Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações

Publicado em:

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações

A França – a casa de Bordeaux, Borgonha e Champagne – é sem dúvida o país produtor de vinho mais importante do mundo. Durante séculos, produziu vinho em maior quantidade – e de qualidade alegadamente maior – do que qualquer outra nação. O vinho está enraizado na cultura francesa em quase todos os níveis da sociedade; é a bebida da elite e das pessoas comuns, e um símbolo chave no catolicismo romano, a religião majoritária da França.

Existem dez principais regiões vitícolas da França, além de várias áreas menores. De fato, há produção comercial de vinho em todas as regiões da França, exceto nas regiões limítrofes da costa norte da França.

A atração duradoura do vinho francês não é necessariamente o seu volume ou prestígio, mas a variedade de estilos disponíveis. As preferências do consumidor mudaram ao longo dos séculos, incentivando o desenvolvimento de novos estilos de vinho a partir das variedades de terreno e uva disponíveis para os vinhedos da França. Tinto, branco, rosé, doce, seco, espumante, opulento, austero, perfumado com minerais, frutado – as vinhas francesas produziram vinhos para combinar com cada um desses descritores

A diversidade do vinho francês deve-se, em parte, à grande variedade de climas do país. Champagne, sua região mais ao norte, possui um dos climas mais frios do mundo da produção de vinho – em contraste com o quente e seco Vale do Rhone, a 560 km de distância, no sudeste. Bordeaux, no sudoeste, tem um clima marítimo fortemente influenciado pelo oceano Atlântico a oeste e pelos vários rios que serpenteiam entre suas vinhas. Longe de qualquer influência oceânica, as regiões orientais como Borgonha e Alsácia têm um clima continental, com verões quentes e secos e invernos frios. No sul da França, Provence e Languedoc-Roussillon desfrutam de um clima definitivamente mediterrâneo, caracterizado por verões quentes e invernos relativamente amenos.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Mapa das regiões vinícolas francesas
Mapa das regiões vinícolas francesas – Fonte: In Vino Veritas Lyon

A geologia e a topografia desempenham papéis igualmente importantes na diversidade do vinho francês. O grande número de regiões e sub-regiões vinícolas reconhecidas de forma independente reflete sua ampla variedade de tipos de solo – e as paisagens que os criaram. Cada sub-região pode ser definida por suas características geográficas particulares, que por sua vez criam características específicas nos vinhos produzidos lá. Das colinas de granito de Beaujolais às famosas encostas calcárias de Chablis e aos cascalhos do Medoc, os locais em que as vinhas da França foram desenvolvidas são considerados de importância vital e estão no centro do conceito de terroir.

O terroir de uma região determina as variedades de uvas usadas para produzir seus vinhos tradicionais. Nos dias anteriores à criação eficiente de videiras, os vinhedos cresciam o que era mais adequado para os solos e o clima local, escolhendo entre a seleção (muitas vezes limitada) de variedades de uvas disponíveis para eles. Assim, a relação entre as regiões vinícolas francesas e suas principais variedades evoluiu naturalmente ao longo de muitos séculos, como exemplificado pela estreita relação entre Pinot Noir e Borgonha. Onde uma variedade foi usada em várias regiões, os estilos de vinho que produz em cada uma também evoluíram naturalmente. Compare, por exemplo, a diferença entre Chardonnay em Champagne (nítido, azedo, ácido, espumante) e em Macon (mais redondo, mais maduro, mais rico, mais frutado).

A França continua a fornecer os melhores vinhos do mundo, produzidos em propriedades com perfeitas condições e séculos de tradição vitivinícola. Para quem sabe escolher e sabe algo sobre vinhos, a França ainda oferece alguns dos melhores vinhos, com a maior variedade, e – sim! – excelente relação custo / benefício, mesmo nas principais áreas vinícolas.

Veja abaixo 12 principais regiões vinícolas francesas

Alsácia

Situada nas encostas mais baixas do leste das montanhas Vosges, no vale do Reno, entre Estrasburgo e Mulhouse, a vinha da Alsácia é bastante diferente de qualquer outra área de cultivo de vinho francesa. Como a região da Alsácia, que fica na fronteira entre França e Alemanha, a cultura do vinho aqui é rica em tradição germânica, produzindo principalmente vinhos brancos secos ou frutados, sendo os mais populares Riesling, Sylvaner e o muito frutado Gewurztraminer.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedos em Alsace

Vinhedos em Alsace – Fonte: Visit French Wine

As regras da Appellation contrôlée – e mais recentemente da Appellation Protégée (AOP) não são aplicadas da mesma maneira na Alsácia e no resto da França. Na Alsácia, os vinhos são produzidos sob uma denominação “Alsácia” simples, após a qual o próximo elemento mais importante a ser indicado e a palavra mais visível no rótulo é a variedade de uva ou “cépage”, Sylvaner, Riesling, Gewurztraminer, Edelzwicker, Pinot Gris ou alguns outros. As áreas menores não têm suas próprias denominações, embora com muitos vinhos da Alsácia, também seja indicado o nome da vila ou vinhedo de onde vem.

E se você ver ‘Gentil’ no rótulo de um vinho da Alsácia, significa que a garrafa contém uma mistura de uvas nobres (além de até 50% de vinho de outras uvas). Essas misturas podem ter um valor particularmente bom. Exemplos alsacianos de Pinot Blanc e Sylvaner também são deliciosos e geralmente são muito mais baratos que os vinhos feitos a partir de uvas nobres.

Lorena, também no nordeste da França, produz principalmente “Vin de pays” (vinhos de alto padrão sem regulamentação de origem) brancos, no Meuse e no Mosela.

Bordeaux

O nome denomina tanto o vinho como a região vitícola. A palavra vem de “bord”, borda e “eau”, água, ou seja, a região tem o nome de algo como “à beira d’ água”. Com a Borgonha e o Champagne, a região da Aquitânia em Bordeaux é uma das três regiões produtoras de vinho francesas mais famosas. Historicamente, sua fama é pelo menos em parte devido ao fato de que, nessas três grandes áreas de cultivo de uvas, a vinha de Bordeaux é a única com acesso imediato ao mar, uma vantagem que a tornou a maior região exportadora de vinho da França. por muitos séculos.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedo em Bordeaux

Vinhedo em Bordeaux – Fonte: Stern

Em 1152, quando a rainha Eleanor da Aquitânia se casou com o rei inglês Henrique II, a região da Aquitânia se tornou economicamente integrada ao mundo anglo-normando, tendo a região de Bordeaux como a principal fornecedora de vinho da Inglaterra. Essa tradição histórica de exportação de vinhos ajudou o Bordeaux a desenvolver laços comerciais muito mais fortes nos séculos seguintes, estabelecendo firmemente os vinhos de Bordeaux, geralmente referidos genericamente em inglês como “claretes” no mercado internacional.

A região de Bordeaux é dividida basicamente em três regiões, a saber: Margem Esquerda, Margem Direita e Entre-Deux-Mers (Entre Dois Mares). Essas regiões são divididas por três rios: o Dordogne e o Garone, que se juntam e formam um terceiro: o Gironde. As misturas para vinhos da Margem Esquerda são geralmente dominadas por Cabernet Sauvignon, enquanto as misturas da Margem Direita – o lado leste, que inclui St. Emilion e Pomerol – são mais focadas em Merlot.

Embora a denominação “contrôlée” cubra vinhos de qualidade média de toda a região, muitos dos claretes de alta qualidade cultivados em toda a região se beneficiam de denominações de áreas mais específicas e distintas, como Médoc, Graves ou Saint Emilion, e ainda mais denominações locais como Pauillac, Graves e Saint-Estèphe.

*Ao contrário da Borgonha, a classificação em Bordeaux é baseada no produtor, não no pedaço específico de terra onde as uvas são cultivadas.

Ao contrário de outras áreas vitícolas francesas, a região de Bordeaux opera classificações de muitos de seus principais vinhos, principalmente os das vinhas Médoc e Saint Emilion. As melhores propriedades nessas áreas têm o direito de vender vinhos designados como Grand Cru. Abaixo do Grand Crus, há outros vinhos de alta qualidade designados como “cru burgueses”.

Médoc

Entre as vinhas de Bordeaux, Médoc merece uma menção especial. O Médoc, uma área ao sul do estuário de Gironde, a noroeste de Bordeaux, é o lar de muitos dos mais prestigiados vinhos franceses. Entre as famosas denominações produzidas nesta área estão Saint Estèphe, Margaux, Saint Julien e Pauillac. Foi em 1855 que os produtores de vinho da região de Medoc classificaram seus 61 melhores vinhos de acordo com uma tabela da liga de “grands crus”, passando de “Premier Cru” a “Cinquième Cru”. Esses Grands Crus geralmente são considerados o maior de todos os vinhos franceses e, naturalmente, seus preços geralmente refletem esse status. Obviamente, se você compra um vinho engarrafado de uma propriedade de um castelo com status Grand Cru (e, é claro, todos eles são engarrafados), pode ter certeza de conseguir um vinho de alta qualidade. Mas vale lembrar que ele deve ser amadurecido e guardado nas melhores condições para manter a alta qualidade. (Ver nosso artigo sobre como armazenar um vinho)

Outras áreas do sudoeste da França

Interior e sul das regiões de Bordeaux/Saint Emilion, existem várias áreas de cultivo de vinhos menos conhecidas, muitas delas produzindo vinhos muito bons a preços muito razoáveis. Estes incluem Bergerac, Cahors, Gaillac e Marcillac (todos os vinhos Appellation Contrôlée), ou Côtes du Tarn ou Vin de Pays du Lot. Enquanto Marcillac é uma área pequena, as vinhas de Cahors, Gaillac e Bergerac são bastante extensas e mais conhecidas por seus tintos. A área de Cahors produz alguns dos vinhos tintos mais ricos e mais escuros da França, principalmente usando a casta Malbec, às vezes chamada de “vinho roxo”. No entanto, a área de produção de vinho de Bergerac também é conhecida por seus vinhos brancos, incluindo alguns fortes aperitivos doces como Montbazillac

Em direção aos Pirineus, há surpreendentemente bons vinhos brancos das vinhas de Jurançon e Béarn, principalmente das vinhas da Gasconha de Pacherenc-du-Vic-Bilh, famosa por seus vinhos aperitivos distintos, e as vinhas de Madiran, que produzem um bom vinho vermelho.

Borgonha

As vinhas da região da Borgonha cobrem uma estreita faixa de terra nas encostas orientais das colinas que correm a sudeste da capital da Borgonha, Dijon. O coração da região vinícola da Borgonha é a cidade histórica de Beaune, onde a venda de vinhos de outono no histórico edifício “Hospices” é um dos pontos altos da temporada de vinhos. Os vinhos da Borgonha são classificados em quatro níveis, sendo o mais baixo a denominação genérica “Bourgogne”. Áreas selecionadas da vinha da Borgonha têm suas próprias classificações, como Côtes de Beaune. Nessas áreas, existem áreas menores, vilarejos e grupos de vilarejos, com a reputação de produzir vinhos de alta qualidade, como Mersault, Pernand Vergelesse ou Aloxe Corton. Finalmente, no topo da pirâmide, estão os “grands crus”, como o Clos Vougeot, com seus meros 51 hectares de vinhedo. Encontrar uma maneira de contornar os vinhos da Borgonha às vezes é uma tarefa de grande proporção. Os melhores vinhos da Borgonha são os tintos, dos quais os melhores podem durar de 20 a 30 anos. No entanto, a Borgonha também produz alguns brancos de alta qualidade. Costuma-se dizer que os Borgonha genéricos “Bourgogne Rouge” ou “Bourgogne Passetoutgrains” brancos são muito caros e não têm uma boa relação custo/benefício.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedo em Borgonha

Vinhedo em Borgonha – Fonte: Visit French Wine

Beaujolais

Ao sul da região da Borgonha, na fronteira com as vinhas do vale do Ródano, uma grande área ao redor de Beaujeu produz um vinho tinto leve conhecido como Beaujolais, paradoxalmente um dos vinhos franceses mais famosos. Este é um vinho que geralmente não se conserva por muitos anos e, nos últimos cinquenta anos, foi comercializado com sucesso como um “vin primeur”, ou vinho jovem, para ser bebido após apenas algumas semanas de maturação. Mas o sucesso do Beaujolais Nouveau – lançado no mercado todos os anos na terceira quinta-feira de novembro – tem mais a ver com marketing inteligente do que com qualquer qualidade duradoura do vinho.

Champagne

A região de Champagne, centralizada nas cidades de Reims (Reims) e Epernay, é a mais ao norte das principais vinhas da França (e como mencionado no início do artigo, é uma das regiões produtoras mais frias do mundo). Ao contrário da maioria dos melhores vinhos franceses, os champanhes são misturados para produzir champanhes que não são vintage (misturados de anos diferentes) ou champanhe vintage, misturados a partir de vinhos da mesma safra. Consequentemente, como a qualidade do champanhe depende, em última análise, de um equilíbrio entre a qualidade das uvas e a habilidade dos produtores, a Champagnes também é classificada e promovida pelo produtor, e não por qualquer denominação mais finamente delimitada. Possivelmente a mistura mais bem classificada é Krug; outras marcas muito apreciadas incluem Mumm, Bollinger e Heidsieck, sem mencionar as marcas muito conhecidas da Moët & Chandon e Taittinger.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedos em Champagne

Vinhedos em Champagne – Fonte: Paris Premium Limo

O sabor e a pureza distintos do champanhe real são certamente devidos ao solo calcário e às condições de crescimento continental que abundam na região de Champagne. Vários dos principais produtores franceses de champanhe criaram sucursais e vinhedos na Califórnia, mas apesar de trazerem seus melhores enólogos, nunca foram capazes de alcançar o mesmo resultado.

Nota: Champanhe não é um termo genérico para vinho espumante da França. Existem muitos outros bons vinhos espumantes da França que não são vendidos como champanhe. Embora seja verdade dizer que os principais champanhes são inimitáveis, está longe de ser verdade imaginar que você precisa comprar um champanhe de verdade se quiser um bom vinho espumante francês. Alguns outros excelentes vinhos espumantes são produzidos na Borgonha (Crémant de Bourgogne), no Jura (Crémant du Jura) e no vale do Loire (Vouvray e outros) e outras áreas, usando as mesmas técnicas (anteriormente chamadas de “méthode champenoise” – uma expressão agora proibida de uso em outras regiões) – e uma mistura semelhante, mas não idêntica, de variedades de uvas, principalmente Chardonnay. Somente os conhecedores mais experientes podem distinguir um champanhe mediano de um bom crémant ou Vouvray … e há vinhos espumantes que não são champanhe que são vendidos por uma fração do preço dos champanhes com qualidade (talvez) equivalente. (Veja nosso artigo sobre espumantes)

Finalmente, por favor, a maneira correta de abrir uma rolha de champanhe é retirá-la com muito cuidado da garrafa. Não é para imitar um vitorioso piloto de Fórmula 1 e borrifar o conteúdo da garrafa em todos os convidados.

Vale do Loire

Embora existam excelentes vinhos produzidos na grande área do Vale do Loire, existem poucos vinhos, brancos, rosés ou tintos pálidos, que figuram entre os melhores vinhos franceses. “Anjou Rosé” é um bom rosé cotidiano, e “Muscadet” e “Gros Plant” de perto de Nantes, no estuário do Loire, são vinhos brancos secos que combinam perfeitamente com frutos do mar. Outra boa denominação é “Pouilly Fumé” confundir com “Pouilly Fuissé”, uma Borgonha branca). Touraine, a área em torno de Tours, é conhecida por seus vinhos tintos leves, principalmente da casta Gamay. A região também produz vin gris, “vinho cinza”, que na verdade é um rosé muito pálido, sendo um vinho branco feito de uvas pretas. Embora existam muitos vinhos do Loire que se beneficiam das denominações protegidas, outros são vendidos sob o rótulo de vin de pays.

Finalmente, o vale do Loire é o segundo maior produtor de vinhos espumantes da França, depois do champanhe. Duas das variedades mais prestigiadas são Vouvray e Saumur.

Conhaque/Charentes:

A região de Cognac/Charentes, no interior de La Rochelle, é uma importante área vinícola, embora o vinho normal em si não seja o principal produto da região; o vinho produzido é usado principalmente para destilar em conhaque ou outras bebidas espirituosas, ou então para a produção de um delicioso vinho aperitivo conhecido como Pineau des Charentes. Um pouco de vinho branco é produzido sob o rótulo Vin de Pays, e existem algumas vinhas que produzem vinho rosé ou mesmo tinto.

Jura

Possivelmente o mais subestimado dos vinhos brancos franceses, os vinhos Jura vêm do sul da região de Franche-Comté, as encostas voltadas para o oeste das colinas de Jura que dão para o vasto vale do Saône e para as encostas da Borgonha do outro lado. O melhor e mais distinto dos brancos Jura é feito a partir da casta “Savagnin”, encontrada apenas nesta região, e confere ao vinho um delicioso sabor de xerez. No entanto, a maioria dos vinhos Jura é misturada a partir de diferentes variedades e, como na Alsácia, a variedade de uva tende a ser indicada no rótulo. o vinhedo de Jura também produz vinhos rosés escuros, às vezes chamados de tintos, assim como o famoso “vinho amarelo”, Vin Jaune, um caro vinho aperitivo não muito diferente do xerez Amontillado, produzido exclusivamente com a casta Savagnin. A denominação de maior prestígio para Vin Jaune é o Château Chalon. Este vinho é feito a partir de uvas colhidas tardiamente e depois é amadurecido em barris por pelo menos seis anos.

Côtes du Rhône

Côtes du Rhône é um daqueles vinhos franceses que se tornou famoso por causa mais da extensão da vinha do que da qualidade do vinho. A vinha Côtes du Rhône percorre mais de 200 quilômetros no vale do Ródano, do sul de Lyon até Camargue. Na região, existem várias áreas menores de prestígio, como Côte Rotie (na parte norte da região), Hermitage ou Chateauneuf du Pape e Gigondas (perto de Avignon).

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedo em Côtes du Rhone

Vinhedo em Côtes du Rhone – Fonte: Vines on Pine

O extremo sul da área de denominação Côtes du Rhône fica na Provença.

A grande maioria do vinho da Côtes du Rhône é vendida sob as denominações genéricas “Côtes du Rhône” ou “Côtes du Rhone Villages”.

Os vinhos Côtes du Rhone são vinhos mediterrânicos e, de um modo geral, são misturados com as diferentes variedades clássicas de uvas do sul da França, incluindo Viognier, Syrah e Grenache. Os vinhos Côtes du Rhône genéricos em termos de preço geralmente estão no final mais barato da “denominação contrôlée” ou da gama AOP.

Provence

Provence é uma grande área produtora de vinhos, mais conhecida por seus vinhos rosés, os mais famosos são Côtes de Provence e Côteaux d’Aix. No entanto, a vinha de Provence também produz vinhos tintos, incluindo alguns vinhos tintos muito ricos do Var e “vinho cinza” da área de Camargue. O mais famoso dos vinhos brancos da região é Bandol, comemorado desde a idade média. Observe que a vinha de Provence também inclui o extremo sul da área de AOP da Côtes du Rhone.

Languedoc

A região do Languedoc, cobrindo a planície costeira mediterrânea a oeste do Ródano, produz muito vinho tinto bastante comum, grande parte comercializado como Vin de Pays. O Languedoc é a maior área produtora de vinho francesa em termos de volume. Há um número crescente de apelações controladas na região, das quais a mais conhecida é Corbières e, possivelmente, a melhor qualidade média é a Fitou. Os vinhos AOP representam cerca de 10% da produção da região, mas a proporção está aumentando à medida que os produtores do Languedoc se concentram mais na qualidade, e não na quantidade, e se esforçam para reposicionar seus vinhos no mercado. Graças às longas horas de sol de verão, as uvas amadurecem bem e rapidamente nesta região, o que significa que os vinhos Languedoc são ricos e encorpados, e geralmente têm alto teor alcoólico. Os vinhos de Roussillon são muito semelhantes, sendo esta área particularmente conhecida pelos seus vinhos fortificados, como o Banyuls.

Vinho francês - histórias, regiões, sabores, rótulos e denominações - Vinhedo em Languedoc

Vinhedo em Languedoc – Fonte: Pinterest

Os vinhos espumantes produzidos em Limoux, perto de Carcassonne, são bastante diferentes dos demais. “Blanquette de Limoux” é considerado o vinho espumante mais antigo da França; e, de acordo com a história, foi um monge beneditino, Dom Pérignon, que introduziu o método Limoux de produzir um bom vinho espumante, para os monges de Champagne que procuravam maneiras de melhorar a qualidade de seus vinhos brancos secos, um tanto indescritíveis. Em relação a Dom Pérignon, o mito é quase certamente falso; mas está bem documentado que Limoux já estava produzindo vinhos espumantes na década de 1540, meio século antes de a técnica ser tomada em Champagne.

Vinhos franceses, experimente os melhores abaixo:

 

O tinto Cabernet Sauvignon multirregional

Terre des Anges Cabernet Sauvignon 2020:

Arredondado, equilibrado, taninos macios; Produtor: Domaines Montariol Degroote; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas bem maduras; Harmonização: Queijos maduro, hambúrguer, massas com molho ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto Merlot de Languedoc-Roussillon

Marie Louise Parisot IGP Pays dOc Merlot 2019:

Macio, taninos redondos, frutados e boa acidez; Produtor: Marie Louise Parisot; Teor alcoólico: 13%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, especiarias e um toque vegetal; Harmonização: Aves grelhadas ou com molho, carne vermelha com legumes mediterrâneos, pato ou caça, uma paleta de cordeiro assada, muito bom com churrasco

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Saint-Émilion (Bordeaux)

Château Ausone 2012:

Potente, exuberante, elegante, taninos presentes e boa acidez; Produtor: Château Ausone; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Cabernet Franc e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas negras maduras, violeta, cedro, especiarias, ervas frescas, mineral e tosta; Harmonização: Bife ancho ao molho de cogumelos, risoto de cordeiro, T-bone com legumes, coq au vin, pappardelle ao funghi, conchiglione aos quatro queijos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Pauillac (Bordeaux)

Chateau Latour 2011:

Muito complexo, corpo de médio para encorpado, boa acidez, taninos presentes; Produtor: Château Latour; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas maduras, especiarias, tabaco, floral; Harmonização: Bife ancho, paleta de cordeiro, pappardelle com ossobuco, cogumelos recheados, queijos nobres maturados

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Margaux (Bordeaux)

Château Margaux 2014:

Complexo, encorpado, boa acidez, taninos macios, final longo; Produtor: Château Margaux; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Ameixa, figo em compota, groselha madura, anis-estrelado, herbáceo, pimenta-do-reino, chá; Harmonização: Paleta de cordeiro confitada com cuzcuz marroquino, risoto trufado com ossobuco, wagyu na brasa com ratatouille, prime rib de red angus, parmentier de canard, mix de queijos curados

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Corbières (Languedoc-Roussillon)

Château des Aladères A.O.P. Corbières Carignan Grenache 2016:

Intenso, redondo, taninos finos, com longa persistência; Produtor: Château de Lastours; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Carignan, Syrah, Grenache e Cinsault (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas maduras (pequenas frutas vermelhas, groselha e até creme de groselha); Harmonização: Frango assado recheado com farofa, lombo defumado ao molho de ervas, legumes grelhados

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Corbières (Languedoc-Roussillon)

Domaine de Lastours A.O.P. Corbières Syrah Grenache 2019:

Delicado, com taninos macios, confirmando os aromas no retro gosto; Produtor: Château de Lastours; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Syrah, Grenache e Carignan (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas vermelhas, cereja, framboesa e amora, alcaçuz e um toque herbáceo; Harmonização: Filé mignon ao molho madeira, lombo suíno ao molho de frutas vermelhas, hambúrguer de cogumelos

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Languedoc-Roussillon

Terre des Anges Pinot Noir 2020:

Delicado, vibrante, com taninos macios e bom equilíbrio; Produtor: Domaines Montariol Degroote; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas como cereja e framboesa; Harmonização: Queijos leves, pizzas de sabores variados, receitas com cogumelos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Château La Govinière Cuvée Prestige Lussac Saint-Emilion AOC 2020:

Redondo, macio, final longo; Produtor: Vignoble Charpentier; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas; Harmonização: Massas com molho ao sugo, queijos maduros, pizzas de sabores variados

Compre aqui

 


 

O tinto Merlot de Fronsac (Bordeaux)

Château Fan Carney A.O.C. Fronsac Merlot 2016:

Taninos estruturados, redondo, sedoso; Produtor: Château Fan Carney; Teor alcoólico: 14%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas vermelhas frescas, especiarias como noz-moscada; Harmonização: Confit de pato, ravioli de funghi, entrecôte com batatas

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale de Rhône

Maison Bouachon Duc de Montfort A.O.C. Gigondas 2019:

Corpo médio para encorpado, elegante, frutado com nuances de tosta e especiarias, taninos macios, acidez agradável, final longo; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas negras como cassis e groselha, toques de defumado, tosta, especiarias e chocolate; Harmonização: Costela de cordeiro com molho de hortelã, risoto de funghi, massa all’amatriciana

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Château Fonréaud Listrac-Médoc AOC 2012:

Taninos firmes, encorpado, potente, cheio em boca; Produtor: Château Fonréaud; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, notas florais e de especiarias; Harmonização: Carré de cordeiro, costela de boi, queijos

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale de Rhône

Reserve des Dentelles A.O.C. Rasteau 2019:

Estruturado, expressivo e equilibrado; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas negras, pimenta preta e um toque de baunilha; Harmonização: Costela suína ao barbecue, cogumelo eryngui refogado na manteiga de ervas com aligot de mandioquinha, cheeseburguer com bacon

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale de Rhône

Rive Droite A.O.C. Lirac 2019:

Complexo, redondo, taninos macios, boa persistência; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Syrah, Grenache, Mourvèdre e Cinsault (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas negras e vermelhas, especiarias e alcaçuz; Harmonização: Risoto de presunto parma, copa lombo de porco com mandioquinha, quibe de abóbora com ervas frescas

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Hautes-Côtes de Nuits (Borgonha)

Ropiteau Bourgogne A.O.C. Hautes-Côtes de Nuits 2019:

Um vinho leve, elegante, delicado, frutado, taninos macios, acidez presente que lhe confere agradável frescor, bom final; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas, especiarias, amadeirado; Harmonização: Risoto de funghi, medalhão de filé mignon, costela suína com cuscuz marroquino, massa folhada com brie e geleia de frutas vermelhas, queijos semi-moles

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Nuits-Saint-Georges (Borgonha)

Ropiteau Frères Nuits-St-Georges Rouge 2018:

Médio corpo, taninos macios, boa acidez; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, tosta, terroso, especiarias; Harmonização: Risoto de linguiça fresca, coq au vin, paella, salmão grelhado, espaguete com polpetone, codorna recheada

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Les Trois Couronnes Châteauneuf-du-Pape AOP 2018:

Paladar encorpado e elegante, com notas picantes; Produtor: Vignerons de l’Enclave; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Aroma intenso de frutas negras, com notas de amoras, groselha e especiarias; Harmonização: Carnes de caça assadas, carnes vermelhas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Bordeaux

Roc La Gravière Bordeaux AOP 2020:

Paladar redondo e cheio; Produtor: Ginestet; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Aromas de frutos pretos maduros e groselha; Harmonização: Carnes grelhadas

Compre aqui

 


 

O tinto Carignan de Provence

Château Revelette Vin de France PUR Carignan 2020:

Guloso, frutado e macio; Produtor: Château Revelette; Teor alcoólico: 12,81%; Uva: Carignan (vinho varietal); Nariz: Fruta madura vermelha, algo de morangos e amoras, notas de couro e ervas secas; Harmonização: Quiches, pizzas, burgers e mignon au poivre

Compre aqui

 


 

O tinto Gamay de Borgonha

Labouré-Roi Collection La Princesse Maudite A.O.C. Coteaux Bourguignons 2020:

Corpo leve, frutado, taninos macios, acidez média para alta que lhe confere um agradável frescor; Produtor: Labouré-Roi; Teor alcoólico: 13%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras, floral; Harmonização: Maminha ao forno com legumes, talharim com ragu de carne, nhoque ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Joseph Pellerin Reserve A.O.C. Côtes-du-Rhône 2020:

Corpo médio para encorpado, estruturado, frutado com nuances de especiarias, taninos macios, acidez média para alta que lhe confere bom frescor; Produtor: Joseph Pellerin; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Ameixa, amora, cereja, defumado, especiarias; Harmonização: Carne de panela com batatas, pizza de lombo defumado, penne com ragu de linguiça, lasanha de berinjela, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache de Provence

Château Revelette Vin de France PUR Grenache 2020:

Macio, frutado e final suculento; Produtor: Château Revelette; Teor alcoólico: 13,46%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Morangos maduros, ervas frescas, algo mentolado, terroso e de raspas de limão siciliano; Harmonização: Quiches, pizzas, burgers e entrecot et frites

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon de Languedoc-Roussillon

Bouquet I.G.P. Pays dOc Cabernet Sauvignon 2020:

Corpo leve, saboroso e com final elegante; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas negras, especiarias doces, canela; Harmonização: Picanha assada, escondidinho de carne, estrogonofe, espaguete à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O tinto blend do multirregional

Coq Licot Vin de France Merlot Cabernet 2020:

Equilibrado, frutado e taninos macios; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas negras, groselha preta, amora; Harmonização: Lombo assado com batatas, risoto de parmesão com iscas de filé mignon, strogonoff de shimeji, filé de frango com legumes

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Languedoc-Roussillon

Louis Chevallier Pinot Noir 2019:

Um vinho jovem, leve, com taninos sedosos, frutado e bom final; Produtor: Louis Chevallier; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas vermelhas, cereja, sutis notas de café em grão com carvalho; Harmonização: Carne de aves, vitela e peixes ricos, como o salmão

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Les Charmeraies Bordeaux AOC 2019:

Redondo, intenso, frutado; Produtor: Castel; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot (vinho blend); Nariz: Frutas frescas e amoras maduras; Harmonização: Carnes vermelhas, queijos madurados, massas com molho ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Coteaux de Narbonne (Languedoc-Roussillon)

Gérard Bertrand Héritage “An 118” I.G.P. Coteaux de Narbonne 2020:

Redondo, taninos macios e bom final; Produtor: Gérard Bertrand; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Cabernet Sauvignon e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas de mirtilo e florais de violeta; Harmonização: Maminha grelhada, filé à parmegiana, batata recheada com queijo e bacon, penne à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Solis Terra Séguret A.O.P. Côtes du Rhône Villages 2019:

Elegante, taninos macios e final longo; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas delicados de frutas vermelhas e especiarias doces; Harmonização: Vegetais ao curry, frango à provençal, cogumelo Portobello recheado, almôndegas ao sugo

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Solis Terra Plan de Dieu A.O.P. Côtes du Rhône Villages 2019:

Robusto, intenso, equilibrado e final persistente; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache, Mourvèdre e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, cerejas e notas picantes; Harmonização: Kafta de carneiro grelhado, picanha no forno, polpetone, steak au poivre, arroz de pato

Compre aqui

 


 

O tinto Syrah de Languedoc-Roussillon

Fat Bastard I.G.P. Pays dOc Syrah 2019:

Boa acidez, delicado e final frutado; Produtor: Fat Bastard Wine Company; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Frutado, aromas de flores e um toque de especiarias; Harmonização: Maminha assada, costela com molho barbecue, magret de pato, queijo curado e doces com chocolate

Compre aqui

 


 

O tinto Syrah de Languedoc-Roussillon

Baron Philippe de Rothschild I.G.P. Pays dOc Syrah 2019:

Bom equilíbrio entre densidade e acidez, e um final longo e poderoso com taninos maduros; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Notas frutas vermelhas maduras, amora, groselha, toque herbáceo e pimenta; Harmonização: Risoto de bacon com tomate seco, carne seca na moranga, nhoque ao molho de calabresa, cupim no bafo, queijos duros

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon multirregional

Comte Bivin Grande Cuvée Cabernet Sauvignon 2020:

Intenso, redondo e versátil, com taninos macios; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 12%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Aroma intenso de frutas vermelhas; Harmonização: Polpetone, lasanha de berinjela, carne de panela

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Château Grand Jour Côtes de Bourg AOC 2016:

Harmonioso, fresco e sedoso, com taninos finos e elegantes; Produtor: Lamont Financière; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas maduras; Harmonização: Espaguete à bolonhesa, queijos semi-duros, maminha assada com batatas

Compre aqui

 


 

O tinto Merlot multirregional

Comte Bivin Grande Cuvée Merlot 2020:

Redondo e encorpado, com taninos macios; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 12%; Uva: Merlot (vinho varietal); Nariz: Aroma de frutas vermelhas, como cerejas, morangos e framboesas; Harmonização: Nhoque ao sugo, pimentão recheado, burrito

Compre aqui

 


 

O tinto Syrah multirregional

Comte Bivin Grande Cuvée Syrah 2020:

Frutado, com corpo médio e taninos macios; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 12%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aroma de frutas vermelhas e pretas; Harmonização: Costela, polenta com ragu de cogumelos, capeletti de carne

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache multirregional

Comte Bivin Grande Cuvée Grenache 2020:

Elegante e fresco, com taninos leves; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 12%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Aroma de frutas vermelhas; Harmonização: Ravióli de ricota com espinafre, risoto de parmesão, batata rosti

Compre aqui

 


 

O tinto blend multirregional

Baron Guillot Classique Esprit de Vigneron Édition Spéciale:

Frutado, agradável e fácil de beber; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Tempranillo, Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Notas de frutas vermelhas, como morango e cereja, e um toque de pimenta-do-reino; Harmonização: Tábua de queijos, picadinho de carne e cassoulet

Compre aqui

 


 

O tinto Gamay de Borgonha

Louis Chevallier A.O.C. Coteaux Bourguignons 2020:

Um vinho jovem, leve, frutado, taninos macios e final refrescante; Produtor: Louis Chevallier; Teor alcoólico: 13%; Uva: Gamay (vinho varietal); Nariz: Intensos aromas de frutas vermelhas e uma sutil nota de baunilha; Harmonização: Salmão grelhado, espaguete com almôndegas, salada caeser de frango, lasanha de berinjela, vegetais assados

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache Noir de Languedoc-Roussillon

Paul Mas Grenache Noir 2019:

Poderosa expressão da fruta em boca, com taninos aveludados, num corpo rico e com longo final tostado; Produtor: Domaines Paul Mas; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Grenache Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras, violeta, alcatrão e especiarias doces; Harmonização: Leitãozinho recheado com alho e alecrim, lentamente assado, servido pururucado; Cordeiro à tunisiana; Língua bovina estufada com legumes (nabos, cenouras), especiarias e bouquet garni, servida com molho levemente picante

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Provence

Domaine de Saint Ser Cuvée Tradition 2014:

Encorpado. Notas de frutas negras maduras e toques de especiarias. O final é longo com aromas de cereja; Produtor: Domaine de Saint Ser; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Syrah e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Intensas notas de frutas vermelhas e negras de tipo amoras; Harmonização: Cordeiro, costela de porco e carne vermelha grelhada

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Domaine Bouchard Père & Fils Beaune du Château Beaune Premier Cru AOC 2016:

Harmonioso e profundo, com uma agradável maturidade, e taninos densos e finos; Produtor: Bouchard Père & Fils; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Complexo, com notas de frutas vermelhas, figo, flores e chocolate; Harmonização: Carré de cordeiro com molho de ervas, Steak au Poivre, risoto ao funghi

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Bouchard Pere & Fils Pommard 2018:

Estruturado e firme, apresenta personalidade marcante; Produtor: Bouchard Père & Fils; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas maduras, com toques de couro e carvalho; Harmonização: Entrecôte com purê de mandioquinha, arroz de pato, risoto de tomate seco e Parmesão

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Bouchard Père & Fils Gevrey-Chambertin AOC 2017:

Estruturado, carnudo, frutado e aveludado; Produtor: Bouchard Père & Fils; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas maduras com toques de couro; Harmonização: Pernil suíno com cebola roxa e pimentão grelhados, filé mignon ao molho madeira, Quiche Lorraine

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Languedoc-Roussillon

Domaine de La Motte Pinot Noir 2020:

Toques frutados, macios e equilibrados; Produtor: Vignobles Bonfils; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas como morango e cereja; Harmonização: Lasanha de shitake e shimeji, ratatouille, queijo de cabra

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache do Vale do Rhône

Domaine de Marcoux Châteauneuf-du-Pape Vieilles Vignes 2017:

Intenso, concentrado e estruturado, mas com acidez que segura a densidade e refresca sua sensação quente. Elegante e equilibrado; Produtor: Domaine de Marcoux; Teor alcoólico: 15,5%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Concentração intensa e pura de frutas pretas e vermelhas maduras, pimenta preta e garriga; Harmonização: Carnes grelhadas ou na brasa, incluindo cordeiro e pratos de cozimento lento e sabores intensos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Château Saint-Bonnet Médoc AOP 2017:

Saboroso, aveludado, acidez agradável e taninos intensos; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas intensos de groselha e cacau; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas ao molho vermelho

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Franc de Vale de Loire

Nicolas Grosbois La Cuisine de ma Mère 2020:

Vibrante e muito saboroso; Produtor: Domaine Grosbois; Teor alcoólico: 13,09%; Uva: Cabernet Franc (vinho varietal); Nariz: Clássico aroma de frutinhas vermelhas com notas herbáceas; Harmonização: Pizzas, burgers, aperitivos e queijos

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

M. Chapoutier Châteauneuf-du-Pape AOP 2016:

Muito intenso e encorpado, com notas de especiarias e couro; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas complexos de frutos vermelhos maduros; Harmonização: Carne vermelha, carne de caça, ensopados e cozidos

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache do Vale do Rhône

Domaine Charvin Châteauneuf Du Pape Rouge 2018:

Suculento, com taninos marcantes num final fresco e longo; Produtor: Domaine Charvin; Teor alcoólico: 14,64%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Muita fruta vermelha e preta madura; Harmonização: Cordeiro, T-Bone e costelas de porco

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Ropiteau Frères A.O.C. Pommard Rouge 2017:

Complexo, médio corpo, taninos macios, boa acidez, frutas vermelhas, especiarias, final persistente; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas, frutas negras, especiarias, terroso, ervas finas; Harmonização: Boeuf bourguignon, cordeiro grelhado com batatas assadas, galinha d’angola com arroz negro, tagliatelle com lascas de salmão, cogumelos recheados com presunto, queijos semimoles

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Domaine Charvin Châteauneuf Du Pape Rouge 2017:

Suculento, fresco e frutado e apresenta um final agradável, macio e elegante; Produtor: Domaine Charvin; Teor alcoólico: 15,33%; Uvas: Grenache, Syrah, Mourvèdre e Vaccarèse (vinho blend); Nariz: Notas de alcaçuz, frutas vermelhas e pretas maduras, terroso e ervas; Harmonização: Cordeiro, T-Bone e costelas de porco

Compre aqui

 


 

O tinto blend multirregional

Cour de Mandelotte Red Medium-Sweet:

Redondo, cheio, com dulçor marcante; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas intensas de amoras e groselhas maduras; Harmonização: Mousse de chocolate, queijo Gorgonzola, espaguete à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Ropiteau Frères A.O.C. Gevrey-Chambertin Rouge 2018:

Bom corpo, taninos macios, elegante, boa acidez, final longo; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Terroso, cereja, framboesa, especiarias, toque da madeira, ervas frescas; Harmonização: Salmão na brasa, mignon em redução balsâmica com purê e risoto de cogumelos, faisão ao perfume de rosas, arroz de pato, costeleta suína com couscous marroquino

Compre aqui

 


 

O tinto blend multirregional

Baron Guillot Classique Esprit de Vigneron 2020:

Corpo leve, bom equilíbrio, taninos macios; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Morango fresco, amoras e cereja fresca; Harmonização: Pizzas de calabresa, ravioli de queijo ao sugo, quiche lorraine

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Font du Mirail Côtes du Rhône AOC 2020:

Rico, estruturado e equilibrado, com taninos bem integrados; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Aromático, com notas dominantes de frutas vermelhas; Harmonização: Steak au Poivre, kebab de cordeiro, espaguete à bolonhesa

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Font du Mirail Costières de Nîmes AOC 2017:

Redondo, elegante e equilibrado, com notas picantes e final agradável; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Intenso, com notas de frutas vermelhas e silvestres, e nuances de tomilho; Harmonização: Cassoulet, queijo Gruyère, chateaubriand de filé mignon ao molho rôti

Compre aqui

 


 

O tinto blend multirregional

Cave de Ladac Edition Limitée Rouge Cuvée Excellence 2020:

Fresco, macio e com boa intensidade de fruta; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 11%; Uva: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Morango, cereja, amora e ameixa; Harmonização: Cupim assado com batatas, pizza de berinjela, queijo Emmental

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Cave de Ladac Grand d’Excellence Cuvée Prestige Côtes du Rhône AOP 2019:

Elegante, com taninos macios e final suculento; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 13%; Uva: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Frutas negras maduras, um toque de pimenta preta e especiarias; Harmonização: Steak au poivre, polenta mole com ragu de costela defumada, tábua de frios

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon multirregional

Baron Guillot Esprit de Vigneron Cabernet Sauvignon 2020:

Macio, encorpado e de final longo; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 12%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Cereja, groselha, alcaçuz e canela; Harmonização: Carnes vermelhas, parmesão e um belo hambúrguer

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Château Hannetot Pessac-Léognan AOC 2016:

Encorpado e carnudo, com final persistente; Produtor: Château Hannetot; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de groselha e cereja, com toques de alcaçuz e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas magras, massas com ragu

Compre aqui

 


 

O tinto Pinot Noir de Borgonha

Ropiteau Pinot Noir 2019:

Aveludado, notas frutadas com toque da madeira, acidez equilibrada e boa persistência; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas como cereja, framboesa e morango, associadas a leve nota mentolada, nuance defumada e de especiarias; Harmonização: Risoto primavera com tiras de mignon, rosbife de alcatra, polenta mole com ragu de linguiça e cogumelos, talharim de pupunha com molho branco, chester ao forno, marinada de legumes e cogumelos

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Château Simard Saint-Émilion Grand Cru AOC 2012:

Elegante, encorpado, taninos redondos e final persistente; Produtor: Château Simard; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas maduras com nuances balsâmicas; Harmonização: Queijo Parmesão Capa Preta, massas com funghi porcini, bife de alcatra salteado na manteiga de ervas

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

La Devise de Lilian Saint-Estèphe AOC 2017:

Saboroso, com taninos bem integrados, estrutura aveludada e toques frutados; Produtor: Château Lilian Ladouys; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Queijo Grana Padano, Boeuf Bourguignon, bisteca Fiorentina

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Blason d’Issan Margaux AOC 2014:

Taninos macios, excelente estrutura e equilíbrio; Produtor: Château d’Issan; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas florais e de frutas vermelhas, como cassis e framboesas, sobre um fundo especiado; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

S de Siran Margaux AOC 2017:

Estruturado, complexo e redondo, com taninos firmes, toques frutados e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas pretas, café torrado, alcaçuz e baunilha; Harmonização: Carnes de caça e queijos leves

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Château Grand Pey-Lescours Saint-Emilion Grand Cru AOC 2014:

Boa estrutura, é redondo com taninos macios, muita fruta e final longo; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas de frutas negras maduras, toques herbáceos e de especiarias; Harmonização: Risoto de cogumelos, queijos como camembert, aves

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Domaines Delon Chapelle de Potensac Médoc AOC 2017:

Saboroso, fresco, frutado, vivaz e com taninos macios; Produtor: Domaines Delon; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e groselhas pretas, com toques de especiarias e chocolate; Harmonização: Queijo Provolone, entrecôte ao molho bordelaise, risoto de cogumelos frescos

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon multirregional

The Original Cabernet Sauvignon 2020:

Equilibrado, estruturado, frutado, fácil de beber, taninos macios e levemente fresco; Produtor: Couleurs d’Aquitaine; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Aroma intenso de cereja, cassis e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas, massas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Château Saint Brice Saint-Émilion AOC 2018:

Redondo, macio e de bom comprimento, com taninos sedosos; Produtor: CGM; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas maduras, com toques de cassis, especiarias e madeira; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, tábuas de queijos maduros, sobremesas à base de chocolate

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto Pinot Noir multirregional

Baron de Taste Pinot Noir 2019:

Refrescante, macio, elegante; Produtor: Maison Ginestet; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras, especiarias; Harmonização: Risoto de funghi e batata recheada

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Cahors

Domaine du Charron Cahors AOP 2014:

Potente, carnudo, equilibrado e frutado, com final mineral e elegante; Produtor: Vinovalie; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Malbec e Merlot (vinho blend); Nariz: Complexo, com notas de cereja azeda, figo cristalizado e toques picantes; Harmonização: Peito de pato assado com batatas gratinadas, file mignon assado com ervas finas, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Bordeaux

Château Haut-Ballet Lalande de Pomerol AOP 2018:

Equilibrado, redondo, carnudo, com bom volume e frescor; Produtor: CGM; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Cereja, groselha preta, notas de cacau; Harmonização: Costelinha de porco, legumes na brasa, queijo Gouda

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

BriO de Cantenac Brown Margaux AOC 2015:

Encorpado, potente, complexo, com taninos marcantes que se equilibram a acidez; Produtor: Château Cantenac Brown; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Notas de ameixa madura, especiarias, couro e alcaçuz no final de prova; Harmonização: Cordeiro assado, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Sud Ouest

Colombelle Merlot-Tannat Côtes de Gascogne IGP 2019:

Taninos macios, acidez equilibrada, corpo médio, final frutado; Produtor: Plaimont; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot e Tannat (vinho blend); Nariz: Ameixa, mirtilo e amoras pretas; Harmonização: Carne de panela desfiada, pizza de calabresa e tábua de frios

Compre aqui

 


 

O tinto blend do Vale do Rhône

Xavier Vignon Côtes du Rhône XI AOC 2018:

Fresco, elegante, frutado e suculento com taninos uniformes; Produtor: Xavier Vignon; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Grenache, Syrah e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas, como mirtilos e amoras silvestres, e notas de violetas; Harmonização: Carne grelhada, costela de porco picante, cuscuz

Compre aqui

 


 

O tinto Cabernet Sauvignon de Languedoc-Roussillon

Domaine de La Motte Cabernet Sauvignon 2019:

Redondo e macio, com longo final; Produtor: Vignobles Bonfils; Teor alcoólico: 13%; Uva: Cabernet Sauvignon (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras e especiarias; Harmonização: Fraldinha assada com ervas, Boeuf Bourguignon, queijos variados

Compre aqui

 


 

O tinto Petit Verdot de Languedoc-Roussillon

Ensedune Petit Verdot Coteaux d’Ensérune IGP 2017:

Bastante frutado e corpo equilibrado; Produtor: Les Vignobles Foncalieu; Teor alcoólico: 14%; Uva: Petit Verdot (vinho varietal); Nariz: Aromas de cerejas e framboesas com notas florais, como de alcaçuz e peônia; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, risoto e tábua de queijos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Languedoc-Roussillon

Le Grenache dans la Peau by Jeff Carrel Maury AOP 2016:

Intenso e bem equilibrado, com notas de frutos pretos e especiarias; Produtor: Jeff Carrel; Teor alcoólico: 15,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas maduras, violetas, especiarias e alcaçuz; Harmonização: Carnes vermelhas, massas, risotos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Languedoc-Roussillon

La Tire by Jeff Carrel Fitou AOP 2019:

Taninos delicados, acidez marcante, com notas de frutas vermelhas e violetas; Produtor: Jeff Carrel; Teor alcoólico: 15%; Uvas: Carignan e Syrah (vinho blend); Nariz: Aroma de frutas vermelhas e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas e de caça, massas

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Minervois (apelação de Languedoc-Roussillon)

Domaine de LOstal Estibals A.O.C. Minervois 2018:

Encorpado, macio e os taninos presentes com discreto amadeirado; Produtor: Domaines Jean-Michel Cazes; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Syrah, Carignan, Grenache e Mourvèdre (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas, cereja e gramíneas; Harmonização: Arancini de linguiça, galeto com polenta, costela suína ao barbecue, copa lombo de porco com mandioquinha, confit de frango com bacon, bisteca com legumes salteados

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto Malbec de Cahors

Baron du Tertre Réserve Malbec Cahors D.O. 2016:

Frutado, estruturado e com final longo; Produtor: Château Laur; Teor alcoólico: 13%; Uva: Malbec (vinho varietal); Nariz: Aromas de cereja preta e especiarias; Harmonização: Bife Wellington, fondue de queijo com bacon e hambúrguer

Compre aqui

 


 

O tinto Grenache de Languedoc-Roussillon

Marie Louise Parisot I.G.P. Pays dOc Grenache 2019:

Fresco, leve e frutado; Produtor: Marie Louise Parisot – Labouré-Roi; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Aromas intensos de frutas vermelhas; Harmonização: Perfeito com pratos clássicos de bistrô francês, mas também cozinha espanhola ou portuguesa. Vai bem também com ensopados, assados, carnes grelhadas ou preparações de peixe. Grenache combina surpreendentemente bem com pratos à base de tomate ou legumes como ratatouille

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto Pinot Noir de Borgonha

Buissonnier Pinot Noir Bourgogne Côte Chalonnaise 2018:

Delicado, frutado, com boa acidez e corpo leve; Produtor: Vignerons de Buxy; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas como morango e cereja; Harmonização: Pizza de cogumelos, risoto de shitake, frutos do mar

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Roussillon

Domaine de La Rectorie AOC Collioure L’Oriental 2018:

Encorpado, rico, com intensidade de frutas, taninos bem presentes e redondos, e final longo; Produtor: Domaine de La Rectorie; Teor alcoólico: 15,5%; Uvas: Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Ameixa, cassis, amora, alcaçuz e especiarias, como canela e pimenta; Harmonização: Magret de pato com figos, carré de cordeiro assado e berinjela recheada

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Roussillon

Domaine de La Rectorie AOC Collioure Bergerie des Abeilles 2018:

Encorpado, macio e com acidez equilibrada; Produtor: Domaine de La Rectorie; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Amora, mirtilo, cereja madura e toque de ervas; Harmonização: Costela de cordeiro, galinha d’angola com azeitonas e tábua de queijos

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto Pinot Noir de Borgonha

Buissonnier Grand Vin de Bourgogne Mercurey AOC 2018:

Frutado, acidez agradável, delicado e com toque mineral; Produtor: Vignerons de Buxy; Teor alcoólico: 13%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas frescas e especiarias doces; Harmonização: Carnes brancas, pizza de cogumelo, frutos do mar

Compre aqui

 


 

O tinto Syrah de Cornas (apelação Vale do Rhône)

M. Chapoutier Cornas AOC 2014:

Encorpado, taninos macios e toque mineral; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas com toque de especiarias e grafite; Harmonização: Lombo, costela de cordeiro e pato assado

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Saint-Émilion (apelação de Bordeaux)

Château Roc de Boisseaux A.O.C. Saint-Émilion 2012:

Corpo de médio para encorpado, taninos macios, acidez agradável, complexo, maduro; Produtor: Château Roc de Boisseaux; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras, frutas negras maduras, floral, especiarias, defumado; Harmonização: Costeleta de cordeiro, picanha com batata rosti, ensopado de javali, arroz de pato, cogumelo recheado com queijo, queijos maturados

Compre aqui

 


 

⇒ O tinto blend de Bordeaux

Château Haut-Vigneau Pessac-Léognan AOC 2016:

Encorpado, taninos macios e aveludados, ótimo equilíbrio e final persistente; Produtor: Château Haut-Vigneau; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Ameixa madura, groselha preta e toques de tostado e especiarias ao final de prova; Harmonização: Carnes grelhadas ao molho, queijos cremosos

Compre aqui

 


 

O tinto blend Vale do Rhône

Xavier Vignon Signature Range Lirac 2016:

Encorpado, frutado, acidez equilibrada e final longo; Produtor: Xavier Vignon; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas com notas de madeira e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas, queijos amarelos

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Vale do Rhône

M. Chapoutier Côtes-du-Rhône Villages Signargues AOP 2018:

Gastronômico, complexo com notas de a especiarias e alcaçuz; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas intenso de frutos pretos maduros; Harmonização: Filé mignon, costela de cordeiro, joelho de porco assado

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Fronsac (apelação de Bordeaux)

Château de La Rivière A.O.C. Fronsac 2014:

Potente, taninos presentes, boa acidez, notas do amadurecimento, final longo; Produtor: Château de La Rivière; Teor alcoólico: 13,75%; Uvas: Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Malbec (vinho blend); Nariz: Ameixa, cereja, amora, mirtilo, pimenta-do-reino, tostado, ervas, alcaçuz; Harmonização: Bistecca alla fiorentina, ancho na parrilla, risoto de funghi porcini, carré de cordeiro, bucatini com ragu de cordeiro, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto Syrah do Vale do Rhône

M. Chapoutier Saint-Joseph AOC 2016:

Equilibrado, com notas de frutas vermelhas e final longo, marcado por notas de especiarias; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aromas de violeta, com toques de alcaçuz e especiarias; Harmonização: Carnes vermelhas, carnes de caça, queijos maduros

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Vale do Rhône

M. Chapoutier Côtes-du-rhône Rouge AOC 2019:

Paladar é cheio, encorpado, redondo e sedoso, com taninos firme e bem estruturados; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14,5%; Uvas: Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Aberto e preciso, com aromas de frutas vermelhas; Harmonização: Carnes vermelhas grelhadas, peito de pato, aves de caça, pernil de borrego assado e queijos moles

Compre aqui

 


 

O tinto blend de Languedoc-Roussillon

M. Chapoutier Côtes du Roussillon Villages AOP 2018:

Paladar carnudo e bem estruturado; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Syrah, Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Aromas de frutas vermelhas e cerejas maduras; Harmonização: Carne vermelha, carne de caça

Compre aqui

 


 

O branco blend de La Clape (Languedoc-Roussillon)

Château D’Anglès Classique Bourboulenc Grenache Roussane La Clape AOC 2021:

Rico e persistente, com toques complexos de frutas brancas e frescor mineral equilibrado; Produtor: Château d’Anglès; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Bourboulenc, Grenache e Roussanne (vinho blend); Nariz: Elegante e intenso, expressando notas de flores brancas e especiarias; Harmonização: Patê de salmão, queijo de cabra, lombinho assado com batatas

Compre aqui

 


 

O branco blend multirregional

Paul Fargadel Blanc:

Saboroso, refrescante, equilibrado e frutado; Produtor: Castel; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas intensas e agradáveis de frutas e flores brancas; Harmonização: Ravióli de ricota com espinafre, tilápia assada com legumes, canapés de salpicão

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Languedoc-Roussillon

Ropiteau Frères Les Plants Nobles Chardonnay 2020:

Leve, frutados com traços amadeirados, elegante, suculento, acidez agradável que lhe confere bom frescor; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Abacaxi, pera, pêssego, leve amadeirado, baunilha; Harmonização: Espaguete com manteiga de ervas, arroz de camarão, quiche lorraine, moqueca de legumes, crepe de frango com queijo

Compre aqui

 


 

O branco blend do Vale do Rhône

Maison Bouachon Les Rabassières A.O.C Côtes-du-Rhône Blanc 2020:

Frutado, acidez agradável, boa presença em boca, cítrico; Produtor: Maison Bouachon; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Clairette, Viognier e Grenache Blanc (vinho blend); Nariz: Pêssego, damasco, cítrico, floral; Harmonização: Camarão na manteiga, moqueca, arroz de polvo, quiche de alho poró com queijo brie

Compre aqui

 


 

O branco blend de Bordeaux

Carmes de Rieussec Sauternes AOC 2012:

Redondo, cremoso, com notas frutadas e final expressivo e mineral; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle (vinho blend); Nariz: Notas florais, de acácia, pêra e damasco cristalizado; Harmonização: Queijos azuis, sobremesas com abacaxi ou creme brulée, quiche, foie gras

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Mâcon-Villages (Borgonha)

Ropiteau Frères A.O.C. Mâcon-Villages Blanc 2020:

Leve, frutado com nuances minerais, acidez média, boa persistência; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas como limão, frutas brancas como pera e melão, toques florais e herbáceos, sutis notas minerais; Harmonização: Frango grelhado com legumes, arroz de mariscos, abobrinha recheada, saladas variadas e queijos moles

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Chassagne-Montrachet (Borgonha)

Ropiteau Frères Premier Cru A.O.C. Chassagne-Montrachet 2018:

Bom corpo, untuoso, interessante volume em boca, frutado com nuances da barrica, refrescante; final longo, agradável e complexo; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Abacaxi maduro, pêssego, maça, sutis notas de tosta, mineral e baunilha; Harmonização: Truta com manteiga de ervas, lombo de bacalhau com crosta de amêndoas, nhoque de batata com molho de manteiga, lombo de porco com abacaxi, sálvia, nozes e queijo moles maturados

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Puligny-Montrachet (Borgonha)

Ropiteau Frères A.O.C. Puligny-Montrachet Blanc 2020:

Médio corpo, volumoso, boa untuosidade no paladar, frutado com nuances da barrica, redondo, acidez média, final longo; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Frutas amarelas e brancas, toque floral, notas minerais, e sutil aroma de baunilha; Harmonização: Moqueca de badejo, risoto de brie com pera, espaguete com camarão na manteiga

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay multirregional

Louis Chevallier Chardonnay 2020:

Sensação delicada em boca. Um vinho leve, fresco e frutado; Produtor: Louis Chevallier; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Aromas complexos de frutas cítricas e exóticas, bem como nozes tostadas; Harmonização: Tilápia ao molho de alcaparras, moqueca de legumes, saladas, quiche espinafre com ricota

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Languedoc-Roussillon

La Combe dOr I.G.P. Pays d’Oc Chardonnay 2020:

Um vinho jovem, frutado, leve, harmônico, com acidez agradável, refrescante e final persistente; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Frutas tropicais, abacaxi, maracujá e cítricas; Harmonização: Saladas em geral, caeser salad, tilápia grelhada com arroz negro, peixes gralhados, frango grelhado ao molho bechamel

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc do Vale do Loire

Maison Castel Pouilly Fumé AOC 2020:

Vivaz, complexo, persistente e frutado; Produtor: Maison Castel; Teor alcoólico: 13%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas cítricas com nuances minerais; Harmonização: Caldeirada de peixe com açafrão, espaguete ao molho pesto, lombo de porco assado com batatas

Compre aqui

 


 

O branco Riesling de Alsácia

Albert Boxler Riesling Reserve 2017:

Muito leve, frutado, macio e com dulçor residual; Produtor: Albert Boxler; Teor alcoólico: 13%; Uva: Riesling (vinho varietal); Nariz: Envolvente, com bom equilíbrio entre notas frutadas, minerais e hidrocarbônicas de fundo; Harmonização: Ragú de vitelo, queijos de cabra e ovelha e ceviche

Compre aqui

 


 

O branco blend de Provence

Château Revelette Vin de France PUR Blanc 2020:

Boca fresca, fácil de beber, mas com um final vibrante; Produtor: Château Revelette; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Ugni Blanc, Chardonnay e Carignan Blanc (vinho blend); Nariz: Nariz delicado mas frutado com pêssegos, maçã, algo de laranja e flores brancas; Harmonização: Saladas, frutos do mar

Compre aqui

 


 

O branco Grenache Blanc multirregional

Un Été En France Branco 2020:

Fresco, frutado e acidez vibrante; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 12%; Uva: Grenache Blanc (vinho varietal); Nariz: Aromas de frutas como pêssego e maçã, e notas florais; Harmonização: Bacalhau ao forno com batata, canelone ao molho de quatro queijos, cogumelos salteados na manteiga

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay multirregional

Louis Chevallier Chardonnay 2020:

Sensação delicada em boca. Um vinho leve, fresco e frutado; Produtor: Louis Chevallier; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Aromas complexos de frutas cítricas e exóticas, bem como nozes tostadas; Harmonização: Tilápia ao molho de alcaparras, moqueca de legumes, saladas, quiche espinafre com ricota

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Languedoc-Roussillon

La Combe Dor I.G.P. Pays d’Oc Sauvignon Blanc 2020:

Um vinho jovem, leve, frutado, harmônico, acidez agradável e refrescante; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas e tropicais, toranja, manga; Harmonização: Frutos do mar, peixes, aves, paella, guacamole, saladas e como aperitivo

Compre aqui

 


 

O branco blend de Borgonha

Marechal Collection Blanc:

Leve, acidez equilibrada e final agradável; Produtor: Marechal; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Ugni Blanc, Colombard, Gros Manseng e Sauvignon Blanc (vinho blend); Nariz: Frutas cítricas e frutas tropicais; Harmonização: Como aperitivo ou com pratos leves como sardinha frita, frango grelhado, frutos do mar, salgadinhos fritos, saladas, queijo de cabra

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Languedoc-Roussillon

Domaine de Cibadiès Pegasus I.G.P. Pays dOc Chardonnay 2019:

Encorpado e com final longo; Produtor: Domaine de Cibadiès; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Frutas brancas; Harmonização: Peixe assado, almôndega de frango ao molho, lombo de porco ao molho de ervas, empadão de palmito, lasanha vegetariana, mix de queijos frescos

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Sud Ouest

Côté Océan Sauvignon Blanc Atlanique IGP 2019:

Fresco, leve e com boa intensidade de fruta; Produtor: Tutiac; Teor alcoólico: 12%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Maracujá e abacaxi, e toques delicados de ervas; Harmonização: Peixe branco grelhado, saladas de folhas, risoto al limone

Compre aqui

 


 

O branco Sémillon de Bordeaux

Château Jean Galan Sauternes AOC 2019:

Refrescante, redondo, delicado, equilibrado, e com notas de abacaxi; Produtor: Sarl Jean Galan; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Sémillon (vinho varietal); Nariz: Expressivo e frutado, com nuances amanteigadas, tostadas e de flores brancas; Harmonização: Pudim, Crème Brûlée, queijo Roquefort

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Gasconha

Fat Bastard I.G.P. Côtes de Gascogne Sauvignon Blanc 2019:

Boa acidez, final longo e fresco; Produtor: Fat Bastard Wine Company; Teor alcoólico: 11,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Aromas elegantes de frutas cítricas e toranja; Harmonização: Robalo assado com legumes, abobrinha grelhada, massa recheada com queijo de cabra, saladas

Compre aqui

 


 

O branco blend de Bordeaux

Carmes de Rieussec Sauternes AOC 2014:

Redondo, cremoso, com notas frutadas e final expressivo e mineral; Produtor: Eleanor; Teor alcoólico: 14%; Uvas: Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle (vinho blend); Nariz: Notas florais, de acácia, pêra e damasco cristalizado; Harmonização: Queijo gorgonzola, pudim, creme de papaia

Compre aqui

 


 

O branco blend de Languedoc-Roussillon

Domaine de LOstal Albe I.G.P. Pays dOc Blanc 2018:

Fresco, suave e ligeiramente ácido; Produtor: Domaines Jean-Michel Cazes; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Marsanne, Viognier e Roussane (vinho blend); Nariz: Pêra, erva-doce, melão e geleia de frutas; Harmonização: Frutos do mar, posta de cação, quiche com salada, vegetais grelhados, queijo de cabra

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Bordeaux

Michel Lynch Sauvignon Blanc 2017:

Frutado, leve, boa acidez; Produtor: Domaines Jean-Michel Cazes; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Frutas brancas, cítrico, aspargo; Harmonização: Saladas diversas, risoto de camarão salteado, anéis de lula à dorê, pasta de ervas finas com torradinhas, dadinhos de tapioca com queijo-coalho, badejo assado com legumes grelhados

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Languedoc

Bouquet I.G.P. Pays dOc Sauvignon Blanc 2020:

Jovem, fresco e boa acidez; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Frutas cítricas, limão, lima, toranja; Harmonização: Ceviche de tilápia, frutos do mar, queijo de cabra, saladas frescas de folhas e frutas com aspargos grelhados

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Borgonha

Ropiteau Frères 1er Cru Sous Le Puits A.O.C. Puligny-Montrachet 2018:

Médio corpo, boa acidez, untuoso, final longo; Produtor: Ropiteau Frères; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Frutas amarelas, floral, mineral; Harmonização: Risoto de camarão, lagosta gratinada, bacalhoada, fettuccine com frutos do mar, moqueca de badejo, bruschetta de queijo brie e tomate cereja

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Languedoc-Roussillon

Paul Lacroix Chardonnay 2020:

Agradável, elegante, generoso, equilibrado, refrescante e frutado; Produtor: Paquet Frères; Teor alcoólico: 12,4%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Expressivo, com notas de frutas e flores brancas, e toques amanteigados e de torradas; Harmonização: Salada de camarão, queijo Coalho, estrogonofe de brócolis

Compre aqui

 


 

O branco blend multirregional

Baron Guillot Classique Esprit de Vigneron Blanc 2020:

Corpo leve e frutado, com acidez marcante e acabamento refrescante; Produtor: Domaine du Père Guillot; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas de frutas cítricas e tropicais, com sutil toque floral; Harmonização: Peixes grelhados, ceviches, vegetais e guisados

Compre aqui

 


 

O branco blend de Côtes de Gascogne/Gasconha

Domaine Tariquet Réserve Côtes de Gascogne IGP 2019:

Complexo, profundo e intenso, com acidez vibrante, e notas frutadas e refrescantes; Produtor: Château du Tariquet; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Gros manseng, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Sémillon (vinho blend); Nariz: Complexo e intenso, com notas de frutas brancas, pêssego e baunilha; Harmonização: Vieiras cremosas com camarão, costeleta de vitela grelhada, ravioli de cogumelos

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Borgonha

Bouchard Père & Fils Grand Vin de Bourgogne Meursault Les Clous AOC 2017:

Rico, agradável, com acidez marcante e toques amanteigados; Produtor: Bouchard Père & Fils; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Aromas intensos de frutas brancas e flores, com toques minerais e de brioche; Harmonização: Paella, salada Caesar, peixes assados com legumes

Compre aqui

 


 

O branco blend multirregional

Comte Bivin Grande Cuvée 2020:

Generoso, delicado e refrescante; Produtor: Le Cailar; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Aromático, com notas de frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Legumes grelhados, pratos à base de peixes, espaguete ao molho pesto, salada de camarão, canapés

Compre aqui

 


 

O branco Sauvignon Blanc de Périgord (IGP de Dordonha/Dordogne)

Le Haut Païs Sauvignon Blanc Périgord IGP 2018:

Refrescante, frutado, saboroso; Produtor: Couleurs d’Aquitaine; Teor alcoólico: 12%; Uva: Sauvignon Blanc (vinho varietal); Nariz: Intenso, com notas de toranja e limão; Harmonização: Carnes brancas, peixes e frutos do mar, aperitivos, queijos leves

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Borgonha

Baron Philippe de Rothschild I.G.P Pays dOc Chardonnay 2019:

Untuoso, fresco e com final saboroso; Produtor: Baron Philippe de Rothschild; Teor alcoólico: 13%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Notas florais, de pêssego, baunilha; Harmonização: Peixe grelhado, frutos do mar, espaguete ao molho Alfredo, lasanha de abobrinha, e queijos como brie

Compre aqui

 


 

O branco blend de Languedoc-Roussillon

M. Chapoutier Côtes du Roussillon AOP 2020:

Redondo, acidez marcante, fresco, com notas de mineralidade; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13,5%; Uvas: Grenache Blanc, Grenache Gris e Macabeo (vinho blend); Nariz: Aromas cítricos de limão e toranja, com ataque fresco e bastante aromático; Harmonização: Aves e peixes, carnes brancas e queijos

Compre aqui

 


 

O branco blend do Vale do Rhône

M. Chapoutier Blanc Côtes-du-Rhône AOC 2020:

Encorpado, equilibrado, fresco, é elegante e com notas sutis de frutas brancas; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13,6%; Uvas: Roussanne, Viognier, Grenache Blanc, Clairette Blanche e Marsanne (vinho blend); Nariz: Aromas de damasco, maracujá, manga, abacaxi e pêssego; Harmonização: Aperitivos, peixes, mariscos, steak tartare

Compre aqui

 


 

O branco Vermentino de Languedoc-Roussillon

M. Chapoutier Pays d’Oc Blanc 2020:

Acidez refrescante, leve e cítrico; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 12,7%; Uva: Vermentino (vinho varietal); Nariz: Pêssegos, toranja madura e flores brancas; Harmonização: Sushi, paella e peixes assados

Compre aqui

 


 

O branco blend de Côtes de Gascogne

Domaine Tariquet Classic Côtes de Gascogne IGP 2020:

Intenso, refrescante, frutado e com acidez vibrante; Produtor: Château du Tariquet; Teor alcoólico: 10,5%; Uvas: Ugni Blanc, Colombard, Sauvignon Blanc e Gros Manseng (vinho blend); Nariz: Abundante, com notas de frutas cítricas e flores brancas; Harmonização: Sushi, charcutaria, queijo de cabra fresco

Compre aqui

 


 

O branco Chardonnay de Côtes de Gascogne

Domaine Tariquet Chardonnay Côtes de Gascogne IGP 2020:

Rico, redondo, refrescante e frutado, com caráter floral e amanteigado; Produtor: Château du Tariquet; Teor alcoólico: 11,5%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Notas intensas de frutas brancas e manteiga fresca, com leve toque de flores e baunilha; Harmonização: Peixes grelhados com legumes, risoto funghi com alho poró, queijos leves

Compre aqui

 


 

O branco Marsanne de Hermitage (apelação de Vale do Rhône)

M. Chapoutier Mure de Larnage Hermitage AOC 2011:

Equilibrado, acidez discreta e bom corpo; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 14%; Uva: Marsanne (vinho varietal); Nariz: Perfume delicado de flores; Harmonização: Frutos do mar, massas ao molho branco

Compre aqui

 


 

O branco Marsanne do Vale do Rhône

M. Chapoutier Crozes-Hermitage AOP 2018:

Encorpado e delicado, com leve frescor e bastante aromático; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 13,5%; Uva: Marsanne (vinho varietal); Nariz: Maçã verde, flores, frutas e aromas cítricos; Harmonização: Peixes, frutos do mar, carnes brancas e queijos moles

Compre aqui

 


 

O rosé blend do Vale do Rhône

Cellier des Dauphins Prestige Méditerranée IGP:

Fresco, leve, frutado; Produtor: Cellier des Dauphins; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Syrah e Cinsault (vinho blend); Nariz: Notas florais e de frutas vermelhas; Harmonização: Melão com presunto cru, ratatouille, salmão grelhado

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

Villa Riviera Reserve Côtes de Provence AOC 2020:

Fresco, macio, frutado e com acidez equilibrada; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache e Tibouren (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas com notas de flores; Harmonização: Sushi, paella, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Borgonha

Marechal Vin de France Rosé:

Leve, jovem, boa acidez; Produtor: Marechal; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Syrah e Carignan (vinho blend); Nariz: Floral, frutado, morango, pêssego; Harmonização: Risoto de limão siciliano com camarões salteados, tilápia grelhada, mariscada, cuscuz paulista, salada marroquina, queijos como gouda, emental e minas padrão

Compre aqui

 


 

O rosé Syrah multirregional

Un Été En France Rosé 2020:

Frutado, acidez equilibrada e final saboroso; Produtor: Gabriel Meffre; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Aromas expressivos de frutas vermelhas como framboesa; Harmonização: Salmão grelhado com alecrim, peru recheado com farofa, legumes ao forno

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Sud-Ouest

Inès Rosé Fronton AOP 2018:

Macio, sedoso e elegante, com volume médio e notas críticas; Produtor: Vinovalie; Teor alcoólico: 13%; Uva: Négrette e Syrah (vinho blend); Nariz: Aroma intenso, com notas de groselha e framboesa; Harmonização: Ratatouille, sashimi de atum e bruschetta de tomate

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

Villa Riviera Grand Reserve Côtes de Provence AOP 2020:

Refrescante, leve, frutado e fácil de beber; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Tibouren e Cinsault (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas com notas florais; Harmonização: Carnes brancas, legumes na brasa, sushi

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

Domaine de Saint Ser Cuvée Prestige 2018:

Um agradável frescor com um final intenso e frutado; Produtor: Domaine de Saint Ser; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Cinsault, Grenache e Syrah (vinho blend); Nariz: Intensas notas de pêssego-nectarina, seguidas de toques de frutas vermelhas; Harmonização: Aperitivo, grelhados, peixe dourado ao estragão ou ao funcho, Bouillabaisse

Compre aqui

 


 

O rosé Pinot Noir de Borgonha

Maison Jaffelin Pinot Noir 2019:

Bem equilibrado, extremamente frutado e muito agradável de beber; Produtor: Maison Jaffelin; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Aromas florais e de cítricos e um leve aroma de balas e nuances de frutas pretas; Harmonização: Carnes brancas grelhadas, churrasco, frango, peixe ou saladas

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Vale de Loire

Maison Foucher Le Point du Jour A.O.C. Rosé dAnjou 2019:

Frutado, leve, boa acidez, doçura discreta; Produtor: Maison Foucher; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Grolleau Gris e Cabernet Franc (vinho blend); Nariz: Floral, framboesa, cereja, morango, amora; Harmonização: Risoto de tomate seco, camarão grelhado com legumes, carpaccio de salmão, beirute de rosbife, salada de bacalhau, tomate recheado

Compre aqui

 


 

O rosé Grenache de Languedoc-Roussillon

La Combe Dor I.G.P. Pays dOc Grenache 2020:

Boa acidez, saboroso e fresco; Produtor: Vignobles & Compagnie; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Grenache (vinho varietal); Nariz: Flores brancas, frutas vermelhas, morango, pêssego; Harmonização: Salmão grelhado, comida japonesa, principalmente sashimi e sushi, frutos do mar, peixes com molhos salada de folhas verdes com morangos, aves

Compre aqui

 


 

O rosé Syrah de Languedoc

Arrogant Frog I.G.P. Pays dOc Rosé 2020:

Leve, fresco em acidez, final limpo com frutas e flores; Produtor: The Humble Winemaker; Teor alcoólico: 12,5%; Uva: Syrah (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas maduras e flores; Harmonização: Paella com frutos do mar, ravioli com lagostins, filé de peixe, camarão, abobrinha recheada com tomate seco e ricota

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

Villa Riviera Grand Reserve Côtes de Provence AOP 2019:

Refrescante, leve, frutado e fácil de beber; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Mourvèdre, Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas com notas florais; Harmonização: Carnes brancas, legumes na brasa, sushi

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Languedoc-Roussillon

Les Calandières Terres du Midi Rosado 2020:

Frutado, versátil e fresco; Produtor: Grupo Castel; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Grenache, Syrah, Merlot e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas e notas florais, destacando pomar e cítricos; Harmonização: Comida japonesa, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Languedoc-Roussillon

Chapoutier Pays d’Oc Rosé 2020:

Leve e suculento com sabor intenso de frutas vermelhas; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Cinsault e Syrah (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas maduras; Harmonização: Salada mediterrânea, salmão assado com legumes

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Languedoc-Roussillon

Domaine de Cibadiès Pegasus I.G.P. Pays dOc Syrah Grenache Rosé 2019:

Fresco com final frutado; Produtor: Domaine de Cibadiès; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Syrah e Grenache (vinho blend); Nariz: Frutas vermelhas frescas; Harmonização: Gravlax de truta salmonada e blinis de batata doce, badejo grelhado com purê de mandioquinha, lombinho assado, yakisoba de legumes, bruschetta de berinjela com ricota, quiche de palmito com tomate seco

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Sud Ouest

Colombelle Tannat-Cabernet Sauvignon Rose Côtes de Gascogne IGP 2020:

Significativamente frutado, com notas de morango e pêssego, e de acidez equilibrada; Produtor: Plaimont; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Tannat e Cabernet Sauvignon (vinho blend); Nariz: Aromas cítricos, como limão doce e frutas tropicais e notas de morango e melancia; Harmonização: Tábua de aperitivos e de queijos leves

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

Villa Riviera Splendid Côtes de Provence AOC 2019:

Notas de morango e maçã, balanceado, harmonioso e refrescante; Produtor: Villa Riviera; Teor alcoólico: 13%; Uvas: Grenache, Cinsault, Tibouren e Syrah (vinho blend); Nariz: Delicado e elegante, com notas de pêssego, frutas vermelhas e flores brancas; Harmonização: Ceviche, salmão e atum, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé multirregional

Songe en Mer Vin Rosé 2019:

Delicado, frutado, refrescante, saboroso, redondo e equilibrado; Produtor: Grupo Castel; Teor alcoólico: 12%; Várias uvas; Nariz: Notas intensas de frutas vermelhas e cítricas, com toques florais; Harmonização: Salmão grelhado, ceviche, canapés, risoto de camarão, saladas

Compre aqui

 


 

O rosé blend de Provence

La Cigale Qui Faisait Chanter Les Platanes Côtes de Provence AOP 2019:

Encorpado e delicioso. Evolui nas notas de frutos de polpa branca, de uma doçura delicada equilibrada pela acidez fina e estruturada; Produtor: M. Chapoutier; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Grenache, Cinsault e Syrah (vinho blend); Nariz: Aromas de pêssego, lavanda e frutas cítricas; Harmonização: Aperitivos, carnes brancas, charcutaria, saladas, melão, cozinha asiática, grelhados e massas leves

Compre aqui

 


 

O espumante blend de Champagne

Champagne Dom Pérignon Vintage 2010 Brut:

Um vinho redondo, macio, com presença cheia, rica e suculenta. Na boca é generoso, firme e assertivo. Um vinho frutado com nuances de especiarias, com bom volume e frescor. Apresenta um final longo, mineral e complexo; Produtor: Moët & Chandon; Teor alcoólico: 12,5%; Uvas: Chardonnay e Pinot Noir (vinho blend); Nariz: Frutas cristalizadas, manga verde, melão e abacaxi, casca de laranja, sutis notas florais de peônia e jasmim, toques de pão tostado; Harmonização: Lagosta à thermidor, moqueca de cação, temaki de salmão, pato ao molho de laranja, shitake na manteiga, cogumelos, pratos à base de algas e queijos moles

Compre aqui

 


 

O espumante blend multirregional

Beau Monde Blanc de Blancs:

Leve, refrescante com acabamento elegante; Produtor: Beau Monde; Teor alcoólico: 11,5%; Uvas: Chardonnay, Ugni Blanc, Colombard, Durello e Airén (vinho blend); Nariz: Aromas de pêra e pêssego branco, com floral delicado; Harmonização: Espaguete com camarões salteados na manteiga e temperos frescos, risoto de brie com pera e nozes, filé de peixe assado com mix de legumes

Compre aqui

 


 

O espumante Airén multirregional

Prince de Coste Blanc de Blancs Brut:

Com borbulhas finas e persistentes, que aumentam a sensação de frescor; Produtor: Veuve Ambal; Teor alcoólico: 11,5%; Uva: Airén (vinho varietal); Nariz: Notas de frutas brancas e cítricas sobre um fundo mineral; Harmonização: Aperitivos, frutos do mar e carnes brancas

Compre aqui

 


 

O espumante blend multirregional

Duc d’Henry Blanc de Blancs Brut:

Fresco e delicado; Produtor: Veuve Ambal; Teor alcoólico: 11,5%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Notas de damasco e pêssego; Harmonização: Frutos do mar, queijos brancos

Compre aqui

 


 

O espumante blend de Champagne

Champagne Vollereaux Cuvée Marguerite 2011:

Generoso, cheio e muito estruturado. O acabamento é elegante com uma bela persistência de aromas; Produtor: Maison Vollereaux; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Chardonnay e Pinot Noir (vinho blend); Nariz: É expressivo, complexo e poderoso, com uma bela evolução. Abre com notas de frutas cristalizadas e pão de gengibre. Com a aeração, o nariz evolui em aromas de avelãs grelhadas, café e mel; Harmonização: Muito gastronômico, perfeito com aperitivos até sobremesas, principalmente com peixes

Compre aqui

 


 

O espumante Chardonnay de Champagne

Champagne Vollereaux Blanc de Blancs Brut:

Após um ataque franco e acidulado, descobre-se um Champagne francês aveludado e suave; Produtor: Maison Vollereaux; Teor alcoólico: 12%; Uva: Chardonnay (vinho varietal); Nariz: Bastante agradável com aromas delicados de infusão de tília seca, mesclados com notas minerais e aéreas; Harmonização: Pratos de peixes de carne branca, como o tamboril, e como aperitivo

Compre aqui

 


 

O espumante blend de Champagne

Champagne Nicolas Feuillatte Brut Réserve Exclusive:

Vibrante, com fruta intensa e expressiva, final longo e complexo; Produtor: Nicolas Feuillatte; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Pinot Noir e Chardonnay (vinho blend); Nariz: Aromas de pêra, damasco e frutas maduras como maracujá; Harmonização: Aperitivos, como canapés, e pratos leves

Compre aqui

 


 

O espumante blend de Champagne

Champagne Maison Vollereaux Célébration Ice:

Frutado com paladar amplo e generoso e um final com muito frescor; Produtor: Maison Vollereaux; Teor alcoólico: 12%; Uvas: Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier (vinho blend); Nariz: Intensamente frutado; Harmonização: Aperitivos e entradas

Compre aqui

 


 

⇒ O espumante rosé blend de Champagne

Champagne Vollereaux Rosé de Saignée Brut:

Estrutura suave e gulosa, a boca é cheia e encorpada, pois os aromas persistem para dar um final muito longo. De grande redondeza e subtilmente adoçado por notas de frutos vermelhos; Produtor: Maison Vollereaux; Teor alcoólico: 12%; Uva: Pinot Noir (vinho varietal); Nariz: Frutas vermelhas e morango esmagado. Após a aeração, o nariz revela notas mais gulosas, evocando aromas de pastelaria e baunilha; Harmonização: Perfeito para uma tarde estival com frutas frescas. O champagne rosé será definitivamente seu melhor parceiro para entradas ou até mesmo sobremesas como macarons

Compre aqui

 


 

O espumante rosé blend multirregional

Maison Castel Cuvée Rosée Ice Demi-Sec:

Entrada delicada, estrutura carnuda e refrescante, acidez marcante, e notas intensas de frutas vermelhas; Produtor: Grupo Castel; Teor alcoólico: 11%; Uvas: Várias uvas (vinho blend); Nariz: Expressivo e intenso, com notas de framboesa, romã e groselha, e toques florais; Harmonização: Canapés, saladas, queijos leves com mel, mousses, bolos ou tortas de frutas

Compre aqui

 


 

O licoroso blend de Roussillon

Domaine de La Rectorie Banyuls Rimage Therese Reig 2017 50cl:

Rico, com taninos redondos com final longo e frutado; Produtor: Domaine de La Rectorie; Teor alcoólico: 17%; Uvas: Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Cereja, ameixa, amora em compota e toques de cacau; Harmonização: Queijo azul, queijo de cabra, doce de figo e sobremesas a base de chocolate

Compre aqui

 


 

O licoroso blend de Roussillon

Domaine de La Rectorie Banyuls Rimage Léon Parcé 2016 50cl:

Encorpado, com taninos macios e final longo; Produtor: Domaine de La Rectorie; Teor alcoólico: 16,5%; Uvas: Grenache e Carignan (vinho blend); Nariz: Frutas negras maduras, frutas cristalizadas e especiarias como canela e noz moscada; Harmonização: Chocolates, bolo de frutas e foie-gras

Compre aqui

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados:

Os 8 principais produtores da Cabernet Sauvignon
Hoje vamos falar sobre a rainha das uvas tintas: a Cabernet Sauvignon. Essa uva incrível, como mostra o...
Temperos e especiarias - Como combiná-los com vinhos?
Combinar temperos e vinhos não é tão difícil e podemos provar! Confira as características mais marcantes e os...
Azeites - Harmonização com vinhos e benefícios à saúde 5
Saber usar bons azeites faz toda a diferença na hora de cozinhar. Mas, tão importante quanto entender a...
Como fazer vinho quente? 8 Receitas incríveis!
O friozinho de junho pede por vinho quente, seja de vinho tinto ou branco Inverno, frio, festa junina,...
Tournedo Rossini - Receitas e harmonização com vinhos
Mais espesso que o medalhão, o Tournedo Rossini é um clássico francês que ganhou o mundo Como um...
Cupom de descontos em vinhos especiais para pessoas especiais
Cupom de desconto em vinhos – Como usar? QUERODENOVO – 5% OFF Válido somente para compras e acima...