Uva Gamay, o vinho gamay é um dos mais prestigiados do mundo. De origem francesa, a uva e o vinho de mesmo nome reservam um sabor, características e história marcantes.

A uva Gamay é roxa rosada comum na região de Beaujolais, na França, mas seu vinho é produzido em diversos lugares ao redor do mundo, como: Itália, Canadá, Suíça e Nova Zelândia.

O vinho tinto leve, versátil e saboroso, com aroma floral e notas terrosas é primo do famoso e badalado vinho Pinot Noir, com a diferença de ser bem mais acessível.

Veja, a seguir, um pouco mais a respeito do vinho Gamay.

História

Conforme dito anteriormente, a uva que dá origem ao Vinho Gamay é comum na região francesa conhecida como Beaujolais, que apesar de ser bastante querido atualmente, sua trajetória não foi muito fácil.

A história da região do Beaujolais não difere muito de várias regiões francesas, em relação ao clima e condições do solo.

Na região passava uma estrada romana importante que cortava os vales dos rios Rhône e Saône. Nessa região, circulavam legiões durante o século 2, e também trouxe produtores de vinhedos.

Depois do declínio romano, em torno do século 7, a manutenção desses vinhedos foi mantida por monges. Nessa época, toda a região pertencia ao Ducado da Borgonha, e os vinhos locais eram chamados de Beaujolais a partir da cidade de Beaujeu.

Já a partir do século 14, o destino da região foi marcado pelo banimento da uva Gamay da parte alta da Borgonha pelo duque Philippe Le Hardi. Segundo historiadores e amantes de vinho, o duque de Borgonha caracterizou a fruta como desprezível e desleal, promovendo a uva que daria origem ao conhecido Pinot Noir.

Contudo, mesmo com a declaração do duque, produtores de vinho da região Sul da Borgonha continuaram a cultivar a uva. Com o passar dos anos, o vinho ganhou novas versões e combinações, mas não perderam as receitas originais, como Beaujolais Villages e Beaujolais Nouveau.

Como a região já tinha tradição da uva Gamay, ela se manteve, inclusive pela melhor adaptação aos solos locais.

Já na década de 1930, áreas vinícolas foram criadas por um conselho de administração francesa e ficaram conhecidas como Crus. Na região de Beaujolais, foram escolhidas os melhores terrenos, proporcionando a produção de vinhos de altíssimo padrão de qualidade e com um conjunto de características marcantes e distintas, conforme veremos a seguir.

O Beaujolais se manteve produtivo, porém desconhecido do mundo até os anos 50. Na região, contudo, criou e preservou-se a tradição de beber aquele vinho frutado, leve e saboroso, logo após a colheita, o Beaujolais Nouveau, que foi explorado comercialmente e fez a fama da apelação.

Atualmente a associação de produtores trabalha no sentido de divulgar e valorizar os seus 10 Crus, vinhos mais complexos e estruturados que os Beaujolais básicos, que são leves, frutados e saborosos.

Características do Vinho Gamay

Vinho Gamay - a joia de Beaujolais 2

Uma das principais características do Vinho Gamay é seu aroma intenso e tom de terra marcante. Seu caráter ganha vida quando você cheira seu buquê. Você pode detectar violetas, íris e peônias cortadas com uma pitada de cereja, ameixa, framboesa e banana. Notas sutis de envasamento do solo formam um pano de fundo para seus sabores doces e floridos.

O vinho tem uma leve acidez combinada com a acidez das frutas vermelhas. Há a sugestão de um acabamento amargo. A versão francesa deste vinho é mais terrena que seus parentes do outro lado do mar.

A maioria dos vinhos tintos do Beaujolais é feita usando o método de maceração carbônica, que consiste na colocação de cachos de uvas gamay inteiros em tanques de fermentação. Para iniciar o processo de fermentação, as uvas no fundo do vaso são esmagadas.

As uvas nos níveis que ficam mais acima do tanque ficam saturadas em dióxido de carbono, o que produz fermentação intracelular, causando o rebentamento. Depois de um intervalo de quatro a oito dias, o suco é extraído e o líquido restante é extraído das peles.

Os sucos são combinados e deixados para concluir o processo de fermentação. A fermentação bioquímica que ocorre no interior da uva cria o aroma único da banana no vinho acabado, dando origem às suas principais características.

Regiões

Beaujolais é uma região situada no norte de Lyon, na França. Graças a sua localização, a região é privilegiada por três fenômenos climáticos importantes: as influências oceânicas, as influências mediterrâneas e as influências continentais.

Essa combinação oferece primaveras úmidas, verões quentes e secos, outonos quentes e invernos bem frios. Essas oscilações de temperatura e umidade, permitem a produção do principal ingrediente de vinhos saborosas e marcantes, as uvas Gamay.

Para garantir as melhores safras de uvas, os vinhedos estão plantados em altitudes entre 200 e 500 metros, em encostas de rios locais, que são, majoritariamente, afluentes do Rio Saône.

O território dessa região reúne uma enorme variedade de solos antigos, resultado de várias rochas em decomposição. Isso faz com que o terroir seja muito rico em variações e produza uvas Gamay e Chardonnay de altíssima qualidade. As uvas produzidas, então, criam os vinhos mais saborosas.

Na região, existem 10 áreas vinícolas bem definidas com apelações delimitadas de vinhedos de alta categoria. Os vinhos produzidos na região são classificados por suas características de elevado padrão de qualidade, digno do estilo da Borgonha. Tudo isso se traduz em vinhos de alto prestígio no mercado, complexos e com preços que corresponde a tantas peculiaridades.

É no bloco mais ao norte da região de Beaujolais que ficam as dez áreas vinícolas, que compartilham o mesmo solo e as condições climáticas semelhantes.

Harmonização

O sabor leve e, ao mesmo tempo marcante, do vinho Gamay dá à bebida bastante versatilidade, podendo ser combinado e harmonizado com os mais variados pratos e ocasiões.

Falando especificamente dos vinhos de Beaujolais e Beaujolais Villages, que são vinhos leves, são ótimos para acompanhar refeições também leves, como carnes brancas, salsichas, salada de batatas, salames, presunto cru ou cozido. É também uma ótima opção para queijos. Recomenda-se que seja consumido frio, entre 14 e 15 graus. Por isso, pode colocar na geladeira por algumas horas antes de consumir.

Os pratos mais pesados e marcantes, como carnes vermelhas e massas com molhos de tomate, acabam escondendo o sabor do vinho, que possui um sabor mais delicado e sutil.

Pratos cujo personagem principal sejam os frutos do mar, mais especificamente o bacalhau, são muito bem harmonizados com os vinhos Gamay, que não fica escondido e também não rouba o sabor do peixe. Veja a seguir uma sugestão de receita com o bacalhau como personagem principal.

Bacalhau ao Forno

Vinho Gamay - a joia de Beaujolais - Bacalhau

Ingredientes:

500g de lombo de bacalhau;

3 cebolas grandes fatiadas;

3 tomates sem pele fatiados;

6 batatas do tipo inglesa cortadas em rodelas grossas;

1 pimentão vermelho fatiado;

Salsicha picada;

Azeitonas verdes;

Azeitonas pretas;

Azeite de oliva extra-virgem.

Modo de preparo:

O primeiro passo é dessalgar o bacalhau. Para isso, coloque o peixe em um recipiente e cubra com água. Deixe de molho por 24 horas, sempre dentro da geladeira.

Durante esse período, para que o sal seja realmente eliminado, troque a água várias vezes. Não se preocupe pois o prato não ficará sem sal, o tempero será regulado mais adiante.

No dia seguinte, enxágue o bacalhau e coloque-o em uma panela com água suficiente para cobri-lo. Deixe ferver, fique vigiando e provando pequenos pedaços para certificar de que não amoleça demais e acabe sumindo no meio dos outros ingredientes.

Em seguida, separe-o em nacos grandes. Siga as fibras da própria carne.

Cozinhe as batatas na mesma água em que foi cozido o bacalhau, dessa forma o legume absorve melhor o sabor do peixe. Após o cozimento, prove o sal e regule, se necessário.

Em um refratário de vidro, coloque os ingredientes por camadas. Salpique a salsinha picada, coloque as azeitonas e regue com azeite. Tempere a gosto com pimenta, temperos e ervas. Recomenda-se o uso de coentro, alecrim e salsinha.

Leve ao forno médio por 30 minutos. Perceba que o prato fica bem dourado. Sirva quente.

Outra receita infalível para acompanhar uma boa garrafa de Gamay é o fondue de queijos. Veja uma sugestão de receita a seguir:

Fondue de queijos

Vinho Gamay - a joia de Beaujolais - Fondue de queijo

Ingredientes:

– 250g de queijo Ementhal;

– 250g de queijo Gruyère;

– 1 cálice de vinho branco seco;

– 1 colher de chá de fécula de batata;

– 1 dente de alho;

–1 pão italiano médio cortados em cubos grandes;

 

Modo de preparo:

Aqueça os cubos de pão no forno pré-aquecido a 180° por 10 minutos ou até que fiquem crocantes. Reserve.

Corte o dente de alho ao meio e esfregue no fundo e nas laterais de duas panelas.

Rale os queijos em um ralador de corte grosso, e coloque em uma panela antiaderente, acrescente o vinho.

Mantenha o fogo baixo até que os queijos estejam completamente derretidos.

Em um copo, dilua bem a fécula de batata em um pouco de água. Adicione bem devagar aos queijos, mexendo sempre para não empelotar.

Deixe aquecer por mais 3 minutos, sempre misturando, para que o fondue adquira uma consistência homogênea e cremosa.

Transfira para a panela de fondue levemente aquecida e sirva ainda quente.

Conclusão

Todos os fatores e detalhes da produção das uvas Gamay promovem o sabor diferenciado dos vinhos Gamay.

Além de sua história impressionante, o vinha Gamay é um ótimo acompanhante para diversos eventos e refeições.

Uma bebida versátil e leve, é uma excelente opção para acompanhar pratos leves, queijos, frios e pratos a base de frutos do mar.

Vinho Gamay, um tinto leve e prazeroso, veja as melhores opções de compra abaixo:

 

O tinto de Coteaux Bourguignons

Labouré-Roi Collection La Princesse Maudite A.O.C. Coteaux Bourguignons 2020:

Corpo leve, frutado, taninos macios, acidez média para alta que lhe confere um agradável frescor; Produtor: Labouré-Roi; Teor alcoólico: 13%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras, floral; Harmonização: Maminha ao forno com legumes, talharim com ragu de carne, nhoque ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto de Coteaux Bourguignons

Louis Chevallier A.O.C. Coteaux Bourguignons 2020:

Um vinho jovem, leve, frutado, taninos macios e final refrescante; Produtor: Louis Chevallier; Teor alcoólico: 13%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas vermelhas e uma sutil nota de baunilha; Harmonização: Salmão grelhado, espaguete com almôndegas, salada caeser de frango, lasanha de berinjela, vegetais assados

Compre aqui

 


 

O tinto de Beaujolais

Mommessin Domaine de la Presle A.O.C. Fleurie 2020:

Corpo leve, deliciosa mescla de notas frutadas e florais, elegante, taninos suaves, acidez vibrante que lhe confere bom frescor, um vinho gastronômico; Produtor: Mommessin; Teor alcoólico: 14%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, violetas e rosas; Harmonização: Picanha suína grelhada, carpaccio de cogumelos, sobrecoxa de frango assada, queijos semiduros

Compre aqui

 


 

O tinto de Coteaux Bourguignons

Paul Lacroix Coteaux Bourguignons AOP 2020:

Elegante, aveludado e com taninos delicados; Produtor: Paquet Frères; Teor alcoólico: 12,8%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e pretas, com nuances de especiarias; Harmonização: Queijo Camembert, Boeuf Bourguignon, filé au Poivre

Compre aqui

 


 

O tinto de Coteaux Bourguignons

Ropiteau Frères A.O.C. Coteaux Bourguignons 2019:

Frutado, boa acidez, taninos sedosos, leve; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Morango, groselha, floral; Harmonização: Risoto de parma, filé de frango à parmegiana, talharim ao sugo, legumes grelhados, lasanha de berinjela com queijo, ravióli de queijo

Compre aqui

 


 

O tinto de Coteaux Bourguignons

Madame Veuve Point Coteaux Bourguignons AOP 2016:

Taninos aveludados, macio e equilibrado; Produtor: Madame Veuve Point; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Aromático com notas de morango, cereja e framboesa e frutas negras como groselha e amora preta; Harmonização: Carnes magras como frango e massas ao molho de tomate

Compre aqui

 


 

O rosé blend do Vale do Loire

Maison Castel Classics Rose D’Anjou AOC 2018:

Fresco e vívido; Produtor: Grupo Castel; Teor alcoólico: 10,5%; Uvas: Grolleau e Gamay (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e cítricas; Harmonização: Peixes assados, queijos e aperitivos

Compre aqui

 

Veja mais ofertas de vinhos Gamay, blends e varietais

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Os 8 principais produtores da Cabernet Sauvignon
Hoje vamos falar sobre a rainha das uvas tintas: a Cabernet Sauvignon. Essa uva incrível, como mostra o...
Temperos e especiarias - Como combiná-los com vinhos?
Combinar temperos e vinhos não é tão difícil e podemos provar! Confira as características mais marcantes e os...
Azeites - Harmonização com vinhos e benefícios à saúde 5
Saber usar bons azeites faz toda a diferença na hora de cozinhar. Mas, tão importante quanto entender a...
Como fazer vinho quente? 8 Receitas incríveis!
O friozinho de junho pede por vinho quente, seja de vinho tinto ou branco Inverno, frio, festa junina,...
Tournedo Rossini - Receitas e harmonização com vinhos
Mais espesso que o medalhão, o Tournedo Rossini é um clássico francês que ganhou o mundo Como um...
Cupom de descontos em vinhos especiais para pessoas especiais
Cupom de desconto em vinhos – Como usar? QUERODENOVO – 5% OFF Válido somente para compras e acima...