Espumante Brut: Harmonização Perfeita e Dicas de Pratos para Acompanhar

iyCkZcdYBNeZu4CHTM U2wqe CXNWZioqnB zpvg8lciAZ5AtCmfbeRtf3NMdkGs1l8sVT4WxWc0Oam6lvbfNQ hCB093kdSkiQbpdO A8k5bI8kzDsf1JcSqkOlWm78YC Lc4dTHULz9KgSjR6Nh0

O espumante brut, amplamente encontrado nas prateleiras e celebrado globalmente, é frequentemente confundido com o champanhe. No entanto, há uma distinção crucial: enquanto todo champanhe é espumante, nem todo espumante é champanhe.

Essa distinção se origina da região de produção. Apenas as bebidas produzidas na região francesa de Champagne podem ser legitimamente chamadas de champanhe. Embora a confusão seja compreensível, dada a origem francesa de ambos, é essencial reconhecer as nuances entre eles.

Os espumantes, sejam eles tintos, rosés ou brancos, são caracterizados pela presença de gás carbônico natural. Existem várias categorias de espumantes, cada uma com suas peculiaridades de sabor, textura e método de produção.

Dive conosco na fascinante jornada do espumante brut, explorando sua história, suas características distintas e as melhores combinações culinárias para esta bebida aclamada mundialmente.

Tudo o que você precisa saber sobre Espumante Brut

Origens dos espumantes

A história dos espumantes, em um contexto geral, data seu início no século XVII, na região da França.

Antes de ganhar essa denominação, produzia-se o champanhe, como mencionado, especialmente na localidade de Champagne, que possuía grande renome neste quesito.

Antigamente, a produção dos vinhos champanhe era realizada de forma tradicional, armazenada em barris e tonéis para ser exportada por toda a Europa, a partir de uma técnica simples de fermentação.

Os vinhos são produzidos a partir da escolha das uvas, decantação e o processo de fermentação, que atribui seu aspecto alcoólico e modifica o sabor de acordo com a quantidade de açúcar que se transforma em álcool.

Contudo, durante esse período, passou-se a utilizar garrafas para transportar o líquido produzido, em vez de barris, o que, posteriormente, também originaria um método diferente de produção.

Em 1668, Dom Pérignon, responsável pela abadia de Hautvillers, localizada na região do Marne, foi encarregado de resolver um problema indesejado quanto aos champanhes que estavam sendo engarrafados.

Dom Pérignon realizou um estudo aprofundado sobre esse processo, em busca de respostas que explicassem aquela alteração, e chegou a um resultado.

Aparentemente, dentro da garrafa, o líquido passava por um segundo processo de fermentação indesejada, o que proporcionava gás incapaz de sair, por conta do pouco espaço.

Assim, o vinho permanecia com o gás, alterando o sabor original ao qual estavam acostumados.

O surgimento de uma nova categoria

No entanto, não foi decretado um problema, e sim uma nova categoria de vinhos. Diz a lenda que o pesquisador afirmou estar “bebendo estrelas” na primeira vez que experimentou o líquido borbulhante.

Nasceu, então, os espumantes. Apesar de terem se tornando sinônimos de champanhe no mundo todo, os originais são apenas os da região de Champagne.

Vinhos produzidos nas mesmas características, que passem pela segunda fermentação, são considerados apenas espumantes, mas muitas produções se popularizaram pela qualidade, tanto quanto os franceses.

Posteriormente, o método champenoise passou a ser aplicado no mundo todo, referindo-se a essa segunda fermentação natural que acontece em garrafas, e não em tonéis.

Com isso, o espumante passou a ser produzido efetivamente em várias regiões, adquirindo os aspectos variados das castas de uvas utilizados, dos terroirs e outros elementos que modificam e particularizam seu sabor.

É importante lembrar que todo vinho que passe pela segunda fermentação e adquira o gás carbônico de maneira natural e identificável, no caso, as bolhas e a efervescência, pode ser chamado espumante.

Ainda, atualmente, a bebida considerada champanhe é apenas a produzida na região da França, enquanto os vinhos com as mesmas características, mas de outros lugares, são apenas espumantes.

Como surgiu o rótulo?

Uma vez que se sabe a origem dos espumantes de maneira geral, podemos passar para a categoria do espumante brut, e como ele passou a ser produzido.

Uma vez que os primeiros espumantes passaram a ser consumidos no século XVII, era comum que seu líquido apresentasse uma alta taxa de açúcar.

Os açúcares provenientes das uvas não eram totalmente fermentados, o que deixava as bebidas particularmente adocicadas.

Contudo, um século mais tarde, os ingleses passaram a exigir champanhes, e espumantes, mais sóbrios, sem um teor tão alto de açúcar.

Como parâmetro de comparação, algumas empresas chegavam a adicionar quase duzentos gramas de açúcar para um litro de bebida, o que se aproxima da quantidade presente em refrigerantes, hoje.

Assim, surgiu uma nova demanda na produção de espumantes, no caso, com um aspecto mais seco, onde a maior parte do açúcar seria transformada em álcool.

Nesse contexto, a Madame Louise Pommery foi a pioneira na produção de espumantes secos, e surge, então, o rótulo de espumante brut.

Brut significa bruto, grosseiro, pouco refinado em francês. As bebidas fabricadas na região da França que continham menos açúcar passaram a ser denominadas espumantes brut, em um primeiro momento.

As produções iniciais de espumante brut mantinham seu aspecto natural. A quantidade de açúcar por litro chegava a menos de vinte, um décimo de algumas bebidas anteriormente fabricadas.

Uma vez que o rótulo brut foi criado para denominar os espumantes menos doces, outras diferenciações foram surgindo com o tempo, ramificando a categoria.

Hoje em dia, os espumantes brut não englobam todas as produções de sabor menos doce, mas sim uma pequena categoria de acordo com a quantidade de açúcar identificada na bebida.

Atualmente, a partir do espumante brut, surgiram as seguintes categorias: nature, extra brut, brut, sec, demi-sec e doce.

Diferença para outras denominações

4jUkynBXlq5Tu9gNQthTCahblgWZnT9SiuZgnVQYEfaGPi3ko zBeCNh sjF 0xmqXuehb oHNyAtX

Se antes o espumante brut surgiu como uma denominação geral para diferenciar produções com menor teor de açúcar, hoje essa é justamente a distinção utilizada para categorizar as demais denominações.

Apesar de cada país poder apresentar suas próprias determinações, é possível seguir uma regra mais abrangente para diferenciar cada um dos tipos de espumantes.

1- Espumante brut

A começar pelo espumante brut, a concentração ideal de açúcar que precisa ser apresentada em sua composição é a de 12 gramas por litro, de acordo com as determinações francesas.

De modo geral, entra nessa categoria as produções que se encaixarem entre 8 e 15 gramas por litro, de modo menos exigente.

O espumante brut é tido como o espumante seco mais comum, e é considerado versátil, em relação as demais categorias.

2- Espumante nature

Trata-se do espumante mais seco da categoria. Enquanto o espumante brut era considerado natural antigamente, hoje essa categoria representa a produção com menor interferência.

Seu teor de açúcar se concentra em 3 gramas por litro. Dessa forma, quase todas as moléculas passam pela fermentação e se transformam em álcool.

Ainda, não apresenta licor em seu processo de fabricação. Costuma ser produzido com castas como Pinot Noir e Chardonnay.

3- Espumante extra brut

Como o nome indica, esse espumante se assemelha ao espumante brut em algumas características.

Sua concentração de açúcar é considerada entre 3 e 8 gramas por litro, ainda considerado bastante seco pelos apreciadores.

Seu sabor é marcante, e costuma apresentar bastante acidez ao paladar.

De acordo com a escala, ele antecede o espumante brut, que mantém a taxa de açúcar entre 8 e 15 gramas por litro.

4- Espumante sec

O espumante sec, ou seco, apesar de levar essa nomenclatura, é considerado relativamente seco, comparado aos anteriores.

Geralmente, contém de 15 a 20 gramas de açúcar por litro de bebida.

Dessa forma, é considerado equilibrado e levemente adocicado, e indicado para as pessoas que estão começando a experimentar espumantes.

Trata-se do espumante menos produzido em relação a outros da categoria.

5- Espumante demi-sec

Esse espumante também pode ser chamado de meio seco, e é bastante doce.

Possui cerca de 20 a 60 gramas de açúcar por litro para ser considerado desta categoria, e é recomendado aos que não gostam tanto de espumantes secos.

Ainda, é um dos tipos mais consumidos no Brasil.

6- Espumante doce

Por fim, o espumante doce é o último da categoria entre os espumantes, e, como seu nome indica, ele contém taxas elevadas de açúcar.

Sua concentração é de mais de 60 gramas por litro, ideal para acompanhar sobremesas, pois tem uma doçura facilmente perceptível.

Como o espumante brut se diferencia

O espumante brut é o terceiro na escala de secos, no entanto, é considerado um dos mais versáteis no quesito acompanhamentos.

Seu sabor e textura são consideravelmente secos, contudo, não o suficiente para serem desagradáveis aos que não estão acostumados, com um leve aroma adocicado.

Enquanto os demais espumantes precisam ser analisados no momento de serem escolhidos, o espumante brut possui vantagem quanto a esse aspecto, se tornando uma bebida coringa.

Além disso, a quantidade de açúcar de cada vinho depende da forma como ele é produzido, o que influência diretamente em outros fatores.

A produção tradicional dos vinhos passa pelo primeiro processo de fermentação, onde o açúcar presente na mistura é fermentando e se torna álcool.

Posteriormente, a segunda fermentação atribui o gás carbônico e a efervescência características dos espumantes propriamente ditos.

Dessa forma, as diferentes denominações dos espumantes são classificadas de acordo com sua concentração de açúcar, de modo que suas produções foram mais ou menos fermentadas.

Dependendo da casta de uva utilizada, o sabor, textura e aroma também pode ser alterados a partir dessas duas fermentações.

Espumantes secos costumam apresentar um sabor mais presente do álcool, que harmoniza e se distingue das demais características.

No caso do espumante brut, especificamente, é bastante equilibrado em seu sabor, podendo apresentar toques aromáticos mais doces, dependendo do terroir onde a casta foi cultivada.

De modo geral, iniciantes conseguem diferenciar os espumantes de sabores mais marcantes apenas com a experimentação, no caso, entre o nature, o mais seco, e o doce.

Contudo, o paladar suave e equilibrado do espumante brut faz com que ele seja satisfatoriamente apreciado, mesmo pelos que não estão acostumados.

Modificações com o tempo

Assim como todo vinho, os espumantes também sofrerão modificações de acordo com o tempo em que ficam abertos e conservados após retirada sua rolha.

Além disso, os espumantes são particularmente mais propensos a alterações que podem modificar seu sabor, textura e a experiência de se aproveitar uma boa bebida efervescente.

De maneira geral, todos os vinhos sofrem com a oxidação, ou seja, o contato com o oxigênio, além dos elementos conhecidos, como temperatura, ambiente e vibração sofrida.

Vinhos com uma maior presença de taninos são propensos a preservarem seu sabor por mais tempo depois de abertos, por conta da acidez apresentada.

Pela ordem, os vinhos fortificados são os mais resistentes a serem armazenados, seguidos dos vinhos brancos e, por fim, os vinhos tintos.

No entanto, champanhes e espumantes não entram na categoria de armazenamento comum aplicada aos demais vinhos.

Isso ocorre porque sua produção é realizada a partir de uma segunda fermentação feita na garrafa, que lhe acrescenta gás carbônico, tornando-o, efetivamente, um espumante.

Ainda que o dióxido de carbono seja um dos elementos ideias para preservação do sabor, por exemplo, a partir do momento em que a garrafa é aberta e a pressão é liberada, essa efervescência começa a evaporar gradativamente.

Dessa forma, a partir do momento em que o espumante é aberto e não consumido totalmente, seu líquido deixará de conter o que o torna diferenciado, como a espuma.

Por outro lado, seu sabor pode ser preservado tranquilamente pelo período de um mês, se mantido na geladeira, em posição vertical.

Assim, o paladar mais seco ou adocicado pode ser mantido, mas sem a efervescência.

Outras modificações

Além do fator temporal, existem outros elementos que podem modificar um espumante brut.

Por exemplo, a temperatura. Ao contrário de vinhos tradicionais, que podem ser servidos entre 15°C e 18°C, os espumantes devem estar entre 6°C e 8°C.

É comum deixá-los em baldes com gelo antes de servir, e permanecerem no congelador por até duas horas antes da ocasião.

Logo após aberto, o espumante já começa a perder o gás, de modo que deve ser consumido gelado e o quanto antes.

Além disso, a taça também pode ser um fator importante. Para espumantes, recomenda-se uma taça de corpo mais alongado e boca estreita, para manter a efervescência e conservar o sabor.

Por conta do dióxido de carbono, é preferível evitar sacudir o espumante antes de abri-lo, pois a espuma que jorra leva consigo boa parte do líquido e da textura.

Harmonizações

O que comer com espumante brut? Visto que, o espumante brut é considerado o mais versátil entre os espumantes, de modo que sua categoria é capaz de harmonizar com uma grande quantidade de pratos e acompanhamentos.

De maneira geral, é indicado que a harmonização se dê pela quantidade de açúcar que compõe cada espumante, a fim de combinar os sabores da comida e da bebida sem que nenhum seja prejudicado.

Dessa forma, o espumante doce, por exemplo, não é muito harmonizado com outros pratos além de sobremesas, por conta de seu caráter extremamente doce.

Por outro lado, o espumante nature, considerado o mais seco, é melhor relacionado com pratos fortes, cujo sabor harmonize com a textura seca e o sabor ácido.

Contudo, o espumante brut possui uma vantagem sobre as demais categorias.

Sua concentração de açúcar não é alta o suficiente para deixá-lo doce, nem baixa o bastante para tornar seu gosto ácido e seco.

Assim, ele é tido como o espumante coringa para a maioria das ocasiões, e, não a toa, é o mais consumido em várias partes do mundo.

Entradas

As entradas são pratos ou acompanhamentos que precedem o prato principal em qualquer refeição, mas especialmente em jantares.

Sendo assim, costuma ser leve, apetitosa, algo que abra o apetite e conduza uma conversa agradável antes da refeição.

Por ser composta de pratos mais leves, a entrada pode ser harmonizada com vários espumantes, dependendo dos ingredientes que compõe o preparo.

O espumante brut, especificamente, é ótimo para acompanhar pratos com camarão e outros frutos do mar, por exemplo. Ambos são leves e saborosos na medida certa.

Além disso, também é possível harmonizar com canapés ou uma entrada a base de carne, desde que não seja preparada com sabor demasiado extravagante.

Saladas também costumam compor entradas, e todos os tipos de saladas podem ser harmonizadas com espumante brut, desde verduras, legumes, até combinações exóticas, com frutas ou agridoces.

Pratos principais

Enquanto isso, o prato principal precisa ser bem analisado antes de harmonizar com algum espumante.

Por conta de seu caráter mais encorpado, pratos elaborados e ingredientes sofisticados, é mais difícil combinar um espumante que não destoe do sabor do conjunto.

Ainda que o espumante brut seja bastante equilibrado, é melhor evitar pratos principais que sejam compostos por molhos fortes e carnes vermelhas, elementos de difícil combinação e costumeiramente pesados.

Por outro lado, pratos principais com carnes brancas, peixes, como lagosta ou salmão, acompanhados de molhos suaves, são ideias para combinar com espumante brut.

Se o prato principal conter algum ingrediente mais encorpado, o espumante brut pode ser uma opção, desde que seja harmonizado a partir do gosto pessoal de cada um.

Sobremesas

Como mencionado, espumantes mais doces são ideias para aproveitar com sobremesas, contudo, é possível harmonizar o espumante brut também.

Espumantes são bastante comuns na época do ano novo, que acompanha uma quantidade variada de doces e sobremesas.

Assim, é possível harmonizar o brut com sobremesas que não tenham chocolate em sua composição, combinando melhor com chantilly e frutas.

Cremes e sabores mais suaves também são ideias para harmonizar com o espumante brut sem ter seu sabor modificado.

Além disso, o espumante brut é bastante equilibrado em termos de acidez, o que o torna perfeito para sobremesas como tortas.

Queijos

A combinação de vinhos e queijos é tradicional, e, para cada bebida, há um queijo que harmoniza.

Certamente, não seria diferente com espumantes, especialmente o espumante brut.

O caráter adocicado de algumas categorias de espumante harmonizam com determinados tipos de queijo, enquanto espumantes secos combinam com outros.

Ainda que o espumante brut seja particularmente equilibrado, ele harmoniza melhor com queijos Brie, Camembert e queijo de cabra.

Por conta do sabor suave, o espumante não sobressairá, ressaltando o paladar do queijo.

Além disso, o espumante brut também pode harmonizar com outros tipos de queijo que acompanhem pratos ou receitas, desde que seu sabor não seja demasiado intenso.

Conclusão

espumante brut

Entre as várias categorias de vinhos, os espumantes se destacam por conta da efervescência e o sabor diferenciado.

Os espumantes surgiram em meados do século XVII, quando os champanhes, especificamente, deixaram de ser armazenados e transportados em tonéis e passaram a ser engarrafados.

Descobriu-se, então, que a garrafa gerava uma segunda fermentação ao vinho, fazendo com que desenvolvessem gás carbônico, e, consequentemente, espuma e efervescência.

Contudo, em vez de ser considerado um problema, esse tipo de champanhe passou a ser apreciado no mundo todo, sendo reconhecido pelo nome de espumante.

Por outro lado, no século XIX, os ingleses exigiram um tipo de vinho com menos teor de açúcar, o que deu origem ao espumante brut, que, em francês, significa bruto, natural.

Atualmente, outras categorias de espumante se desenvolveram a partir do brut.

Eles são categorizados através da concentração de açúcar que apresentam em sua composição.

Dessa forma, espumantes menos adocicados são chamados espumantes nature, brut e extra-brut, enquanto os que apresentam mais açúcar são o sec, demi-sec e doces.

O espumante brut é considerado o mais equilibrado entre os espumantes, com sabor nem tão ácido e nem tão doce.

Assim, trata-se de um espumante adequado para harmonizar com os mais variados tipos de pratos e acompanhamentos.

É preferível que os espumantes acompanhem refeições mais suaves, de modo que os sabores não sejam sobrepostos de maneira desagradável.

Contudo, é preciso se atentar para o consumo dos espumantes. Por conta do dióxido de carbono, seu sabor pode ser mantido por muito tempo, mas a efervescência se dissipa com rapidez, de modo que é indicado que ele seja consumido o quanto antes após aberto.

Por fim, o espumante brut é especialmente equilibrado, o mais consumido dentre as categorias de espumante, e perfeito para quando se quer acertar na escolha, seja qual for a ocasião.

Espumante brut, se você curtiu o artigo acima, experimente você este requinte com as ofertas abaixo:

Ofertas em destaque

Espumante brasileiro – Casa Perini Brut

Espumante Casa Perini Brut - Oferta

O Espumante Casa Perini Brut é um produto brasileiro da Serra Gaúcha, celebrado por seu frescor intenso e equilíbrio na boca, com aromas de pera e maçã-verde. Produzido com uvas Chardonnay e Riesling Itálico, possui 12% de teor alcoólico e uma aparência amarela palha, com perlage fino e espuma cremosa. Ideal para harmonização com saladas, queijos, peixes, defumados e carnes brancas, é servido entre 4° e 6°C. Reconhecido com medalhas de ouro em concursos internacionais, reflete a qualidade e tradição da Casa Perini.

Compre aqui

Espumante brasileiro – Casa Perini Brut Rosé

Espumante Casa Perini Brut Rosé - Oferta

Seu aroma é dominado por frutas vermelhas frescas, como cereja e framboesa, prometendo uma experiência gustativa rica e envolvente. A combinação harmoniosa das uvas Chardonnay, Pinot Noir e Gamay resulta em um teor alcoólico equilibrado de 11,8%. Visualmente, destaca-se pela sua cor rosada cereja e borbulhas finas e persistentes. Para uma melhor degustação, recomenda-se servir entre 6° – 8°C.

Compre aqui

Espumante brasileiro – Garibaldi Chardonnay Brut

Espumante Garibaldi Chardonnay Brut - Oferta

Este espumante é descrito como uma experiência sensorial que transporta o degustador diretamente para os vinhedos luxuriantes da Serra Gaúcha. Seus aromas cativantes de abacaxi e maçã se misturam harmoniosamente com toques de pão tostado, enquanto no paladar, revela-se estruturado e cremoso, com acidez equilibrada e refrescante.

Compre aqui

Espumante brasileiro – Garibaldi Prosecco Brut

Espumante Garibaldi Prosecco Brut - Oferta

Este espumante é uma verdadeira obra-prima que promete transformar cada brinde em uma celebração inesquecível. É produzido na renomada vinícola Garibaldi, refletindo a paixão e dedicação da região pela viticultura. Ao degustá-lo, é possível sentir notas aromáticas de frutas cítricas complementadas por um leve toque floral. Na boca, sua textura é delicada e cremosa, com uma acidez que refresca e convida a um novo gole. Visualmente, apresenta uma coloração amarelo palha com reflexos esverdeados e uma ótima formação de perlage. Harmoniza perfeitamente com diversos pratos e foi reconhecido internacionalmente por suas qualidades.

Compre aqui

Espumante argentino – Chac Chac Brut

Espumante Chac Chac Brut - Oferta

Chac Chac Brut: A Elegância Argentino em Uma Garrafa

O Chac Chac Brut é um espumante argentino que vem diretamente das vinhas renomadas de Mendoza, representando uma expressão sublime de elegância e sofisticação. Produzido pela Viña Las Perdices, este espumante é uma verdadeira joia líquida, prometendo uma experiência sensorial vibrante e inesquecível.

Ao servir, somos recebidos por uma cor amarelo pálido com reflexos esverdeados, revelando uma perlage delicada e persistente. O nariz é agraciado com aromas frescos e exóticos de frutas cítricas e tropicais, preparando o paladar para uma viagem de sabores.

No paladar, o Chac Chac Brut desvenda sua riqueza de sabores. A combinação de Chardonnay (60%) e Viognier (40%) oferece notas delicadas de frutas frescas, maçã verde e damasco, proporcionando uma experiência refrescante e frutada, com um teor alcoólico de 12,8%.

Este espumante argentino é extremamente versátil, harmonizando perfeitamente com lanches, peixes, frutos do mar e saladas frescas, tornando-se o companheiro ideal para uma variedade de pratos e ocasiões.

Em resumo, o Chac Chac Brut é mais do que um espumante, é uma celebração da vinificação argentina, uma experiência que encanta o paladar e eleva os sentidos. Então, por que não se deixar seduzir por esta maravilha de Mendoza? Clique no botão abaixo e descubra o encanto e a elegância do Chac Chac Brut.

Compre aqui

Espumante brasileiro – Chandon Réserve Brut

Chandon Réserve Brut - Oferta

Chandon Réserve Brut: Uma Experiência Palatina Inesquecível

Para os amantes de espumantes que buscam uma combinação perfeita de elegância e sofisticação, o Chandon Réserve Brut é a escolha ideal. Originário da renomada região da Serra Gaúcha e produzido pela prestigiada vinícola Chandon, este espumante brasileiro promete uma experiência sensorial única.

Ao servir, seu visual vibrante e vivaz revela um líquido amarelo esverdeado com reflexos dourados, que se destaca por suas borbulhas finas e espuma generosa. Ao aproximar o copo, o nariz é imediatamente seduzido por aromas elegantes de frutas cítricas, frutas secas, flores brancas e nuances de pão fresco.

No paladar, a combinação harmoniosa das uvas Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico oferece um sabor refrescante e frutado, com uma acidez marcante que equilibra perfeitamente sua leve doçura. Com um teor alcoólico de 11,8% e uma classificação Brut, este espumante é incrivelmente versátil, harmonizando maravilhosamente com carnes brancas, frutos do mar, queijos, saladas e aperitivos.

E se a qualidade e sabor não fossem suficientes para convencê-lo, o Chandon Réserve Brut também foi agraciado com a Medalha de Ouro no Brazil Wine Challenge 2022 e no Wines of Brazil 2021, além de ser reconhecido por sua viticultura sustentável.

Em resumo, o Chandon Réserve Brut não é apenas um espumante, é uma experiência. Uma que promete cativar seu paladar a cada gole e que, sem dúvida, o fará querer mais. Então, por que resistir? Deixe-se seduzir por este espumante excepcional e descubra por si mesmo a magia que ele tem a oferecer. Clique no botão abaixo para adquirir o seu.

Compre aqui

Espumante brasileiro – Salton Brut

Espumante Salton Brut - Oferta

Salton Brut: A Essência Refrescante da Serra Gaúcha

Quando pensamos em um espumante que encapsula a frescura e vivacidade da Serra Gaúcha, o Salton Brut imediatamente vem à mente. Produzido pela histórica e renomada Vinícola Salton, este espumante brasileiro é a personificação da leveza e sabor.

Ao servir, somos imediatamente cativados por sua cor amarelo-palha com delicados reflexos esverdeados. O primeiro aroma que nos atinge é um buquê encantador de flores brancas e frutas cítricas, complementado por sutis notas de fermento que adicionam complexidade e profundidade.

No paladar, o Salton Brut é uma sinfonia de sabores. A combinação harmoniosa das uvas Chardonnay, Glera e Trebbiano oferece uma experiência gustativa leve, fresca e cítrica, culminando em um final saboroso e memorável. Com um teor alcoólico de 11,5% e uma classificação Brut, este espumante é a escolha perfeita para aqueles que buscam refrescância e equilíbrio.

Sua versatilidade é evidente em suas recomendações de harmonização. Seja acompanhando uma deliciosa salada caprese, camarão salteado, tomates recheados, torta salgada, isca de peixe ou simples canapés, o Salton Brut eleva cada prato a um novo patamar de sabor.

Mas o verdadeiro charme deste espumante reside em sua capacidade de ser o companheiro perfeito para qualquer ocasião. Seja em um jantar elegante, uma celebração festiva ou simplesmente uma conversa descontraída entre amigos, o Salton Brut é sempre a escolha certa.

Em resumo, o Salton Brut não é apenas um espumante, é uma experiência. Uma que promete encantar e refrescar seu paladar a cada gole. Então, por que esperar? Clique no botão abaixo e descubra a magia do Salton Brut por si mesmo.

Compre aqui

Espumante francês – Champagne Nicolas Feuillatte Réserve Exclusive Brut

Champagne Nicolas Feuillatte Réserve Exclusive Brut - Oferta

A França, especialmente a região de Champagne, é mundialmente reconhecida por produzir alguns dos espumantes mais sofisticados e elegantes do mundo. E o Champagne Nicolas Feuillatte Réserve Exclusive Brut é um testemunho brilhante dessa tradição.

Ao despejar este espumante em uma taça, somos imediatamente seduzidos por sua cor amarelo-palha e seu perlage persistente e delicado. Ao aproximar o copo, somos envolvidos por um bouquet aromático cativante, com destaque para notas de pera madura, maçã verde e damasco, complementadas por nuances sutis de amêndoas torradas e brioche.

No paladar, o Champagne Nicolas Feuillatte revela sua verdadeira essência. A harmonia das uvas Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay oferece uma experiência gustativa vibrante, intensamente frutada, culminando em um final longo e complexo. Com um teor alcoólico de 12% e uma classificação Brut, este espumante promete ser o protagonista de momentos inesquecíveis.

Sua maturação de 3-4 anos em sur lie confere a este Champagne uma complexidade e profundidade raras, tornando-o uma escolha perfeita para ocasiões especiais. E, como se isso não fosse suficiente, sua lista de premiações fala por si só, com destaque para as medalhas de ouro no Sunset International Wine Competition e no Sakura Wine Women’s Awards, além de pontuações impressionantes na Decanter World Wine Challenge e na Wine Spectator.

Em resumo, o Champagne Nicolas Feuillatte Réserve Exclusive Brut é mais do que um espumante, é uma celebração em si. Seja para brindar um momento especial ou simplesmente para apreciar a arte da vinificação francesa, este Champagne é a escolha certa. Clique no botão abaixo e torne sua celebração ainda mais memorável com o Nicolas Feuillatte Réserve Exclusive Brut.

Compre aqui

Espumante espanhol – Joie de Vie Vino Espumoso Brut

Joie de Vie Vino Espumoso Brut - Oferta

A Espanha, com sua rica tradição vinícola, nos presenteia com joias líquidas que transcendem o paladar. E o Joie de Vie Vino Espumoso Brut é uma dessas preciosidades. Originário da região de Extremadura e produzido pelas renomadas Bodegas López Morenas, este espumante é uma ode à celebração e à paixão pela vida.

Ao servir, somos imediatamente cativados por sua cor amarelo-palha brilhante, que dança à luz e é complementada por uma perlage fina e delicada. Ao aproximar o copo, somos envolvidos por aromas frescos e envolventes de frutas brancas, que prometem e cumprem uma experiência gustativa refrescante e intensamente frutada.

No paladar, o Joie de Vie revela sua verdadeira essência. Cada gole é uma viagem sensorial, onde a harmonia das uvas variadas oferece um sabor refrescante, equilibrado pela acidez marcante e uma doçura sutil. Com um teor alcoólico de 11,5% e uma classificação Brut, este espumante é a escolha perfeita para brindar momentos especiais.

Sua versatilidade é evidente em suas recomendações de harmonização. Seja acompanhando carnes brancas, frutos do mar, saladas frescas ou aperitivos, o Joie de Vie eleva cada prato a um novo patamar de sabor e celebração.

Em resumo, o Joie de Vie Vino Espumoso Brut não é apenas um espumante, é uma experiência. Uma que celebra a alegria da vida e a paixão pela vinificação. Então, por que esperar? Clique no botão abaixo e brinde à vida com o Joie de Vie Vino Espumoso Brut.

Compre aqui

Deixe um comentário

Rolar para cima